CONECTA NEWS – 06/06/2022

Fique ligado nas principais notícias do agronegócio no Brasil e no mundo. O conteúdo do Conecta News é uma parceria com o SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS

Agricultura

img-news
CAFÉ: NY fecha em alta com fatores técnicos e oferta reduzida
A Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) para o café arábica encerrou as operações desta segunda-feira com preços acentuadamente mais altos. As cotações subiram no dia com reação técnica após dois pregões de perdas. Além disso, o mercado avança diante das indicações de aperto na oferta, com queda nos estoques certificados na Bolsa e informações de menor oferta também na Colômbia. A postura retraída dos produtores no Brasil, mesmo em meio à colheita, é outro aspecto altista. Os contratos com entrega em julho/2022 fecharam o dia a 237,55 centavos de dólar por libra-peso, valorização de 5,15 centavos, ou de 2,2%. A posição setembro/2022 fechou a 237,65 centavos, elevação de 5,10 centavos, ou de 2,2%.

SOJA: Em dia volátil, inspeções fracas limitam ganhos em Chicago
Os contratos futuro da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a segunda-feira com preços em em leve alta. Os fracos números para as exportações semanais americanas amenizaram o impacto positivo inicial, provocado pela forte alta do trigo. As inspeções de exportação norte-americana de soja chegaram a 350.416 toneladas na semana encerrada no dia 2 de junho, conforme relatório semanal divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Na semana anterior, as inspeções de exportação de soja haviam atingido 403.617 toneladas. O mercado esperava um número de 500 mil toneladas. Os contratos da soja em grão com entrega em julho fecharam com alta de 1,50 centavo ou 0,08% a US$ 16,99 1/4 por bushel. A posição agosto teve cotação de US$ 16,35 3/4 por bushel, com ganho de 2,00 centavos de dólar ou 0,12%. Nos subprodutos, a posição julho do farelo fechou com baixa de US$ 0,80 ou 0,19% a US$ 407,10 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em julho fecharam a 81,19 centavos de dólar, com perda de 0,66 centavos ou 0,8%.

MILHO: Demanda nos EUA e disparada do trigo favorecem ganhos em Chicago
A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou a sessão de hoje com preços acentuadamente mais altos. O mercado refletiu os sinais de demanda aquecida para o cereal norte-americano. A forte alta do trigo também contribuiu positivamente. Os preços vinham de quatro sessões negativas consecutivas. As inspeções de exportação norte-americana de milho chegaram a 1.434.683 toneladas na semana encerrada no dia 2 de junho, conforme relatório semanal divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Na semana anterior, haviam atingido 1.411.734 toneladas. Em igual período do ano passado, o total inspecionado foi de 1.426.945 toneladas. No acumulado do ano-safra, iniciado em 1o de setembro, as inspeções somam 42.733.073 toneladas, contra 52.608.324 toneladas no acumulado do ano-safra anterior. Na sessão, os contratos de milho com entrega em julho fecharam a US$ 7,42 1/2 por bushel, ganho de 15,50 centavos de dólar, ou 2,13%, em relação ao fechamento anterior. A posição setembro de 2022 fechou a sessão a US$ 7,14 1/4 por bushel, alta de 13,00 centavos, ou 1,85% em relação ao fechamento anterior.

TRIGO: Chicago dispara 5% com prolongamento de guerra na Ucrânia
A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o trigo encerrou com preços acentuadamente mais altos. O cereal foi impulsionado pelo aumento na tensão entre a Rússia e a Ucrânia. Segundo a Agência Reuters, a capital Kiev voltou a ser atacada após mais de um mês de trégua. Isso eleva a preocupação quando à duração das interrupções no fornecimento de grãos ucranianos. O clima adverso nos Estados Unidos e na França também influenciou positivamente. As inspeções de exportação norte-americana de trigo chegaram a 352.779 toneladas na semana encerrada no dia 2 de junho, conforme relatório semanal divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Na semana anterior, as inspeções de exportação de trigo haviam atingido 344.907 toneladas. Em igual período do ano passado, o total inspecionado fora de 531.921 toneladas. No fechamento de hoje, os contratos com entrega em julho de 2022 eram cotados a US$ 10,93 por bushel, alta de 53,00 centavos de dólar, ou 5,09%, em relação ao fechamento anterior. Os contratos com entrega em setembro de 2022 eram negociados a US$ 11,04 1/2 por bushel, ganho de 52,75 centavos ou 5,01% em relação ao fechamento anterior.

ALGODÃO: Plantio avança na India e no Paquistão
Na India, maior produtor mundial, as chuvas de monções chegaram e o plantio nas áreas de sequeiro já começou. No Paquistão, apesar do clima seco, o plantio segue avançando. Na África, os produtores estão em fase de aquisição de insumos ainda, enquanto na China as lavouras se desenvolvem bem. As informações são da Abrapa.

ETANOL: MP será analisada na quarta-feira no Senado
O Senado pode votar na quarta-feira (8) o projeto da Nova Lei Geral do Esporte (PLS 68/2017) e a medida provisória que reformula a tributação de PIS e Cofins sobre álcool combustível vendido por cooperativas diretamente ao setor varejista (MP 1.100/2022). A sessão deliberativa começa às 16h. A MP 1.100/2022, que ajusta as regras de PIS e Cofins sobre o etanol, foi aprovada na Câmara dos Deputados no dia 1. A medida ainda será incluída na pauta de quarta-feira segundo informações da Presidência do Senado. Antes, o texto precisa ser lido em outra sessão do Plenário. A proposição deriva de vetos feitos pelo governo federal no texto enviado à sanção da MP 1.063/2021, que tratava do tema ao permitir ao produtor e ao importador venderem diretamente aos postos sem passar pelos distribuidores. Embora a intenção do governo fosse estimular a competição no setor, o Executivo não desejava perder arrecadação naquele momento. Os vetos foram justificados para evitar essa perda devido ao modelo de tributação das cooperativas. Com a MP 1.100/2022, as cooperativas de produção são equiparadas aos agentes produtores de etanol hidratado combustível e, se venderem diretamente aos varejistas, passam a pagar uma combinação de alíquotas sobre receita e sobre o volume do produto. Isso valerá para aquelas que não tenham optado por um regime de tributação de PIS/Cofins com base no volume produzido (ad rem). O relator no Senado será Eduardo Velloso (União-AC).

AÇÚCAR: NY sobe com petróleo e usinas priorizando etanol no Brasil
A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto encerrou o pregão eletrônico com cotações mais altas. Os contratos com entrega em julho/2022 encerraram o dia a 19,56 centavos de dólar por libra-peso, alta de 0,27 centavo (+1,4%). A posição Outubro/2022 fechou cotada a 19,74 centavos (+1,4%). Os futuros do açúcar bruto ganharam terreno com o petróleo mais caro, na medida em que as usinas do Brasil são incentivadas assim a priorizarem a produção do etanol, diminuindo a oferta de açúcar.

CAFÉ: Londres fecha com preços pouco alterados com ajustes técnicos
A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (ICE Futures Europa) para o café robusta encerrou as operações desta segunda-feira com preços mistos, pouco alterados. Após quatro dias sem pregão em Londres, devido ao feriado em comemoração aos 70 anos de reinado da Rainha Elizabeth, o mercado buscou direção nesta segunda-feira. E terminou tendo dificuldades para um melhor direcionamento, fechando com poucas alterações, buscando acomodação e ajustes técnicos. Os contratos para entrega em julho/2022 fecharam o dia a US$ 2.133 a tonelada, baixa de US$ 3, ou de 0,1%. A posição setembro/2022 fechou a US$ 2.140 a tonelada, ganho de US$ 1, ou de 0,04%.

ALGODÃO: Abrapa destaca boas práticas sustentáveis no Dia do Meio Ambiente
As boas práticas ambientais adotadas pelo setor algodoeiro, sob a liderança da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), podem ser observadas em diversas frentes nas fazendas e unidades de beneficiamento, nas regiões produtoras da fibra. São soluções implementadas pelos produtores que vão desde a conservação dos recursos naturais, o manejo dos recursos hídricos, técnicas recomendadas para a conservação do solo, da biodiversidade, gerenciamento de dejetos e resíduos sólidos, até a manutenção de áreas de preservação permanente (APP), áreas de integração lavoura pecuária florestas (ILPF), e a utilização de adubo orgânico, sem contaminar o ambiente. Não à toa, a cotonicultura brasileira está entre as mais atuantes pela causa da sustentabilidade, focando os seus esforços em várias ações. Mantém um programa nacional de produção de algodão sustentável, opera um acordo de benchmarking com a Better Cotton Inititiave (BCI), estimula iniciativas regionais relacionadas às boas práticas socioambientais e apoia programas governamentais de cunho sustentável. Por ocasião do Dia do Meio Ambiente, comemorado em cinco de junho, a Abrapa reforça a importância do trabalho realizado junto às associadas e aos produtores, por meio dos programas Algodão Brasileiro Responsável (ABR) e ABR-UBA para unidades de beneficiamento. Segundo o presidente da Abrapa, Júlio Cézar Busato, as fazendas de algodão e unidades de beneficiamento certificadas pelos programas evidenciam o esforço contínuo dos cotonicultores em promover a sustentabilidade no setor. "Certamente, a cotonicultura ganhou novo impulso com a implantação dos programas e é esse trabalho permanente de toda a cadeia que torna a cultura uma das mais organizadas no País", afirma.

AÇÚCAR REFINADO: Londres atinge máximas de cinco anos e meio
A ICE Futures Europe (Bolsa de Londres) para o açúcar refinado fechou as operações com cotações acentuadamente mais altas, tocando nos patamares mais elevados em cinco anos e meio. Os contratos com entrega em Agosto/2022 fecharam a US$ 594,00 por tonelada, alta de US$ 15,90 a tonelada (+2,75%) na comparação ao fechamento anterior. Outubro/2022 fechou a US$ 565,40 por tonelada, ganho de US$ 13,40 a tonelada (+2,42%). Os futuros do açúcar branco atingiram os patamares mais altos desde outubro de 2016, puxados por indicações de que um novo sistema para a aquisição de permissões para a exportação na India é, além de caro, lento. Assim, as exportações totais da temporada deverão ficar abaixo das 10 milhões de toneladas estipuladas pelo governo. Ao mesmo tempo, segundo analistas, o prêmio do açúcar branco sobre o refinado ficou ainda mais pronunciado, indicando que algumas refinarias estão operando abaixo da capacidade total, ou que o mercado subestimou o consumo.

logo