CONECTA NEWS – 20/07/2022

Fique ligado nas principais notícias do agronegócio no Brasil e no mundo. O conteúdo do Conecta News é uma parceria com o SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS

Agricultura

img-news
TRIGO: Plantio está finalizado na regional de Frederico Westphalen da Emater/RS
O plantio de trigo foi finalizado na regional de Frederico Westphalen da Emater/RS. Segundo o gerente regional, o engenheiro agrônomo, Luciano Schwerz, a área é estimada em torno de 150 mil hectares, um aumento em relação ao ano passado. A última semana teve chuvas favoráveis, após uma sequência de chuvas em excesso. "Agora, a situação melhorou e a tendência é de melhorar nos próximos dias. As lavouras, todas em desenvolvimento vegetativo, crescem normalmente, ainda que estejam de 15 a 20 dias atrasadas na comparação com a média. Os produtores trabalham nas aplicações de herbicidas e fertilizantes", explicou. 

ALGODÃO: NY fecha com ganhos em meio a fatores técnicos
A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) para o algodão fechou com preços mais altos nesta quarta-feira. A sessão foi de volatilidade novamente e a pluma encontrou sustentação em aspectos técnicos. O comportamento errático do petróleo, com perdas, limitou os avanços do algodão no dia. Os contratos com entrega em dezembro/2022 fecharam o dia a 92,81 centavos de dólar por libra-peso, valorização de 0,43 centavo, ou de 0,5%.

SOJA/MILHO: Preços de fretes oscilam nas principais rotas do país
Levantamento elaborado por SAFRAS & Mercado indica que os preços dos fretes da soja e do milho oscilaram nas principais rotas de escoamento do país na semana terminada em 20 de julho. O frete entre Cascavel e Paranaguá seguiu em R$ 143,00 por tonelada. Entre Sorriso (MT) e Paranaguá, o preço por tonelada caiu de R$ 550,00 para R$ 540,00. De Rondonópolis a Paranaguá, os preços subiram de R$ 370,00 para R$ 410,00 por tonelada. Entre Passo Fundo e Rio Grande, o frete subiu de R$ 105,00 para R$ 110,00 por tonelada. Entre Rio Verde (GO) e o Porto de Santos, os preços seguiram em R$ 330,00 por tonelada.

MILHO: Apesar de demanda para etanol, Chicago cai com boas chuvas nos EUA
A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou a sessão de hoje com preços mais baixos. O mercado foi pressionado por chuvas benéficas em partes do cinturão produtor dos Estados Unidos, num momento chave para o desenvolvimento. A queda foi limitada pelos dados semanais de etanol dos Estados Unidos. A Administração de Informação de Energia (EIA, na sigla em inglês), estimou aumento da produção de etanol à base de milho. Foi o primeiro aumento em cinco semanas. Os estoques tiveram leve queda. Na sessão, os contratos de milho com entrega em setembro fecharam a US$ 5,92 1/4 por bushel, recuo de 4,50 centavo de dólar, ou 0,75%, em relação ao fechamento anterior. A posição dezembro de 2022 fechou a sessão a US$ 5,90 por bushel, baixa de 5,25 centavos, ou 0,88% em relação ao fechamento anterior.

TRIGO: Chicago fecha mista; contratos com entrega mais próxima sobem com sinais de demanda
A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o trigo encerrou com preços mistos. O mercado, que no início do dia chegou a operar em forte alta, passou a reduzir os ganhos desde a reabertura e esteve, por algum tempo, com todos os contratos no território negativo. A força do dólar em relação a outras moedas, que reduz a competitividade do produto estadunidense no mercado exportador, pressionou os contratos com entrega a partir de dezembro de 2023. As demais posições subiram, sustentadas por sinais de demanda internacional pelo grão e pela incerteza em torno do acordo de liberação das exportações da Ucrânia pelo Mar Negro. Ontem, o Egito cancelou uma operação de compra internacional devido aos altos preços, mas lançou uma nova licitação com participação de todas as origens aberta até a próxima quinta-feira (21). Segundo a Reuters, quinze tradings estão em negociações com a estatal egípcia responsável pela operação. Além disso, outros importantes compradores, o Paquistão e a Jordânia, também estão no mercado em busca do grão. Os agentes também aguardam por novidades sobre o acordo entre Rússia e Ucrânia, que pode ser assinado ainda nessa semana. Os detalhes não estão claros e traders estão céticos quanto à retomada imediata das exportações ucranianas. No fechamento de hoje, os contratos com entrega em setembro de 2022 eram cotados a US$ 8,19 1/2 por bushel, ganho de 7,25 centavos de dólar, ou 0,89%, em relação ao fechamento anterior. Os contratos com entrega em dezembro de 2022 eram negociados a US$ 8,35 1/4 por bushel, alta de 7,25 centavos, ou 0,87% em relação ao fechamento anterior.

SOJA: Chicago tem segunda sessão seguida de perdas por demanda fraca e clima favorável nos EUA
Os contratos futuro da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quarta-feira com preços em baixa. Os sinais de fraca demanda pelo produto americano e a melhora nas condições climáticas no Meio Oeste determinaram a pressão sobre as cotações. As preocupações com uma possível recessão global completaram o quadro de pressão sobre as cotações, reforçando os temores de uma menor procura pela oleaginosa. O petróleo voltou a cair e o dólar se valorizou frente a outras moedas, tirando a competitividade dos produtos de exportação dos Estados Unidos. Ainda assim, os exportadores privados venderam 136 mil toneladas de soja americana para a China, segundo anunciou o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Amanhã, o mercado aguarda os embarques semanais e aposta em vendas líquidas entre negativas em 100 mil a positivas em 500 mil toneladas. As importações de soja do Brasil pela China caíram em junho ante o mesmo mês do ano anterior, enquanto as compras de produto dos Estados Unidos aumentaram. A China, maior compradora mundial de soja, trouxe 7,24 milhões de toneladas da oleaginosa do Brasil em junho, ante as 10,48 milhões de toneladas no mesmo mês do ano anterior, segundo a Administração Geral da Alfândega. Dos Estados Unidos, a China adquiriu 773,114 mil toneladas em junho, ante as 54,806 mil toneladas no mesmo mês do ano anterior. Os contratos da soja em grão com entrega em agosto fecharam com baixa de 28,25 centavos ou 1,91% a US$ 14,49 por bushel. A posição novembro teve cotação de US$ 13,32 1/4 por bushel, com perda de 26,00 centavos de dólar ou 1,91%. Nos subprodutos, a posição agosto do farelo fechou com alta de US$ 1,50 ou 0,34% a US$ 436,50 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em agosto fecharam a 60,03 centavos de dólar, com perda de 1,86 centavo ou 3%.

CAFÉ: NY fecha 4a sessão seguida de ganhos com queda nos estoques certificados
A Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) para o café arábica encerrou as operações desta quarta-feira com preços mais altos. Em mais uma sessão volátil, NY chegou a ter perdas com ajustes técnicos e realização de lucros após os recentes ganhos. Mas, terminou novamente encontrando reação e fechou a quarta sessão seguida em alta. A constante queda nos estoques certificados da ICE Futures US traz o sentimento de aperto na oferta no curto prazo, o que leva os compradores (torrefadores) a buscar os cafés depositados na bolsa. E isso ocorre mesmo em meio à colheita no Brasil. Em 4 sessões seguidas de altas, NY acumulou valorização de 9,2% no contrato setembro. Os contratos com entrega em setembro/2022 fecharam o dia a 218,15 centavos de dólar por libra-peso, alta de 1,65 centavo, ou de 0,8%. A posição dezembro/2022 fechou a 213,95 centavos, valorização de 1,75 centavo, ou de 0,8%.

logo