John Deere logo

    Conecta

    Sua fonte centralizada de notícias Agro

    CONECTA NEWS – 06/09/2022

    Fique ligado nas principais notícias do agronegócio no Brasil e no mundo. O conteúdo do Conecta News é uma parceria com o SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS
    Agencia SAFRAS & Mercado, Portal de Notícias
    CONECTA NEWS – 06/09/2022
    CONECTA NEWS – 06/09/2022

    Tags:

    Algodão

    Café

    Grãos

    Alimentação

    Cana-de-Açúcar

    Soja

    Clima

    Agricultura

    Arroz

    Trigo

    AÇÚCAR: Indicador de preços da FAO cai para o menor nível desde julho de 2021
    O indicador de preços globais do açúcar da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) somou 110,40 pontos em agosto, queda de 2,4 pontos ( ou 2,1% ) contra julho, recuando pelo quarto mês consecutivo e atingindo o nível mais baixo desde julho de 2021. Conforme a FAO, O declínio nos preços em agosto foi engatilhado principalmente por um crescimento das exportações da India e pelos preços mais baixos do etanol no Brasil, fatores que sinalizam para um maior desvio de cana para a produção de açúcar. No entanto, a produção menor que a esperada na primeira quinzena de agosto no Centro-Sul do Brasil diante de adversidades climáticas e as consistentes condições de estiagem em partes das regiões produtoras de beterraba da Europa evitaram quedas mais substanciais no indicador de preço do açúcar. Por fim, o fortalecimento da moeda brasileira ante o dólar também contribuiu para amenizar a queda nos preços globais do açúcar.

    CAFÉ: Sem a referência da Bolsa de NY, Londres recua em meio a fatores técnicos
    A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (ICE Futures Europa) para o café robusta encerrou as operações desta segunda-feira com preços moderadamente mais baixos. As negociações foram mais lentas neste começo de semana para o café robusta em Londres. Não houve o mercado futuro do arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US), que esteve fechada em observação ao feriado do Dia do Trabalho nos Estados Unidos, e assim Londres perdeu seu principal referencial. Fatores técnicos comandaram as ações, com o mercado na expectativa para a reabertura de NY nesta terça-feira. Nas notícias, o Rabobank revisou para baixo a produção global de café em 2022/23. O Rabobank reduziu nesta segunda-feira sua previsão para a produção global decaféna temporada 2022/23. O banco agora vê a produção global de café atingindo 169 milhões de sacas de 60 kg em 2022/23, de 172,3 milhões de sacas previstas anteriormente, e espera que o mercado registre um déficit de 1,3 milhão de sacas como resultado, principalmente em arábica. As informações partem da Reuters. Os contratos para entrega em novembro/2022 fecharam o dia a US$ 2.217 a tonelada, baixa de US$ 6 a tonelada, ou de 0,3%. A posição janeiro/2023 fechou a US$ 2.209 a tonelada, queda de US$ 6, ou de 0,3%.

    TRIGO: Região de Ponta Grossa (PR) tem bom desenvolvimento, mas chuvas preocupam
    As lavouras de trigo dos municípios que compõe o núcleo regional de Ponta Grossa do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Agricultura do Paraná têm bom desenvolvimento. Segundo o economista Luiz Alberto Vantroba, em entrevista exclusiva à Agência SAFRAS, os controles fitossanitários vinham ocorrendo normalmente até a semana passada. "Desde sábado, voltou a chover e parou tudo. Por enquanto, as plantas têm bom porte, bom desenvolvimento e baixa incidência de doenças. O que preocupa, agora, é o excesso de chuvas. Até o final de semana, há previsão de excesso de umidade e pouca luminosidade. Se confirmar, podemos ter problemas", disse. A produtividade segue estimada em 3,8 toneladas por hectare. As lavouras se dividem entre as fases de desenvolvimento vegetativo (20%), floração (45%), frutificação (30%) e maturação (5%). A colheita deve começar na segunda quinzena de setembro.

    CARNE SUINA: Apreensão em aeroporto do RJ acende alerta contra Peste Africana
    Em mais uma ação dos auditores fiscais federais agropecuários do Serviço de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro), no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (Galeão), neste fim de semana (domingo) foram apreendidos 5,6 kg de produtos de origem suína produzidos na Rússia, país que no momento tem focos de Peste Suína Africana (PSA), oferecendo grande risco para a entrada da doença no Brasil, erradicada desde o final da década de 1970. Salames, linguiças e outros produtos derivados de carne suína foram encontradas em bagagem de passageiro vindo da Rússia. Desde que o alerta mundial para o risco do retorno da doença foi emitido em julho do ano passado, quando focos da PSA foram identificados na República Dominicana, o Brasil vem se precavendo para evitar a contaminação de seus rebanhos suínos, assim como outros países. O Sindicato dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (ANFFA Sindical) reforça que passageiros vindos de países com focos de doenças e pragas de interesse agropecuário devem sempre ser vistos como alvo da vigilância agropecuária. "Investimentos em inteligência e ferramentas para aprimorar a seleção de alvos são imprescindíveis para o serviço de proteção da produção agropecuária brasileira", destaca Janus Pablo, presidente do ANFFA. Além disso, alerta para a necessidade de se ampliar o quadro de auditores fiscais federais agropecuários (affas) em todo o país, o que também vai assegurar maior eficiência nessas ações de proteção e defesa agropecuária. Segundo o Sindicato, hoje há uma carência de quase 2 mil affas no Brasil. A doença afeta somente os suínos. É uma doença viral contagiosa, que não tem cura e nem tratamento, podendo dizimar rebanhos. Além disso, segundo estimativa da Embrapa, se a PSA entrasse no país poderia causar prejuízo de aproximadamente, US 5,5 bilhões, somente no primeiro ano. Por essa razão o Brasil, por meio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), vem realizando forças-tarefas para evitar a entrada da doença em território brasileiro, que pode ocorrer a partir de um minúsculo pedaço contaminado de derivados da carne suína vinda de outros países. O Brasil é hoje o quarto maior produtor de carne suína no mundo (4,4 milhões de toneladas), tendo como maior compradora a China, que continua se posicionando como principal importadora e produtora da carne suína. A União Europeia lidera a exportação mundial. Com informações do Sindicato dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (ANFFA Sindical).

    MILHO: Plantio na região de Guarapuava (PR) atinge entre 13% e 14%
    O plantio de milho nos municípios que compõe o núcleo regional de Guarapuava do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Agricultura do Paraná está entre 13% e 14%. Segundo o engenheiro agrônomo, Dirlei Manfio, a área é projetada em 60 mil hectares. "Os produtores anteciparam a semeadura da cultura para que possam plantar feijão", observou.

    TRIGO: Lavouras na região de Guarapuava (PR) têm clima favorável e bom desenvolvimento
    As lavouras de trigo dos municípios que compõe o núcleo regional de Guarapuava do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Agricultura do Paraná têm clima favorável e bom desenvolvimento. Segundo o agrônomo Dirlei Manfio, em entrevista exclusiva à Agência SAFRAS, ainda não teve nada colhido. As lavouras estão em desenvolvimento vegetativo, querendo entrar em floração, ressalta. A região possui um plantio tardio, e iniciará a colheita entre outubro e novembro, indo até o início de dezembro. O clima está favorável estamos vindo de um período de aproximadamente 4 dias de chuvas intensas, mas isso não prejudicou as lavouras, afirma o agrônomo. A área é estimada em 70,1 mil hectares, um aumento de 7,6% na comparação com o ano passado. A alta leva em conta os preços favoráveis. A produtividade esperada é entre 4 mil e 4,4 mil toneladas por hectare.

    MILHO: Plantio atinge 45% da área na região de Ponta Grossa (PR)
    O plantio de milho de verão atinge 45% da área no núcleo regional de Ponta Grossa do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Agricultura do Paraná. Os trabalhos devem ser praticamente finalizados na primeira quinzena de setembro. Segundo o economista Luiz Alberto Vantroba, a superfície é projetada em 77,52 mil hectares, contra 81,75 mil no ano passado. A redução leva em conta os altos custos de produção, os baixos preços e a expectativa de alta incidência de pragas e doenças. A produtividade inicial é estimada em 11,5 toneladas por hectare, mesmo número do início do ano passado. No fechamento da última safra, houve quebra de 40% devido à estiagem.

    CARNE BOVINA: Auditoria da Sérvia na Argentina termina, com olhos na abertura da exportação
    O Serviço Nacional de Sanidade e Qualidade Agroalimentar (Senasa) recebeu uma auditoria do Ministério da Agricultura, Florestas e Gestão da Água (MABGA) da Sérvia com o objetivo de abrir as exportações argentinas ao mercado de carne bovina. A delegação sérvia, composta por quatro agentes, iniciou sua auditoria na segunda-feira, 29 de agosto, e durante esse período percorreu o Laboratório do Organismo, a sede do Centro Regional Norte Buenos Aires, estabelecimentos pecuários e frigoríficos, localizados na província de Buenos Aires, onde verificou os processos de saúde e segurança animal e qualidade na produção e processamento de produtos cárneos. "O Certificado Internacional de Exportação Veterinária está formalmente acordado por ambas as partes, então o objetivo da auditoria foi verificar o cumprimento das garantias sanitárias e habilitar 18 estabelecimentos exportadores argentinos, assegurou o vice-presidente da Senasa, Rodolfo Acerbi. O serviço de saúde sérvio enviará seu relatório final com as conclusões oficiais da auditoria em aproximadamente um mês para continuar avançando para a abertura das exportações de carne bovina para o país. Com informações da Agência CMA Latam.