CONECTA NEWS – 18/02/2022

Fique ligado nas principais notícias do agronegócio no Brasil e no mundo. O conteúdo do Conecta News é uma parceria com o SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS

Agricultura

img-news
TRIGO: La Niña deve afetar plantio na Argentina – BCR
O plantio de trigo na campanha 2022/23 deve ter problemas devido ao adiamento dos efeitos do La Niña e com menos chances de que as chuvas de outono revertam a falta de água no final da temporada 2021/22. Os dados são do Guia Estratégico para Agricultura da Bolsa de Cereais do Rosário (BCR). "O Escritório Nacional de Administração Oceânica e Atmosférica (NOAA) acaba de publicar uma nova correção das projeções que estende a presença do evento La Niña com probabilidade de 77% até março/maio de 2022 e uma transição para a neutralidade, com 56% probabilidade, durante maio/julho de 2022", disse a BCR, descartando um evento ElNiño para a campanha 2022/23.

AÇÚCAR: Nova York perde força, volta a cair e acumula perdas na semana
A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto encerrou o pregão eletrônico com cotações em baixa. Os contratos com entrega em março/2022 encerraram o dia a 18,20 centavos de dólar por libra-peso, queda de 0,08 (ou 0,43%) em relação ao fechamento anterior. A posição Maio/2022 fechou cotada a 17,74 centavos (-0,67%), acumulando perda de 1% na semana. O mercado perdeu força no final da sessão, devolvendo os ganhos intradiários, em mais uma sessão dominada por rolagens de posições. Do lado fundamental, perspectivas de boas safras na Ásia e ainda as chuvas benéficas para os canaviais do Brasil seguem exercendo pressão negativa sobre as cotações.

EMPRESAS: Rumo se diz bem posicionada para negociar milho no 2º semestre
Durante a teleconferência que a Rumo, operadora ferroviária do grupo Cosan, realizou na tarde de hoje sobre seus resultados 4T21 para analistas, o CEO da empresa João Alberto Abreu, afirmou a safra de milho do segundo semestre será histórica. Já o gerente executivo de relação com os investidores da Rumo, Gustavo Marder, disse que a empresa está bem posicionada para negociar a safra no segundo semestre. Ele evitou dar mais informações, alegando tratarem-se de conteúdos estratégicos. As informações são da Agência CMA.

SOJA: Chuvas na Argentina podem desacelerar perdas em fevereiro – BCR
A perspectiva para o clima sobre a soja na Argentina para fevereiro é seca, o que reduz as estimativas de produtividade. Segundo a Bolsa de Cereais do Rosário (BCR), a o número fica em 3,11 toneladas por hectare. O relatório acrescenta que para a semana seguinte estão previstas chuvas e tempestades pontuais, dispersas e de baixo volume. "As previsões não são favoráveis última semana do mês. Infelizmente, neste cenário, a soja da região núcleo tem boas chances de terminar com produtividades abaixo de 2017/18, quando a média foi de apenas 2,9 toneladas por", indicam. Em outro parágrafo, eles explicam que há quatro indicadores de mau presságio para a oleaginosa, que são a seca por falta de água, a formação de vagens e grãos, condições de regular a ruim e baixa previsão de chuvas significativas.

CAFÉ: Londres cai seguindo perdas do arábica em NY
A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (ICE Futures Europa) para o café robusta encerrou as operações desta sexta-feira com preços mais baixos. O mercado recuou nesta sexta-feira acompanhando o movimento do arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US). NY vem passando por movimentos técnicos corretivos após bater em US$ 2,60 na semana passada, patamar mais alto em 10 anos, e o robusta seguiu nesta sexta-feira. No balanço da semana, o contrato maio do robusta londrino acumulou baixa de 0,7%. Os contratos para entrega em março/2022 fecharam o dia a US$ 2.271 a tonelada, com perda de US$ 18, ou de 0,8%. A posição maio/2022 fechou a US$ 2.255 a tonelada, baixa de US$ 19, ou de 0,8%.

EMPRESAS: SLC Agrícola fecha parceria com Kothe Logística
A SLC Agrícola anunciou, nesta quinta-feira (17), uma parceria com a empresa Kothe Logística Ltda. para a construção de uma Unidade de Beneficiamento e Armazenagem de sementes de soja (UBS), por meio da SLC Sementes. Essa unidade será construída em uma área da Fazenda Paiaguás (MT) e terá a capacidade inicial de beneficiamento e armazenagem de 1 milhão de sacas de 200 mil sementes de soja. A negociação reforça a estratégia da SLC Agrícola e da SLC Sementes, que tem como um dos pilares o crescimento "asset light", ou seja, de crescer com menor aporte de capital investido. O objetivo é a ampliação da capacidade de beneficiamento e armazenagem de sementes de soja, visando dar suporte ao crescimento da produção de sementes, com aumento da área de atuação de forma mais competitiva. A intenção é que a unidade beneficie e armazene sementes para serem comercializadas a partir da safra 2023/24. Esta UBS terá alto grau de tecnologia e será uma referência na América Latina. A localização, no Mato Grosso, foi escolhida por ser o Estado onde há a maior concentração de fazendas da SLC Agrícola e se tratar do maior produtor de soja do Brasil, com um mercado ainda em expansão. Para viabilizar a construção da unidade, a SLC Agrícola negociou uma área de 29,81 hectares da Fazenda Paiaguás para a Kothe, no valor de cerca de R$ 1,5 milhão. Toda a unidade será construída com recursos da Kothe, e os campos de produção serão 100% próprios da SLC Agrícola, assegurando o compromisso com a qualidade do produto.

AÇÚCAR REFINADO: Londres fecha com cotações em leve baixa
A ICE Futures Europe (Bolsa de Londres) para o açúcar refinado fechou as operações com cotações em leve baixa baixa. Os contratos com entrega em maio/2022 fecharam a US$ 484,90 por tonelada, recuo de US$ 1,90 a tonelada (-0,39%) na comparação ao fechamento anterior. Agosto/2022 fechou a US$ 478,30 por tonelada, recuo de US$ 1,40 a tonelada (-0,3%).

ALGODÃO: Semeadura no Brasil atinge 99,1% da área, estima Abrapa
A Abrapa informou o progresso da semeadura da safra 2021/22 de algodão no Brasil até quinta-feira (17). A média do Brasil era de 99,1% da área plantada, ante 98% na semana anterior. Restam ainda as últimas áreas a serem plantadas em Mato Grosso, Minas Gerais, Goiás e São Paulo.



logo