CONECTA NEWS – 29/07/2022

Fique ligado nas principais notícias do agronegócio no Brasil e no mundo. O conteúdo do Conecta News é uma parceria com o SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS

Agricultura

img-news
ALGODÃO: NY tem 5a sessão de alta seguida acompanhando petróleo
A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) para o algodão fechou com preços mais altos nesta sexta-feira. NY encerrou a semana e o mês marcando o 5o pregão consecutivo de ganhos, semana toda de altas na bolsa. A valorização do petróleo garantiu suporte para mais um dia de avanços. A alta do petróleo torna mais cara a produção de fibras sintéticas, levando a tendência de subida também da pluma. No balanço da semana, o contrato dezembro acumulou alta de 6,4%. No balanço do mês de julho, esta posição dezembro teve perda, no entanto, acumulada de 2,1%. Os contratos com entrega em dezembro/2022 fecharam o dia a 96,74 centavos de dólar por libra-peso, alta de 0,53 centavo, ou de 0,5%.

MILHO: Chicago fecha em leve alta; realização e trigo pressionam negativamente
A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou a sessão de hoje com preços levemente mais altos. O mercado reduziu bastante os ganhos registrados no início do dia, chegando a ter operado com algumas posições em baixa perto do fechamento. As cotações foram pressionadas por um movimento de realização e pela reversão do trigo, em meio à sinalização de retomada das exportações da Ucrânia. Nesta semana, os contratos com entrega em setembro subiram 9,22%. Em julho, a mesma posição caiu 6,02%. Na sessão, os contratos de milho com entrega em setembro fecharam a US$ 6,16 1/4 por bushel, ganho de 1,25 centavo de dólar, ou 0,2%, em relação ao fechamento anterior. A posição dezembro de 2022 fechou a sessão a US$ 6,20 por bushel, alta de 1,00 centavo, ou 0,16% em relação ao fechamento anterior.

TRIGO: Chicago fecha em baixa significativa atenta a exportações da Ucrânia
A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o trigo encerrou com preços significativamente mais baixos. O mercado reverteu os fortes ganhos registrados mais cedo, pressionado por um movimento de realização de lucros e pela visita do presidente da Ucrânia a um porto no Mar Negro. Nesta semana, os contratos com entrega em setembro subiram 6,42%. Em julho, a mesma posição caiu 8,63%. Volodymyr Zelenskiy visitou o porto de Chornomorsk, buscando mostrar que o país está pronto para exportar grãos após a assinatura do acordo na semana passada. Segundo Zelenskiy, as exportações podem ser retomadas "hoje ou amanhã". Traders seguem céticos quanto ao volume a ser comercializado devido à instabilidade na região. No fechamento de hoje, os contratos com entrega em setembro de 2022 eram cotados a US$ 8,07 3/4 por bushel, recuo de 9,25 centavos de dólar, ou 1,13%, em relação ao fechamento anterior. Os contratos com entrega em dezembro de 2022 eram negociados a US$ 8,25 3/4 por bushel, baixa de 9,50 centavos, ou 1,13% em relação ao fechamento anterior.

SOJA: Clima seco nos EUA determina ganho de quase 12% na semana em Chicago
Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a sexta-feira com preços mais altos pela sexta sessão seguida, ampliando os ganhos da semana e zerando as perdas mensais. As preocupações com o clima seco e de temperaturas elevadas nos Estados Unidos seguiram dando suporte aos contratos. Crescem as preocupações com o potencial produtivo da safra americana e, com isso, os investidores evitam passar o final de semana mal posicionados. Com a alta de hoje, a posição novembro subiu quase 12% na semana, zerando as perdas acumuladas ao longo do mês. No balanço do período, a alta ficou em 0,72%. Os contratos da soja em grão com entrega em setembro fecharam com alta de 30,25 centavos ou 2,07% a US$ 14,87 por bushel. A posição novembro teve cotação de US$ 14,68 1/2 por bushel, com ganho de 28,00 centavos de dólar ou 1,93%. Nos subprodutos, a posição setembro do farelo fechou com baixa de US$ 0,70 ou 0,15% a US$ 442,40 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em setembro fecharam a 66,50 centavos de dólar, com ganho de 2,50 centavo ou 3,90%.

CAFÉ: NY fecha em baixa estendendo realização de lucros
A Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) para o café arábica encerrou as operações desta sexta-feira com preços mais baixos. O mercado teve nesta última sessão de julho mais um dia de muita volatilidade, chegando a operar com ganhos, observando alta do petróleo e com apreensão com queda nos estoques certificados da bolsa e com o clima seco no Brasil. Mas, acabou dando sequência ao movimento do dia anterior de realização de lucros e correção técnica após os recentes ganhos. Mas foi um movimento de realização e ajuste técnico modesto. No balanço semanal, o contrato setembro terminou acumulando alta de 5,1%. Já o mês de julho chega ao final com o contrato acumulando perda de 5,6%, já que NY fechara junho para esta posição a 230,10 centavos. Os contratos com entrega em setembro/2022 fecharam o dia a 217,20 centavos de dólar por libra-peso, baixa de 1,20 centavo, ou de 0,5%. A posição dezembro/2022 fechou a 213,80 centavos, desvalorização de 0,80 centavo, ou de 0,4%.

SOJA: China aprova negociação de algumas opções de grão e óleo
O regulador de valores mobiliários da China aprovou a negociação de algumas opções de grão e óleo de soja na Dalian Commodity Exchange, informou nesta sexta-feira. As negociações começarão em 8 de agosto, disse a Comissão Reguladora de Valores Mobiliários da China (CSRC) em um comunicado. As informações são da Agência Reuters.

ARROZ: Safra 2022/23 da Turquia projetada em 600 mil toneladas
A safra de arroz beneficiado da Turquia na temporada comercial 2022/23 (com início em setembro de 2022) foi estimada em 600 mil toneladas, de acordo com o relatório do Gain Report, do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Na temporada anterior, foram 541 mil toneladas. As importações de arroz beneficiado do país foram previstas em 430 mil toneladas em 2022/23, ante o mesmo valor na temporada anterior. Ao início de 2022/23, os estoques de arroz beneficiado foram estimados em 92 mil toneladas. Os estoques finais são estimados em 92 mil toneladas.

AÇÚCAR: Nova York cai na semana e no mês com sinalizações de excedente de oferta
A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto encerrou o pregão eletrônico com cotações em baixa. Os contratos com entrega em outubro/2022 encerraram o dia a 17,54 centavos de dólar por libra-peso, baixa de 0,18 centavo (-1%), acumulando perda de 1,95% na semana e de 5,2% no mês. A posição Março/2023 fechou cotada a 17,69 centavos (-0,84%). Segundo operadores, o mercado voltou a cair, estendendo o tom negativo da última semana de julho. O açúcar bruto está previsto para terminar este ano acima dos níveis atuais em 18,50 cents, mas ainda representa uma perda anual de 2% à medida que o superávit iminente de 2022/23 aumenta em relação à temporada anterior, mostrou uma pesquisa da Reuters com 10 traders e analistas. A India deve permitir que as usinas exportem mais 1 milhão de toneladas de açúcar nesta temporada, principalmente não refinado. Com informações da Reuters.

AÇÚCAR: Londres fecha sessão com cotações em baixa
A ICE Futures Europe (Bolsa de Londres) para o açúcar refinado fechou as operações com cotações em baixa. Os contratos com entrega em outubro/2022 fecharam a US$ 527,20 por tonelada, queda de US$ 4,40 a tonelada (-0,82%) na comparação ao fechamento anterior. Dezembro/2022 fechou a US$ 497,30 por tonelada, perda de US$ 1,80 a tonelada (-0,36%).

AGRONEGÓCIO: Produtores terão condições diferenciadas para financiamento agrícola
A Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (ABIOVE), o Agro Plus - maior programa privado de assistência técnica agrícola do país - e o Banco do Brasil anunciaram na quinta (28), dia do agricultor, uma parceria inédita que oferece condições diferenciadas de crédito para produtores rurais comprometidos com a melhoria de critérios socioambientais em suas fazendas. O primeiro produtor a utilizar essas condições foi Júlio Cesar Pereira, proprietário da Fazenda Pombo, localizada no município mineiro de Uberlândia. Ele fez um financiamento da ordem de R$ 20 milhões com isenção de tarifa de estudo de contratação, que representa 0,5% do valor total financiado. Nós, da agricultura, estamos sempre prontos para evoluir, e o suporte oferecido pelo Agro Plus é fundamental para isso. O Programa contribui para aumentar nossa competitividade no campo e nos negócios com monitoramento de indicadores de desempenho, isso se faz ainda mais importante neste momento de alta dos custos de produção e demanda do mercado por produtos agrícolas que tenham comprometimento social e ambiental, comenta Júlio Cesar. Para Bernardo Pires, gerente de Sustentabilidade da ABIOVE - entidade responsável pela coordenação do Agro Plus -, o acordo de cooperação técnica celebrado junto ao Banco do Brasil é um divisor de águas para o financiamento agrícola brasileiro. Estamos diante de algo realmente inédito. É a primeira vez que produtores rurais com bons indicadores socioambientais terão à sua disposição condições diferenciadas para contratação de financiamento agrícola, como isenção de tarifas e outros benefícios que serão oferecidos para as próximas safras. Isto só foi possível porque a ABIOVE, o Agro Plus e o Banco do Brasil têm como pilar o compromisso com a agenda ESG, afirma Bernardo. Vale destacar que a isenção de tarifa de estudo de contratação já está disponível nas agências do Banco do Brasil espalhadas pelo país, a partir de sexta (29/07), e todos os produtores participantes do Agro Plus são elegíveis, independentemente do tempo de adesão ao Programa. As informações são da Agro Plus. 

CAFÉ: Londres fecha em alta seguindo petróleo e fatores técnicos
A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (ICE Futures Europa) para o café robusta encerrou as operações desta sexta-feira com preços mais altos. Os preços subiram acompanhando a valorização do petróleo. Fatores técnicos contribuíram para os ganhos e o mercado londrino terminou na contramão do arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US), que quando Londres fechou operava no vermelho. No balanço semanal, o contrato setembro em Londres acumulou alta de 3,5%. Já no balanço de julho, este mesmo contrato acumulou perda de 0,15%. Os contratos para entrega em setembro/2022 fecharam o dia a US$ 2.030 a tonelada, alta de US$ 15 a tonelada, ou de 0,7%. A posição novembro/2022 fechou a US$ 2.028 a tonelada, ganho de US$ 14, ou de 0,7%.

logo