CONECTA NEWS – 04/08/2022

Fique ligado nas principais notícias do agronegócio no Brasil e no mundo. O conteúdo do Conecta News é uma parceria com o SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS

Agricultura

img-news
MERCADO SOJA: Preços sobem e negócios melhoram no Brasil, acompanhando forte alta de Chicago
Com a boa valorização dos contratos futuros em Chicago, os preços da soja também reagiram nas principais praças do país nesta quinta-feira. Ainda que de forma moderada, a comercialização melhorou, com os produtores aproveitando os referenciais mais firmes. Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 182,00 para R$ 186,00. Na região das Missões, a cotação avançou de R$ 181,00 para R$ 185,00. No Porto de Rio Grande, o preço passou de R$ 188,00 para R$ 191,00. Em Cascavel, no Paraná, o preço aumentou de R$ 182,00 para R$ 185,00. No porto de Paranaguá (PR), a saca teve elevação de R$ 188,50 para R$ 191,50. Em Rondonópolis (MT), a saca subiu de R$ 170,00 para R$ 172,00. Em Dourados (MS), a cotação valorizou de R$ 174,00 para R$ 176,00. Em Rio Verde (GO), a saca subiu de R$ 164,00 para R$ 167,00. Chicago Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quinta-feira com preços em forte alta. Rumores de que a China estaria para comprar entre 6 e 10 cargas nos Estados Unido e na América do Sul garantiram a recuperação, após os contratos caírem cerca de 7% nesta semana. A previsão de clima seco no Meio Oeste dos Estados Unidos nos próximos dias e a desvalorização do dólar frente a outras moedas, dando competitividade às commodities americanas, ajudaram na alta de hoje. As exportações líquidas norte-americanas de soja, referentes à temporada 2021/22, com início em 1º de setembro, ficaram negativas em 11.000 toneladas na semana encerrada em 28 de julho. A China liderou as importações, com 124.800 toneladas. Para a temporada 2022/23, ficaram em 410.600 toneladas. Analistas esperavam exportações entre 100 mil e 800 mil toneladas, somando-se as duas temporadas. Os contratos da soja em grão com entrega em setembro fecharam com alta de 57,50 centavos ou 4,09% a US$ 14,61 1/4 por bushel. A posição novembro teve cotação de US$ 14,17 3/4 por bushel, com ganho de 48,00 centavos de dólar ou 3,5%. Nos subprodutos, a posição setembro do farelo fechou com alta de US$ 22,10 ou 5,12% a US$ 453,50 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em setembro fecharam a 62,45 centavos de dólar, com ganho de 0,63 centavo ou 1,01%. Câmbio O dólar comercial fechou em queda de 1,02%, cotado a R$ 5,2220. A moeda norte-americana sucumbiu ante seus pares e emergentes, impactada pela baixa aversão global ao risco e pelo novo aumento na Selic (taxa básica de juros) - desta vez de 0,5 ponto percentual (pp) -, que foi a 13,75% ao ano. Agenda de sexta - Alemanha: A produção industrial de junho será publicada às 3h pelo Destatis. - A Fundação Getulio Vargas (FGV) divulga, às 8h, o IGP-DI referente a julho. - Relatório de condições das lavouras da Argentina - Ministério da Agricultura, na parte da manhã. - EUA: O número de empregos criados ou perdidos pela economia (payroll) e a taxa de desemprego referentes a julho serão publicados às 9h30 pelo Departamento do Trabalho. - Dados de produção, vendas e exportação do setor automotivo - Anfavea, 10hs. - Dados de desenvolvimento das lavouras no Mato Grosso - Imea, na parte da tarde.

CARNE SUINA: Embarques do Brasil caíram 8,9% no acumulado de sete meses em 2022
As exportações brasileiras de carne suína (considerando todos os produtos, entrein natura e processados)totalizaram 606,5 mil toneladas nos primeiros sete meses de 2022, informa a ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal). O volume é 8,9% menor ao registrado no mesmo período de 2021, quando foram embarcadas 665,4 mil toneladas. A receita acumulada entre janeiro e julho deste ano chegou a US$ 1,337 bilhão, número 16,2% menor que o efetuado no mesmo período de 2021, quando foram obtidos US$ 1,596 bilhão. Considerando apenas o mês de julho, as vendas do setor chegaram a 96,3 mil toneladas, volume 6,2% menor que as 102,7 mil toneladas exportadas em julho de 2021. O saldo em dólares dos embarques do mês totalizou US$ 222,4 milhões, número 9,7% menor que o resultado de julho do ano passado, com US$ 246,4 milhões. Principal destino das exportações brasileiras de carne suína, a China importou em julho deste ano 38,4 mil toneladas (-24,4%). Em segundo lugar, as Filipinas importaram no período 8,2 mil toneladas (+238,2%). Outros destaques foram a Tailândia, com 5 mil toneladas (+2149,7%) e Uruguai, com 4,1 mil toneladas (+7,8%). Há um novo patamar nas vendas de carne suína para a China, em torno de 40 mil toneladas, o que deve se manter nos próximos meses e acima dos volumes praticados no primeiro semestre deste ano. Ao mesmo tempo, vemos que outros mercados ganharam protagonismo em 2022, como Filipinas, EUA, Tailândia e Japão.Para estes países, temos destinado produtos de valor agregado mais elevado, o que manteve as exportações acima de 90 mil toneladas mensais desde março, dando um indicativo de tendência até o fim de 2022, analisa Luís Rua, diretor de mercados da ABPA. As informações partem da assessoria de comunicação da ABPA.

CARNE DE FRANGO: Exportações brasileiras sobem 6% no acumulado janeiro-julho
As exportações brasileiras de carne de frango (considerando todos os produtos, entrein naturae processados) totalizaram 2,828 milhões de toneladas nos sete primeiros meses de 2022, informa a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). O número supera em 6% o total embarcado pelo país no mesmo período de 2021, com 2,668 milhões de toneladas. O resultado em dólares das exportações do ano alcançou US$ 5,620 bilhões, número 33,3% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado, com US$ 4,216 bilhões. Em julho, as vendas internacionais de carne de frango totalizaram 405,3 mil toneladas, volume 4,5% menor que o total exportado no sétimo mês de 2021, com 424,4 mil toneladas.Em receita, houve aumento de 20,7%, com US$ 892 milhões neste ano, contra US$ 739,2 milhões em 2021. Os Emirados Árabes Unidos assumiram, novamente, a liderança nas exportações de carne de frango do Brasil, com 37,8 mil toneladas exportadas em julho, número 11% superior ao alcançado no mesmo período de 2021. A China, no segundo posto, importou 37,5 mil toneladas (-40,5%). Em terceiro lugar, a Árabia Saudita importou 37,2 mil toneladas (+52,7%). Outros destaques do mês foram Filipinas, com 21,8 mil toneladas (+16,1%), Coreia do Sul, com 18,8 mil toneladas (+79,4%) e Singapura, com 15,4 mil toneladas (+93,2%). O resultado confirma as expectativas da ABPA de manutenção das exportações em patamares acima de 400 mil toneladas mensais até o final do ano, mostrando a forte demanda global pelo produto brasileiro. destacou o presidente da ABPA, Ricardo Santin. As informações partem da assessoria de comunicação da ABPA.

TRIGO: Plantio atinge 98% da área no Rio Grande do Sul
O plantio do trigo atinge 98% daárea no Rio Grande do Sul. Na semana passada, os trabalhos chegavam a 93%. Emigual momento do ano passado, eram 100%. A média dos último cinco ano para o período é de 100%. A estimativa de cultivo de trigo no Estado para a safra 2022 é de 1.413.763 hectares. A produtividade estimada é de 2.822 kg/ha. Avançou a implantação da cultura para 93% da área. Iniciou a floração em pequenas áreas implantadas inicialmente. As lavouras em geral apresentam bom desenvolvimento, avançando para a floração nas regionais de Frederico Westphalen e de Santa Rosa.

MILHO: Colheita 21/22 atinge 81,4% da área na Argentina
A colheita de milho da safra 2021/22 atinge 81,4% na Argentina. Segundo a Bolsa de Cereais de Buenos Aires, a superfície é estimada em 7,3 milhões de hectares, 7,6% acima do ano anterior. Os trabalhos avançaram ,27 pontos percentuais na semana. A projeção de produção fica em 49 milhões de toneladas, contra 52,5 milhões de toneladas em 2020/21. Em números absolutos, foram colhidos 40,193 milhões de toneladas ao longo de 5,737 milhões de hectares.

TRIGO: Plantio atinge 99,6% da área na Argentina
O plantio de trigo atinge 99,6% da área na Argentina. Segundo a Bolsa de Cereais de Buenos Aires, a superfície é estimada em 6,1 milhões de hectares. A estimativa representa uma queda interanual de 9%. Os trabalhos avançaram 0,8 ponto percentual na última semana. Em números absolutos, o plantio chega a 6,078 milhões de hectares.

ALGODÃO: NY fecha com preços mistos / Petróleo pressiona
A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) para o algodão fechou com preços mistos nesta quinta-feira, com ganhos predominando nos contratos mais próximos. A queda do petróleo no dia foi aspecto baixista. O mercado também buscou ajustes técnicos e avaliou o desempenho das exportações semanais, com informações também mensais no dia. As vendas líquidas norte-americanas de algodão (upland), referentes à temporada 2021/22, iniciada em 1o de agosto, ficaram negativas em 112.400 fardos na semana encerrada em 21 de julhoo menor patamar da temporada. O maior importador foi o Equador, com 1.200 fardos. Para a temporada 2022/23, foram mais 71.400 fardos. As informações são do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). As exportações de algodão dos Estados Unidos em junho totalizaram 369,737 mil toneladas, conforme dados do Departamento do Comércio dos Estados Unidos. Em maio, o volume havia sido de 412,046 mil toneladas. Em junho de 2021, foram 263,123 mil toneladas. Os contratos com entrega em dezembro/2022 fecharam o dia a 94,62 centavos de dólar por libra-peso, alta de 0,19 centavo, ou de 0,2%.

logo