CONECTA NEWS – 08/06/2022

Fique ligado nas principais notícias do agronegócio no Brasil e no mundo. O conteúdo do Conecta News é uma parceria com o SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS

Agricultura

img-news
CAFÉ: Londres fecha com perdas moderadas em meio a ajustes técnicos
A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (ICE Futures Europa) para o café robusta encerrou as operações desta quarta-feira com preços moderadamente mais baixos. As cotações foram pressionadas no dia por aspectos técnicos, com ajustes. A sazonalidade da entrada da safra brasileira é fator baixista, citado por traders. O comportamento errático do arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) dificultou um melhor direcionamento. Os contratos para entrega em julho/2022 fecharam o dia a US$ 2.105 a tonelada, baixa de US$ 4, ou de 0,2%. A posição setembro/2022 fechou a US$ 2.117 a tonelada, queda de US$ 4, ou de 0,2%.

GRÃOS: Silos na Ucrânia estão meio cheios antes da colheita
Os silos de grãos no território controlado pelo governo ucraniano estão cerca de metade cheios no período anterior à safra deste ano, o que significa que as colheitas podem ser deixadas no chão se a Rússia continuar a bloquear os portos do país, disse o chefe da Associação de Grãos da Ucrânia nesta quarta-feira. 
Há cerca de 30 milhões de toneladas de grãos armazenadas em território ucraniano fora da capacidade de cerca de 55 milhões de toneladas, disse Mykola Gorbachov em uma conferência do Conselho Internacional de Grãos (IGC) em Londres, acrescentando que havia de 13 a 15 milhões de toneladas de capacidade de armazenamento em áreas ocupadas pela Rússia. 
Segundo a Agência Reuters, os preços mundiais dos alimentos subiram para patamares recordes e os níveis de fome estão subindo em todo o mundo após a invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro, o quarto maior exportador mundial de grãos. 
Gorbachov disse que sem acesso aos seus portos do Mar Negro, a Ucrânia poderia, na melhor das hipóteses, exportar 20 milhões de toneladas de grãos no próximo ano, com rotas alternativas via estrada, rio e ferrovia limitando as exportações para não mais de 2 milhões de toneladas por mês. Isso se compara aos embarques de 44,7 milhões de toneladas no ano passado. 
A Ucrânia e o Ocidente acusam Moscou de armar suprimentos de alimentos. A Rússia culpa a situação pelo que diz ser minas ucranianas em águas do Mar Negro e por sanções internacionais contra Moscou.
Gorbachov estimou que metade da safra de milho da Ucrânia será deixada no chão, sem colheita, se a Rússia mantiver o bloqueio dos portos do Mar Negro. A Ucrânia é o quarto maior exportador de milho do mundo. "Posso dizer que não encontraremos uma solução (para) exportações (sem acesso ao porto do Mar Negro)", disse ele na conferência do IGC. 
As Nações Unidas estão tentando intermediar um acordo para permitir que os grãos da Ucrânia sejam enviados de portos como Odesa, enquanto a Turquia também tem mantido conversações com a Rússia visando garantir as exportações ucranianas via portos. 
Gorbachov disse que as negociações Turquia-Rússia não poderiam levar às garantias de segurança necessárias para o navio e, em vez disso, pediu aos Estados Unidos, Grã-Bretanha e França que fornecessem comboio seguro para navios que transportam grãos ucranianos para fora do país. "Não acredito que nenhuma empresa carregará grãos (ucranianos) se os russos assinarem algo com os turcos. O seguro não cobre esse risco. Precisamos de garantias internacionais, só que nesse caso o grão vai se mover", disse.

GRÃOS: Produção em Goiás deve atingir 28,1 milhões de toneladas na safra 2021/22
A produção goiana de grãos deve totalizar 28,1 milhões de toneladas na Safra 2021/2022. O volume representa um crescimento de 14,3% em relação à Safra 2020/2021. Os dados são do 9o Levantamento da Safra de Grãos 2021/2022, divulgado nesta quarta-feira (8) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). 
As projeções para Goiás indicam ainda uma produtividade média de 4,3 toneladas por hectare (+11,7%) e uma área cultivada total de 6,6 milhões de hectares (+2,3%). "Os produtores goianos estão entregando um desempenho histórico. O volume é recorde, e isso precisa ser valorizado, mas também estamos alcançando as primeiras posições em produtividade em muitas das principais culturais. Isso é fruto de muito trabalho, conhecimento e investimento em tecnologia", ressalta o secretário estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tiago Mendonça. 
As 28,1 milhões de toneladas colocam Goiás como terceiro maior produtor nacional de grãos entre os Estados e o Distrito Federal. Sozinha, a soja deve responder por 16,0 milhões de toneladas, alta de 10,2% na comparação com o ciclo anterior. Conforme a Conab, Goiás deve entregar o segundo maior volume de soja do País e a maior produtividade, com 4,0 toneladas por hectare (+7,8%). 
Vem do milho outra importante contribuição para o recorde da safra estadual de grãos. Segundo a Conab, Goiás deve produzir 10,2 milhões de toneladas de milho na Safra 2021/2022. O resultado representa um aumento de 20,9% em relação à safra passada e posiciona o Estado como quarto maior produtor nacional. A estimativa para a produtividade média do grão também é de crescimento (+15,8%), atingindo 5,3 toneladas por hectare. 
O 9o Levantamento da Safra de Grãos 2021/2022 aponta ainda que Goiás deve manter a liderança nacional nas produções de sorgo e girassol. A perspectiva para a produção goiana de sorgo é 1,2 milhão de toneladas (+36,7%), com produtividade média de 3,2 toneladas por hectare (+34,3%). Já a produção goiana de girassol deve alcançar 40,8 mil toneladas (+104,0%). Além do maior volume do País, o Estado deve emplacar a maior produtividade nacional de girassol, com 1,6 tonelada por hectare (+56,8%). 
Em nível nacional, de acordo com a Conab, a produção total de grãos deve somar 271,3 milhões de toneladas na Safra 2021/2022. O crescimento projetado é de 6,2% em relação à Safra 2020/2021. 
IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também divulgou, nesta quarta-feira (8/6), uma nova rodada do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA). O órgão manteve as estimativas de aumento das produções de cana-de-açúcar (+3,4%), café arábica (+4,2%) e uva (+13,4%), o que deve posicionar o Estado como terceiro, sétimo e décimo maior produtor nacional destas culturas, respectivamente. O levantamento também mostra que, apesar da queda prevista de 4,0%, Goiás deve manter a primeira colocação no ranking dos maiores produtores de tomate entre os Estados e o Distrito Federal.

GRÃOS: Ucrânia acusa Rússia de roubar 600 mil toneladas
A Rússia roubou cerca de 600.000 toneladas de grãos do território ucraniano ocupado e exportou parte disso, disse o vice-chefe do sindicato de produtores agrícolas ucranianos (UAC) nesta quarta-feira. A Ucrânia exigirá que a Rússia indenize tanto o roubo do grão quanto a destruição da propriedade dos agricultores, disse o vice-chefe da UAC, Denys Marchuk, à televisão ucraniana.

TRIGO: Analistas esperam que USDA eleve estoques global e dos EUA em 22/23
O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) divulga na sexta-feira, às 13h, seu relatório mensal de oferta e demanda para o trigo nas safras 2021/22 e 2022/23, relativo a produção e estoques dos Estados Unidos e do mundo. Estoques dos EUA Segundo analistas consultados por agências internacionais, os estoques finais dos Estados Unidos em 2021/22 devem ser indicados em 661 milhões de bushels - contra 655 milhões em maio. As estimativas variaram de 645 milhões a 693 milhões de bushels. Para 2022/23, os analistas esperam 622 milhões de bushels. As estimativas variam de 580 a 725 milhões de bushels. Em maio, foram estimados 619 milhões de bushels Reservas mundiais Os estoques globais ao final de 2021/22 são estimados em 278,9 milhões de toneladas, contra 279,7 milhões de toneladas em maio. O volume mínimo estimado foi de 272 e o máximo, 281,3 milhões de toneladas. Para 2022/23, as reservas são estimadas em 267,6 milhões de toneladas. As estimativas variam de 260 a 277,2 milhões de toneladas. Em maio, a estimativa ficou em 267 milhões de toneladas.

AÇÚCAR: Nova York fecha mista após atingir mínima de quatro semanas
A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto encerrou o pregão eletrônico com cotações mistas. Os contratos com entrega em julho/2022 encerraram o dia a 18,98 centavos de dólar por libra-peso, alta de 0,01 centavo (+0,05%) em relação ao fechamento anterior. A posição outubro/2022 fechou cotada a 19,23 centavos (+0,1%). Nas intradiárias, a posição julho encostou em uma mínima de quatro semanas, a 18,84 centavos. Segundo operadores, uma proposta no Brasil que elimina taxas sobre os combustíveis tem o potencial de fazer as usinas direcionarem mais cana para a produção de açúcar em detrimento ao etanol, afetando consequentemente o mercado futuro da commodity.

AÇÚCAR REFINADO: Londres fecha com cotações mistas
A ICE Futures Europe (Bolsa de Londres) para o açúcar refinado fechou as operações com cotações mistas. Os contratos com entrega em agosto/2022 fecharam a US$ 563,50 por tonelada, alta de US$ 0,10 (+0,01%) na comparação ao fechamento anterior. Outubro/2022 fechou a US$ 541,30 por tonelada, recuo de US$ 4,20 a tonelada (-0,76%).

logo