CONECTA NEWS – 16/02/2022

Fique ligado nas principais notícias do agronegócio no Brasil e no mundo. O conteúdo do Conecta News é uma parceria com o SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS

Agricultura

img-news
CAFÉ: Londres sobe acompanhando petróleo, arábica em NY e outros mercados
A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (ICE Futures Europa) para o café robusta encerrou as operações desta quarta-feira com preços mais altos. Os preços do robusta foram sustentados por ganhos para o arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US), para o petróleo e outras commodities. O cenário de menor tensão em torno do conflito Rússia-Ucrânia e a baixa do dólar contra o real e outras moedas deram sustentação às commodities nos mercados futuros. Além disso, os fundamentos do café seguem garantindo suporte nas Bolsas. Os estoques certificados de arábica na ICE somavam 1,027 milhão de sacas em 15 de fevereiro, bem abaixo do nível de 1,541 milhão de sacas registrados no final de 2021, como destaca a Reuters. Já a quantidade de café verde armazenado nos portos dos Estados Unidos caiu em 37.851 sacas no final de janeiro, totalizando 5,79 milhões de sacas, a quinta redução consecutiva, disse a Green Coffee Association nesta terça-feira. A oferta segue apertada no curto prazo garantindo sustentação ao café. Os contratos para entrega em março/2022 fecharam o dia a US$ 2.290 a tonelada, com ganho de US$ 9, ou de 0,4%. A posição maio/2022 fechou a US$ 2.274 a tonelada, com avanço de US$ 9, ou de 0,4%.

SOJA: Louis Dreyfus suspende entregas após incêndio em processadora nos EUA
A trading Louis Dreyfus disse, nesta quarta-feira, que um incêndio atingiu sua planta de processamento de soja e biodiesel em Claypool, Indiana, nos Estados Unidos, na terça-feira. Os sistemas afetados foram suspensos. Nenhum funcionário ficou ferido e o fogo foi apagado por volta das 00h15 de hoje, pelo horário de Brasília. Fumaça foi detectada num filtro de manga - usado para filtrar poeira - aproximadamente às 23h de ontem. O site da Louis Dreyfus disse que as entregas de soja estavam suspensas na planta nesta quarta-feira. A planta de Claypool, é a maior da empresa totalmente integrada no processamento de soja e de biodiesel. A suspensão das entregas pode desacelerar a produção de farelo e biodiesel num momento de alta demanda. A manutenção da suspensão nas plantas de Iowa e Minnesota, recentemente, contribuiu para a inflação dos preços da ração animal e dos biocombustíveis. A planta de Claypool tem capacidade de esmagar 175 mil bushels de soja por dia e vinha operando com 92% da capacidade. A causa do incêndio e a dimensão dos estragos ainda é indeterminada. O fogo se espalhou para o telhado da instalação, mas equipes de manutenção puderam acessar o local ainda na madrugada. Os preços do farelo de soja subiram ao maior nível em sete anos e meio na Bolsa de Mercadorias de Chicago na semana passada. O contrato com entrega em março subiu US$ 11,90 por tonelada a US$ 450,70 por tonelada no meio-pregão desta quarta-feira. As ofertas pelo farelo de soja em Illinois e Indiana cresceu cerca de US$ 3 por tonelada devido ao incêndio, disse um corretor.

Arroz: Custo de produção da safra gaúcha pode ultrapassar R$ 90,00
A reunião da Câmara Setorial Nacional do Arroz mais uma vez foi realizada na Abertura Oficial da Colheita do Arroz e grãos em terras baixas que iniciou nesta quarta-feira, 16 de fevereiro, na Estação Terras Baixas, da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS). O presidente da Federarroz, Alexandre Velho, deu boas-vindas a todos, ressaltando que a Abertura da Colheita é um evento consolidado no calendário gaúcho e brasileiro, e que a informação é um insumo fundamental para a condução dos negócios. Na sequência, Sérgio Santos, da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), apresentou dados referentes ao mercado de arroz, como preços, custos, produtividade e exportação. 
Em relação à produtividade do cereal no Estado destacou que devido à redução hídrica o impacto deve ser uma redução de 11,4%, de acordo com o 5 Levantamento da Safra de Grãos 2021/2022, divulgado semana passada. Sobre exportação, afirmou que no início de janeiro foi notada uma demanda muito forte para o arroz brasileiro. Na parte de preços, ao fazer uma análise qualitativa do mercado, Santos falou que há uma tendência de elevação ao longo de 2022. "Os produtores estão mais capitalizados, com capacidade de escalonar mais as vendas, se tem uma menor safra 2021/2022, boa demanda externa e a projeção de situação de superávit. O mercado asiático está bem aquecido", observou. 
Santos colocou, ainda, que mesmo em um cenário otimista, com uma expectativa de recuperação dos preços este ano, a elevação dos custos de produção deve frear a rentabilidade. "Identificamos um significativo aumento tanto do custo variável quanto do operacional, e esta elevação está nos levando de volta para um cenário de rentabilidade não muito atrativa para a safra 2021/2022", concluiu. O diretor comercial do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), João Batista Gomes, também abordou a questão da alta do custo de produção. Disse que o Instituto apurou para a safra de arroz 2021/2022 um custo de produção de R$ 90,74 por saco de 50 quilos, considerando uma média de 166,13 sacos por hectare e dentro de um critério e metodologia já estabelecido de usar a média das últimas três safras. "Parte deste custo é uma projeção, ou seja, são aqueles ítens que ainda não estão consolidados", explicou, destacando que trata-se de um guia, de um alerta para esse ano. 
O presidente da Câmara Setorial do Arroz, Daire Coutinho, afirmou que entre os temas debatidos nesta reunião, o protocolo de auto-regulamentação que vem sendo elaborado por um grupo de trabalho é um desafio para o setor. "Nós temos o vencimento da antiga lei de classificação e um projeto novo que já está indo para o Senado, e traz uma nova realidade, focando também na rastreabilidade. Como o setor do arroz é de muita pulverização de produção, temos dificuldades nisso, mas a cadeia assumiu um compromisso com o Ministério da Agricultura de apresentar um projeto de auto regulamentação", informou.

AÇÚCAR: NY fecha praticamente estável / Foco segue em rolagens de posições
A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto encerrou o pregão eletrônico com cotações pouco alteradas. Os contratos com entrega em março/2022 encerraram o dia a 18,07 centavos de dólar por libra-peso, estáveis em relação ao fechamento anterior. A posição Maio/2022 fechou cotada a 17,56 centavos (-0,05%). As cotações seguiram flutuando dentro de margens limitadas, com o mercado dominado por rolagens de posições, de março para diante, faltando poucas semanas para o vencimento do primeiro contrato, ainda buscando um melhor direcionamento.

ARROZ: Pesquisa desenvolve cereal de ciclo precoce que consome menos água
Em busca de uma cultivar de arroz de ciclo precoce, que utiliza menos água e porte mais baixo, ao permitir maior resistência ao acamamento, pesquisadores da Embrapa desenvolveram a cultivar de arroz irrigado BRS A705 com elevada produtividade e qualidade de grãos. O lançamento do novo produto ligado ao mercado de grãos está marcado para sexta-feira, 18 de fevereiro, às 11 horas. A utilização de cultivares de ciclos diferentes possibilita que o orizicultor realize a semeadura dentro da janela mais indicada, a qual é bem restrita nas áreas de cultivo de arroz. A prática também ajuda a escalonar a colheita de forma que os grãos sejam colhidos dentro da faixa indicada para maximizar a qualidade industrial, com baixos percentuais de grãos gessados e elevada quantidade de grãos inteiros. Em média, há uma redução em torno de 8% na demanda de água, tendo como referência uma cultivar de 130 dias de ciclo, da emergência à maturação. Essa economia de água, com elevada produtividade, colabora para a redução de custos, pois, além de menos água utilizada haverá menor demanda de energia para a irrigação, o que ocasiona melhor exploração dos recursos hídricos e energéticos disponíveis. As informações são da Embrapa.

AÇÚCAR REFINADO: Londres fecha com cotações em leve alta
A ICE Futures Europe (Bolsa de Londres) para o açúcar refinado fechou as operações com cotações em leve alta. Os contratos com entrega em maio/2022 fecharam a US$ 482,70 por tonelada, alta de US$ 2,70 a tonelada (+0,56%) na comparação ao fechamento anterior. Agosto/2022 fechou a US$ 474,80 por tonelada, ganho de US$ 1,60 a tonelada (+0,33%).

logo