John Deere logo

    Conecta

    Sua fonte centralizada de notícias Agro

    Brasil conquista 44 mercados externos para agropecuária em 2023

    A autorização dos países parceiros reforça a confiança internacional na qualidade e sanidade dos produtos do agro brasileiro
    Rafael De Marco
    Divulgação
    Divulgação

    Tags:

    Agronegócio

    A agropecuária brasileira segue ampliando sua participação e relevância em nível mundial. Desde o início de 2023, o País conquistou 44 novos mercados para os produtos do setor agrícola e pecuário. O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) tem intermediado negociações baseadas em uma pauta diversificada das exportações.

     

    Confira os resultados recentes:

     

    -As negociações nas Américas (Argentina, Canadá, México, República Dominicana, Uruguai, Equador, Chile e Panamá) totalizaram 19 mercados .

     

    -Na região asiática (Rússia, Indonésia, Singapura, China, Índia e Malásia) foram conquistados 11 mercados .

     

    -No continente africano (Egito, Argélia, Angola e África do Sul) as tratativas contabilizaram 7 produtos .

     

    -Na Oceania (Polinésia Francesa, Nova Caledônia e Vanuatu) foram 5 mercados .

     

    -No Oriente Médio (Israel e Arábia Saudita), temos 2 mercados .

     

    De acordo com a análise da Secretaria de Comércio e Relações Internacionais (SCRI/Mapa), entre os principais mercados alcançados destacam-se a comercialização para as carnes bovina e suína brasileiras para o México e a República Dominicana.

     

    Brasil conquista 44 mercados externos para agropecuária em 2023 1

    AUMENTO NAS EXPORTAÇÕES
    As exportações brasileiras do agronegócio subiram 6,6% em agosto deste ano, no comparativo ao mesmo mês do ano passado, atingindo US$ 15,63 bilhões. O valor correspondeu a 50,4% do total exportado pelo Brasil, segundo a SCRI.

     

    ABERTURA DE MERCADOS
    As aberturas de mercados são resultado de transações bilaterais que culminam no acordo dos requisitos de sanidade a serem atestados e do certificado correspondente, sanitário, fitossanitário ou veterinário, que passará a ser aceito pelo país importador nos pontos de entrada da mercadoria.

     

    Ainda há um trabalho de preparação do produtor e do exportador para atender às demandas de cada um desses novos parceiros, além do desenvolvimento de atividades de promoção comercial e de divulgação dos produtos agropecuários brasileiros.

     

    A presença da adidância agrícola brasileira também é fundamental para identificar oportunidades para comercialização dos produtos nacionais, atrair investidores estrangeiros e na superação de barreiras às exportações brasileiras.

     

    Com informações do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa)