CONECTA NEWS – 23/05/2022

Fique ligado nas principais notícias do agronegócio no Brasil e no mundo. O conteúdo do Conecta News é uma parceria com o SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS

Agricultura

img-news
GRÃOS: Rússia está preocupa com reexportação de membros da Eurásia
Apesar da safra recorde de trigo que a Rússia vai colher em 2022, o país se preocupa com a reexportação de seus grãos por meio dos membros da EAEU (Eurasian Economic Union) e insiste na implementação de cotas de exportação e impostos sobre grãos destes países. A Rússia expressou tal posição na reunião dos membros da EAEU em 20 de maio, informou As fontes disseram que a Rússia insistiu que todos os estados membros deveriam implementar as cotas e tarifas de exportação de grãos para terceiros países. O Ministério da Agricultura da Rússia considera esta medida necessária para evitar a reexportação de grãos russos através da EAEU evitando restrições.

SOJA: Chinesa COFCO estabelece meta para América do Sul até 2030
A COFCO International se comprometeu a tornar sua cadeia de fornecimento de soja livre de desmatamento e conversão de terras até 2030 em regiões ambientalmente sensíveis da América do Sul, incluindo a Amazônia e o Cerrado, disse o comerciante chinês. Como outros comerciantes globais de grãos, a COFCO International prometeu anteriormente uma maior auditoria das lavouras de soja para ajudar a conter o desmatamento no Brasil, responsável por reduzir a biodiversidade e contribuir para o aquecimento global. A meta para 2030 abrangeria a região da floresta amazônica, o cerrado brasileiro e a zona do Gran Chaco, que abrange partes da Argentina, Bolívia, Brasil e Paraguai, disse o presidente-executivo da COFCO International, Wei (David) Dong, em um relatório de sustentabilidade publicado pela empresa nesta segunda-feira.

CAFÉ: NY consolida após semana tensa e fecha praticamente estável
A Bolsa de Mercadorias e Futuros de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica fechou a sessão de hoje com cotações pouco alteradas. Os contratos com entrega em julho/2022 do café arábica encerraram a sessão negociados a 215,75 centavos de dólar por libra-peso, queda de 0,10 centavo (-0,04%) ante ao fechamento anterior. No fechamento, setembro/2022 tinha cotação de 215,95 centavos (-0,02%). O mercado adotou uma postura de consolidação, após uma semana tensa, quando os riscos de geadas no Brasil, maior produtor mundial de café, dominaram as atenções. Geadas leves danificaram apenas algumas folhas dos cafeeiros, o que não deve causar impacto na produção. O Rabobank manteve inalterada sua projeção para a safra brasileira de 2022 em 64,5 milhões de sacas, perto do topo das estimativas de mercado.

MILHO: Preços continuam subindo nos portos ucranianos do Danúbio
Os preços do milho aumentaram ligeiramente nos portos ucranianos do Danúbio (Reni e Izmail) na semana passada. A tendência de alta no mercado europeu veio em meio ao tempo seco e também na previsão de geadas no Brasil, o que apoiou os preços do milho ucraniano, segundo a APK-Inform. Além disso, o USDA e o IGC previram a redução da produção e exportação global de milho no ano comercial 2022/23 que também fez os preços subirem. Além disso, a exportação de milho é muito maior em relação às outras culturas. Os custos mais altos de transporte em meio ao déficit de combustível e seus preços elevados apoiaram também os preços do milho. Ao mesmo tempo, grandes estoques de passagem e capacidades logísticas limitadas não deixaram os preços subirem mais. Os preços da oferta de milho aumentaram em 5-10 USD/t para 235-255 USD/t CPT-port. Os preços de oferta de milho para entrega ao porto de Constanta permaneceram estáveis em 285-305 USD/t ou 275-290 EUR/t. Os preços para entrega ao porto de Giurgiulesti totalizaram 240-255 USD/t. 

SOJA: BCR estima produção argentina de 41,2 milhões de toneladas em 2021/22
Analistas da Bolsa de Valores de Rosario (BCR) estimam uma produção de 41,2 milhões de toneladas para a campanha 2021/22 e a colheita acelera 75% no patamar nacional, apesar da falta de chuva e diesel nas províncias. A safra de soja está 10 pontos percentuais à frente da safra passada. Alguns resultados de rendimentos das áreas de Chaco, Santiago, Córdoba estão melhores que o esperado. Um ajuste positivo na produção é possível perto do final da safra, indicam do BCR. Para já, mantêm-se os valores estimados para abril. Um rendimento nacional de 27,0 qq/ha e uma área plantada de 16,11 mi de ha.

AÇÚCAR: NY fecha em baixa com realização de lucros
A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto encerrou o pregão eletrônico com cotações mais baixas. Os contratos com entrega em julho/2022 encerraram o dia a 19,77 centavos de dólar por libra-peso, baixa de 0,18 centavo (-0,9%). A posição Outubro/2022 fechou cotada a 19,93 centavos (-0,69%). Segundo operadores, o mercado caiu com realização de lucros depois dos ganhos de 4% acumulados ao longo na última semana. A posição julho chegou a encostar em máxima de 20,24 centavos na semana passada, nível mais alto em um mês. No entanto, os futuros do açúcar devem continuar com bua sustentação no curto prazo, na medida em que os sinais macro são positivos e as preocupações com a safra brasileira permaneçam no foco dos investidores. As usinas do Brasil deverão favorecer a produção de etanol em detrimento ao açúcar nesta temporada diante dos altos preços da energia.

MILHO: BCR estima produção de 49,17 milhões de toneladas na Argentina
Analistas da Bolsa de Valores de Rosario (BCR) mantém os números de abril, com produtividade nacional de 68,3 qq/ha, área plantada de 8,42 milhões de hectares (dos quais 1,22 milhão não entrariam no circuito comercial) e uma produção de 49,17 milhões de toneladas na Argentina. Os plantios precoces em geral continuam apresentando produtividades que vão diminuir, mas há milho tarde e áreas que estão começando a melhorar, dizem a BCR. Foi colhido pouco mais de um terço da área de milho, ou 40%, e em relação ao ano passado há um avanço de 5%. Em Córdoba o trabalho está indo muito rápido este ano e já há uma colheita de 40% quando não chegava a 25% no ano passado.

AÇÚCAR REFINADO: Londres fecha sessão com cotações em baixa
A ICE Futures Europe (Bolsa de Londres) para o açúcar refinado fechou as operações com cotações em baixa. Os contratos com entrega em Agosto/2022 fecharam a US$ 552,00 por tonelada, queda de US$ 6,10 a tonelada (-1,09%) na comparação ao fechamento anterior. Outubro/2022 fechou a US$ 538,00 por tonelada, recuo de US$ 3,60 a tonelada (-0,66%).

SOJA: Brasil quer agregar valor em exportações à China, diz vice-presidente
O Brasil quer agregar valor a produtos exportados para a China, em especial, àqueles ligados a soja, minério de ferro e petróleo. As diretrizes que estão sendo elaboradas nos planos bilaterais com o país asiático devem favorecer a abertura das relações e investimentos em setores como agricultura, saúde e comunicações, além de infraestrutura, comércio, educação e sustentabilidade. As afirmações foram feitas hoje (23) pelo vice-presidente, Hamilton Mourão, referindo-se ao que foi debatido pouco antes, durante a 4Sessão Plenária da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban) no Itamaraty. "Queremos agregar valor nas três commodities que mais exportamos para a China: soja e derivados, minério de ferro e petróleo", disse. "E queremos abertura para novos produtos. Hoje, discutimos a questão do trigo que será produzido na Bahia, no Ceará e em Roraima", acrescentou. 
O vice-presidente disse também que o Brasil tentará se beneficiar de alguns fundos verdes criados pelos chineses. "Ano passado, eles [os chineses] criaram um fundo de apoio a ações de combate ao desmatamento visando a promoção do desenvolvimento sustentável da Amazônia. Estamos discutindo formas de termos acesso a esse fundo". Caminho traçado Mourão acrescentou que os documentos que estão sendo elaborados - nas reuniões envolvendo os dois países - estabelecem orientações que deverão ser mantidas pelo próximo governo. "Dois planos avançarão independentemente do governo que for eleito: o estratégico, que vai até o final da década; e o executivo, que vai até o final de 2026", disse. "O governo que assumir encontrará o caminho traçado, com previsibilidade dos objetivos comuns", acrescentou, ao detalhar que os planos têm, entre suas prioridades, a participação chinesa em projetos de infraestrutura previstos pelo Programa de Parcerias de Investimento (PPI), em especial visando a construção do corredor bioceânico que ligará o Brasil ao Pacífico a partir da fronteira com a cidade paraguaia de Porto Murtinho.
logo