CONECTA NEWS – 09/02/2022

Fique ligado nas principais notícias do agronegócio no Brasil e no mundo. O conteúdo do Conecta News é uma parceria com o SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS

Agricultura

img-news
AÇÚCAR: Nova York avança com cobertura de posições 
A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto encerrou o pregão eletrônico com cotações em alta. Os contratos com entrega em março/2022 encerraram o dia a 18,48 centavos de dólar por libra-peso, alta de 0,40 centavo em relação ao fechamento anterior (ou 2,2%). A posição Maio/2022 fechou cotada a 17,98 centavos (+1,46%). O mercado avançou com sustentação em cobertura de posições vendidas, depois que o primeiro contrato chegou a atingir 17,84 centavos nas mínimas intradiárias da sessão de ontem. Um sentimento de amplas ofertas, com boas safras esperadas na India e na Tailândia neste ano, vem pressionando as cotações futuras do açúcar. 

AÇÚCAR REFINADO: Londres fecha sessão com cotações em alta
A ICE Futures Europe (Bolsa de Londres) para o açúcar refinado fechou as operações com cotações mistas. Os contratos com entrega em março/2022 fecharam a US$ 503,20 por tonelada, alta de US$ 3,6 a tonelada (+0,72%) na comparação ao fechamento anterior. Maio/2022 fechou a US$ 491,70 por tonelada, alta de US$ 8,70 a tonelada (+1,8%).

AGRICULTURA: FAESP orienta produtores paulistas afetados por chuvas
A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (FAESP) está orientando os produtores paulistas que foram afetados pelas chuvas das últimas semanas a buscarem os Sindicados Rurais dos seus municípios para relatarem os danos e perdas individuais nas propriedades. "Esse levantamento das informações, em parceria com o trabalho de campo realizado pelas Casas de Agricultura, irá contribuir para reunir os subsídios necessários para a FAESP elaborar as demandas e verificar a viabilidade de criação ou ampliação de linhas de crédito emergenciais para recuperação da estrutura produtiva e manutenção das atividades", afirma o presidente da FAESP, Fábio de Salles Meirelles. 
De acordo com o presidente da Federação, o Sindicato Rural também poderá orientar os produtores quanto à prorrogação das operações de crédito, acesso ao Programa de Garantia a Atividade Agropecuária (Proagro) e à cobertura do seguro rural. Em vista da extensão dos danos apurados no município e extensões de base, a FAESP recomenda ainda que o Sindicato Rural procure a Prefeitura para solicitar a decretação de situação de emergência. "Essa medida é primordial, pois ajudará os produtores em seus pedidos de prorrogação dos contratos de financiamento e poderá viabilizar o acesso a eventuais medidas de apoio publicadas pelo governo federal", afirma Meirelles. "Outras propostas podem surgir nessa aproximação com a Prefeitura, como a elaboração de um plano emergencial para recuperação das estradas vicinais, reconstrução de pontes e a realização de obras de desassoreamento de córregos e rios", complementa. 
Para os produtores que têm quebra de safra consolidada, a FAESP está compartilhando as seguintes orientações gerais a serem repassadas pelos Sindicatos Rurais: 
1 - Produtores que possuem financiamentos de investimento ou custeio em aberto e que terão dificuldade para cumprir com o pagamento, devem formalizar imediatamente a intenção de prorrogar os contratos, antes do vencimento da operação, junto ao banco, com base no Manual de Crédito Rural 2.6.4. Os pedidos devem estar acompanhados de laudo técnico, fotos datadas, eventual decreto de situação de emergência ou calamidade pública que possa auxiliar na comprovação das perdas, além de planilha contendo o demonstrativo de capacidade de pagamento do produtor. A FAESP disponibiliza aos produtores rurais interessados os modelos para solicitação de prorrogação de débito. Com o pedido e a comunicação dos danos ao agente financeiro, deve ser agendada vistoria técnica para a constatação das perdas e complementação do laudo e demais documentos necessários. 
2 - No caso de operações de crédito com cobertura pelo PROAGRO e PROAGRO MAIS, os produtores devem comunicar imediatamente as perdas aos agentes financiadores e colocar suas propriedades à disposição para vistoria de comprovação de perdas, a fim de acionar esse dispositivo contratual. A comunicação fora do prazo implica a perda de direito de cobertura. 
3 - Produtores que comercializaram sua safra futura e, eventualmente, não consigam cumprir com o contrato, recomenda-se diálogo com a parte compradora, a fim de buscar entendimento, em conformidade com os instrumentos pactuados. "O Departamento Jurídico da FAESP está à disposição para prestar assessoria técnica, mediante consulta e apresentação dos contratos", ressalta Fábio Meirelles. 
4 - Já os produtores que dispõem de seguro rural devem acionar imediatamente a seguradora para comunicar o sinistro e solicitar a vistoria no local. A não comunicação do sinistro no prazo devido pode implicar a perda do direito de indenização. 
5 - Adicionalmente, para minimizar os possíveis danos e perdas provocadas pelas chuvas anuais de verão e eventos climáticos adversos futuros, é importante que os produtores busquem orientação técnica na CATI/SAA-SP e capacitação por meio do SENAR-SP, a fim de aprimorar as estratégicas de gestão de riscos e dos processos produtivos, administrativos, comerciais e ambientais de sua propriedade rural.

CAFÉ ROBUSTA: Londres pega carona no rally de Nova York
A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (ICE Futures Europa) para o café robusta encerrou as operações desta terça-feira com cotações em alta. Os contratos para entrega em março/2022 fecharam o dia a US$ 2.270 a tonelada, com alta de US$ 24, ou de 1,06%. A posição maio/2022 fechou a US$ 2.259 a tonelada, ganho de US$ 25, ou de 1,1%. O mercado acompanha a sinalização positiva do café arábica negociado em Nova York, mas de forma parcial. A situação do abastecimento de café robusta é bem mais tranquila neste momento em relação ao arábica, com o avanço da safra vietnamita. O mercado londrino, ao mesmo tempo, ainda é dominado por operações de rolagens de março, faltando poucas semanas para o vencimento da primeira posição.

ARROZ: USDA prevê safra mundial 2021/22 em 510,31 milhões de toneladas de beneficiado
O relatório de fevereiro de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), divulgado nesta quarta-feira (9), estimou a produção mundial de arroz beneficiado em 510,31 milhões de toneladas para 2021/22, ante 509,87 milhões no mês anterior. Para 2020/21, foi estimada safra de 507,46 milhões de toneladas. As exportações mundiais de arroz beneficiado foram estimadas em 50,86 milhões de toneladas para 2021/22, ante 49,86 milhões no mês passado. A estimativa para o consumo é de 510,40 milhões de toneladas de beneficiado para 2021/22, ante 510,29 milhões de toneladas indicadas no mês anterior. Baseado nas estimativas de produção, exportação e consumo, os estoques finais mundiais de arroz beneficiado na temporada 2021/22 foram previstos em 186,33 milhões de toneladas, ante 186,06 milhões de toneladas no relatório passado. Para 2020/21, foram estimados estoques de 186,42 milhões de toneladas. A India deverá produzir 125 milhões de toneladas beneficiadas em 2021/22; a Tailândia, 19,3 milhões; e o Vietnã, 27,19 milhões. A safra brasileira está estimada em 7,68 milhões de toneladas de beneficiado. A safra da Indonésia está projetada em 35,4 milhões de toneladas. A produção chinesa está estimada em 148,99 milhões de toneladas.

ARROZ: USDA estima safra 2021/22 dos EUA em 6,09 milhões de toneladas de beneficiado
O relatório de fevereiro de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), divulgado nesta quarta-feira (9), estimou a produção norte-americana de arroz beneficiado em 6,09 milhões de toneladas para a safra 2021/22, mesmo patamar do mês anterior. Para 2020/21, a produção do país foi apontada em 7,22 milhões de toneladas. As exportações em 2021/22 foram previstas em 2,76 milhões de toneladas de arroz beneficiado, ante 2,79 milhões no relatório anterior. A projeção de consumo doméstico é de 4,62 milhões de toneladas de beneficiado em 2021/22, mesmo nível do mês passado. Baseado nas estimativas de produção, exportação e consumo, os estoques finais norte-americanos de arroz beneficiado foram previstos em 1,06 milhão de toneladas para a temporada 2021/22, ante 1,05 milhão no relatório anterior. Para a safra 2020/21, os estoques finais somaram 1,39 milhão de toneladas.

logo