John Deere logo

    Conecta

    Sua fonte centralizada de notícias Agro

    CONECTA NEWS – 20/06/2022

    Fique ligado nas principais notícias do agronegócio no Brasil e no mundo. O conteúdo do Conecta News é uma parceria com o SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS
    Agencia SAFRAS & Mercado, Portal de Notícias
    CONECTA NEWS – 20/06/2022
    CONECTA NEWS – 20/06/2022

    Tags:

    Café

    Grãos

    Alimentação

    Algodão

    Agricultura

    Arroz

    Clima

    Soja

    Trigo

    Cana-de-Açúcar

    CAFÉ: Londres fecha com leve baixa em dia lento sem sessão em NY
    A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (ICE Futures Europa) para o café robusta encerrou as operações desta segunda-feira com preços ligeiramente mais baixos. Londres teve uma sessão mais lenta de negócios diante da ausência de pregão para o arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US), em função do feriado do Dia da Liberdade nos Estados Unidos. Sem pregão em NY, Londres apresentou até uma volatilidade importante, mas teve dificuldades para um melhor direcionamento. Ao final, terminou próximo da estabilidade, apenas com leves perdas. A expectativa está voltada agora para a reabertura dos negócios em Nova York nesta terça-feira. As atenções nos mercados em linhas gerais seguem voltadas para a atuação de bancos centrais visando conter a inflação, o que gera temores de aumentos nas taxas de juros e recessão global. Isso traz a apreensão com queda na demanda por produtos agrícolas. Os contratos para entrega em julho/2022 fecharam o dia a US$ 2.064 a tonelada, baixa de US$ 1, ou de 0,04%. A posição setembro/2022 fechou a US$ 2.077 a tonelada, queda de US$ 2, ou de 0,1%.

    AÇÚCAR REFINADO: Londres sobe com sinalização de aperto na oferta
    A ICE Futures Europe (Bolsa de Londres) para o açúcar refinado fechou as operações com cotações levemente mais altas. Os contratos com entrega em Agosto/2022 fecharam a US$ 565,40 por tonelada, alta de US$ 4,00 a tonelada (+0,71%) na comparação ao fechamento anterior. Outubro/2022 fechou a US$ 537,90 por tonelada, alta de US$ 2,50 a tonelada (+0,46%). As cotações subiram diante da perspectiva de que os embargos à exportação na India na temporada 2022/23 (outubro-setembro) poderão reduzir a oferta global de açúcar mais para o final do ano.

    ARROZ: Exportações da Tailândia totalizam 2,404 milhões de toneladas no ano
    As exportações de arroz da Tailândia totalizaram 101,211 mil toneladas na semana compreendida entre 29 de maio e 5 de junho. A média das últimas quatro semanas ficou em 114,548 mil toneladas. No acumulado do ano, as exportações somam 2,404 milhões de toneladas, ante 1,358 milhão em igual período do ano passado. Não estão computadas neste número as exportações de arroz aromático. As informações são Gain Report, do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

    GRÃOS: Exportações da Ucrânia caem 55,5% até o momento em junho
    As exportações de grãos da Ucrânia caíram 55,5% nos primeiros vinte dias de junho, na comparação com igual período de 2021. O volume totalizou 777 mil toneladas, conforme dados do ministério da agricultura. O volume inclui 689 mil toneladas de milho, 63 mil toneladas de trigo e 21 mil toneladas de cevada. Antes da invasão russa, a Ucrânia exportava até 6 milhões de toneladas ao mês. Os volumes caíram para cerca de 1,7 milhão de toneladas devido aos bloqueios dos portos marítimos, obrigando o transporte ferroviário pela fronteira ocidental.

    ECONOMIA: BCE pode subir taxas de juros em 0,25% na reunião de julho
    Em um discurso no Parlamento Europeu hoje, na Comissão de Assuntos Econômicos e Monetários, a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, afirmou que o banco poderá subir a taxa de juro em 25 pontos-base caso os membros do conselho do banco considerem que as condições são adequadas. "O atual ambiente de inflação, com números bem acima da nossa meta, é claramente um desafio. É por isso que em sua reunião de 8 a 9 de junho, o Conselho do BCE expressou seu compromisso inabalável de trazer a inflação de volta à sua meta de médio prazo de 2%. Primeiro, decidimos encerrar as compras líquidas de ativos sob nosso programa de compra de ativos (APP) a partir de 1 de julho de 2022", disse. "Em segundo lugar, uma vez que o Conselho conclua que as condições subjacentes à nossa orientação para o futuro foram satisfeitas, pretendemos aumentar as taxas de juro do BCE em 25 pontos base na nossa reunião de política monetária de julho". 
    Em seguida, olhando para a frente, o BCE espera aumentar ainda mais a taxa em setembro. "Se a perspectiva de inflação de médio prazo persistir ou se deteriorar, um incremento maior será apropriado em nossa reunião de setembro". Os membros do banco ainda preveem aumentos sustentados nas próximas reuniões. "Em linha com o compromisso com a meta de inflação de médio prazo de 2%, o ritmo em que ajustamos nossa política monetária dependerá dos dados recebidos e de como avaliamos a evolução da inflação no médio prazo". 
    Lagarde falou do panorama da economia da zona do euro, com os altos custos da energia, problemas na cadeia de suprimentos e grandes incertezas. "Ao mesmo tempo, a atividade no setor de serviços está apoiando o crescimento e espera-se que a recuperação deste setor se fortaleça nos próximos meses", disse. O aumento na atividade nesse setor se deve, segundo ela, por conta do relaxamento das restrições da pandemia. Isso também impulsiona o turismo, especialmente nesta época, que é verão no hemisfério norte. Outro fator que vem influenciando a inflação é o crescimento nos salários. "Esperamos ele se fortaleça ligeiramente ao longo de 2022 e depois permaneça acima dos níveis médios para o horizonte de projeção, apoiado por mercados de trabalho apertados, aumentos dos salários-mínimos e alguns efeitos de compensação pelas altas taxas de inflação". Isso acarreta uma inflação de mais longo prazo. "Sinais iniciais de revisões acima da meta para essas medidas, no entanto, justificam um monitoramento próximo". Ela concluiu seu discurso lembrando que a guerra contra a Ucrânia afeta direta e gravemente a economia da zona do euro, mas acredita que há condições de crescimento no médio prazo. "A política fiscal está ajudando a amortecer o impacto da guerra e os governos intervieram para diminuir a inflação de energia".

    ALGODÃO: Brasil exporta 1,6 milhão de tonelada de agosto/21 a maio/22
    O Brasil exportou 1,6 milhão de toneladas no acumulado de agosto a maio de 2022, totalizando uma receita de US$ 3,01 bilhões. O volume embarcado é 28,4% inferior ao registrado no mesmo período de 20/21. No acumulado de agosto de 2021 a maio de 2022, a China segue como o principal destino das exportações brasileiras (449 mil toneladas) e representa 28% das exportações acumuladas. Os destinos China, Vietnã e Paquistão representam 70% da queda acumulada das exportações, até o momento. Apesar do menor volume total exportado, 12 países aumentaram as importações brasileiras, com destaque para Itália (+1,89 mil toneladas) e Filipinas (+1,78 mil toneladas) e Portugal (+0,5 mil toneladas). As informações são da Abrapa.

    MILHO: Importações chinesas da Ucrânia despencam em meio à invasão russa
    As importações chinesas de milho da Ucrânia em maio caíram em comparação com um ano atrás, mostraram dados alfandegários nesta segunda-feira, após o conflito entre a Rússia e a Ucrânia cortar os embarques. De acordo com a Agência Reuters, a China, o maior importador mundial de milho, trouxe 126.727 toneladas do grão amarelo da Ucrânia, uma queda acentuada ante as 1,26 milhão de toneladas adquiridas há um ano, de acordo com dados da Administração Geral da Alfândega. As exportações de grãos da Ucrânia, um grande produtor e exportador no mercado global, foram cortadas depois que a Rússia invadiu o país europeu no final de fevereiro. Pequim tem buscado importações alternativas de milho de outras origens, incluindo permitir cargas de Mianmar e abrir caminho para embarques brasileiros, mas um substituto ainda não se tornou significativo em volume. A China trouxe 1,9 milhão de toneladas de milho dos EUA em maio, um pouco acima de 1,89 milhão de toneladas há um ano, mostraram dados alfandegários. Nos primeiros cinco meses, as cargas de milho dos EUA chegaram a 6,37 milhões de toneladas, contra 6,67 milhões de toneladas um ano antes. Os embarques da Ucrânia no período foram de 4,82 milhões de toneladas, um pouco abaixo das 4,99 milhões de toneladas de um ano atrás, de acordo com os dados. A Rússia chama suas ações na Ucrânia de "operação especial" que, segundo ela, não foi projetada para ocupar território, mas destruir as capacidades militares de seu vizinho do sul e capturar o que considera como nacionalistas perigosos.

    GRÃOS: Hungria oferece rota de exportação à Ucrânia
    Nesta segunda-feira, o ministro das Relações Exteriores da Hungria, Peter Szijjarto, declarou que o país ofereceu seu território como uma possível rota para as exportações de grãos ucranianos devido à interrupção das rotas habituais através do Mar Negro causada pela invasão da Rússia. Segundo informações da Agência Reuters, Szijjarto, que fez a proposta em uma reunião de ministros das Relações Exteriores da UE, também disse que não espera nenhuma interrupção no fornecimento de gás russo à Hungria.

    TRIGO: Preços de exportação da safra nova russa caem com fraca demanda
    Os preços de exportação do trigo da nova safra da Rússia, que deve começar a ser colhida nos próximos dias, caíram na semana passada, acompanhando a retração em Chicago e a fraca demanda. Segundo a consultoria agrícola, IKAR, o trigo com 12,5% de proteína embarcado nos portos do Mar Negro caíram US$ 5 por tonelada para US$ 420 free on board (FOB). O número de vendas ainda é pequeno. Outra consultoria, a SovEcon, estimou os preços entre US$ 403 e US$ 410 por tonelada, sem variação ante a semana passada. A Rússia exportou 220 mil toneladas de grãos na semana passada ante 340 mil toneladas uma semana antes, conforme a SovEcon, citando dados dos portos. No mercado doméstico, os preços caíram devido à menor demanda, à maior oferta e à força do rublo. As informações são da Agência Reuters.