CONECTA NEWS – 07/03/2022

Fique ligado nas principais notícias do agronegócio no Brasil e no mundo. O conteúdo do Conecta News é uma parceria com o SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS

Agricultura

img-news
AÇÚCAR REFINADO: Londres fecha com leves ganhos
A ICE Futures Europe (Bolsa de Londres) para o açúcar refinado fechou as operações com cotações levemente mais altas. Os contratos com entrega em maio/2022 fecharam a US$ 533,30 por tonelada, alta de US$ 1,00 a tonelada (+0,2%) na comparação ao fechamento anterior. Agosto/2022 fechou a US$ 520,80 por tonelada, valorização de US$ 1,70 a tonelada (+0,3%).

OLEAGINOSAS: USDA estima safra 2021/22 de colza da India em 10,8 milhões de toneladas
A produção de colza da India está estimada em 10,8 milhões de toneladas no ano comercial 2021/22 (que inicia em outubro de 2021), ante 8,5 milhões de toneladas no período anterior. As informações são do Gain Report, do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). A área está prevista em 9,2 milhões de hectares, ante 8,2 milhões no período anterior. Os esmagamentos do país foram projetados em 9,65 milhões de toneladas para 2021/22, ante 7,5 milhões no período anterior. O consumo doméstico deve atingir 8,25 milhões de toneladas, ante 7,95 milhões de toneladas em 2020/2021. Os estoques finais foram previstos em 519 mil toneladas para 2021/2022, ante 369 mil na temporada anterior.

CAFÉ: Londres fecha com preços mistos buscando direção
A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (ICE Futures Europa) para o café robusta encerrou as operações desta segunda-feira com preços mistos. Assim como em Nova York para o arábica (ICE Futures US), em Londres para o robusta o mercado futuro teve uma sessão volátil e de busca de direcionamento e consolidação após as recentes oscilações. Seguem as preocupações com os efeitos da guerra da Rússia-Ucrânia sobre a economia global e consumo de café. Por outro lado, a alta do petróleo tende a dar suporte ao café nas bolsas. O consultor de SAFRAS & Mercado, Gil Barabach, observa que o realinhamento no fluxo financeiro mundial tem levado muitos operadores a reduzir sua carteira em café para aumentar posições em outras commodities, como petróleo, trigo e grãos. Os contratos para entrega em maio/2022 fecharam o dia a US$ 2.035 a tonelada, com recuo de US$ 3, ou de 0,1%. A posição julho/2022 fechou a US$ 2.014 a tonelada, ganho de US$ 1, ou de 0,04%.

CAFÉ: Exportações do Vietnã somam 139,371 mil toneladas em fevereiro
As exportações de café do Vietnã totalizaram 139,371 mil toneladas em fevereiro, uma retração de 14,7% sobre o mês anterior. Os números são da alfândega do país e foram divulgados pela Agência Reuters. No acumulado do ano, o Vietnã exportou 370,874 mil toneladas, alta de 30,8% frente ao mesmo momento do ano passado

 ARROZ: Exportações do Vietnã totalizam 468,925 mil toneladas em fevereiro
As exportações de arroz do Vietnã totalizaram 468,925 mil toneladas em fevereiro de 2022. Representa um recua de 7,3% em relação ao mês anterior. As informações são do Escritório Geral de Estatísticas do país e foram divulgadas pela Agência Reuters. No acumulado do ano, o Vietnã importou 974,556 mil toneladas, alta de 49,2% frente ao ano passado.

GRÃOS: Comerciante agrícola alemão critica parada de exportação da Hungria
O principal grupo de comércio agrícola alemão BayWa AG criticou nesta segunda-feira a Hungria, um importante fornecedor de ração animal de milho para a UE, sobre sua decisão de proibir as exportações de grãos após um aumento nos preços. De acordo com informações da Agência Reuters, o ministro da Agricultura da Hungria, Istvan Nagy, disse na sexta-feira que o governo estava proibindo todas as exportações de grãos com efeito imediato devido aos aumentos de preços causados pela invasão russa da Ucrânia. A decisão de parar as exportações foi "inadequada e sem muita solidariedade", disse o CEO da BayWa, Klaus Josef Lutz, em comunicado. Rússia e Ucrânia são responsáveis por cerca de 29% das exportações globais de trigo e 19% das exportações de milho, com os embarques da Ucrânia parando desde o início dos combates e as exportações russas caindo fortemente. Isso levou a um aumento de 40% nos preços do trigo na última semana, à medida que os importadores buscam suprimentos alternativos. A Romênia tem reservas suficientes de grãos e alimentos para enfrentar a crise desencadeada pelas ações da Rússia e não está considerando limitar as exportações de trigo no momento, disse o ministro da Fazenda Adrian Chesnoiu na segunda-feira. A Bulgária disse que reforçaria suas reservas de trigo, enquanto os produtores temem uma proibição de exportação. 

GRÃOS: Romênia não vê necessidade de restringir exportações no momento
A Romênia tem reservas suficientes de grãos e alimentos para resistir à invasão russa da Ucrânia e não está considerando limitar as exportações de trigo no momento, disse o ministro da Agricultura, Adrian Chesnoiu, nesta segunda-feira. Exportadores de grãos estão procurando fontes alternativas de trigo e milho, já que a invasão russa cortou o fornecimento ucraniano, disseram traders no final de fevereiro. A Romênia, membro da União Européia, é um importante fornecedor de grãos que, como a Ucrânia, exporta através do Mar Negro, mas fora da zona de conflito, era vista como uma opção óbvia de apoio para os comerciantes. "Tradicionalmente somos um país exportador porque produzimos mais do que consumimos", disse Chesnoiu a repórteres. "Em um bom ano, a Romênia produz mais de 11 milhões de toneladas de trigo enquanto o consumo interno está em torno de 4,3 milhões, por isso eu disse que a Romênia não está na situação dos outros estados que estão tentando garantir seu consumo interno." "A partir das avaliações que fizemos no ministério até agora, não há risco de que a população não possa ser abastecida."

TRIGO: SovEcon corta previsões de exportação da Rússia em 2021/22
A SovEcon reduziu suas previsões de exportação de trigo russo para a temporada atual em 800.000 toneladas métricas devido à interrupções causadas pela invasão da Ucrânia. A consultoria, que cobre os mercados de grãos do Mar Negro, agora espera que as exportações russas na temporada 2021/22 totalizem 33,5 milhões toneladas métricas. A SovEcon espera que as exportações mensais fiquem em 1 milhão de toneladas em março e abril, subindo para cerca de 2 milhões de toneladas de maio a junho. As exportações de trigo para a temporada até agora - dos meses de julho a fevereiro - atualmente estão em 27,7 milhões de toneladas, estima a empresa de pesquisa. Enquanto os portos russos do Mar Negro ainda estão operando, os armadores têm relutado em enviar navios para a região. O mar de Azov foi fechado ao transporte, afetando alguns portos russos.

logo