John Deere logo

    Conecta

    Sua fonte centralizada de notícias Agro

    CONECTA NEWS – 23/08/2022

    Fique ligado nas principais notícias do agronegócio no Brasil e no mundo. O conteúdo do Conecta News é uma parceria com o SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS
    Agencia SAFRAS & Mercado, Portal de Notícias
    CONECTA NEWS – 23/08/2022
    CONECTA NEWS – 23/08/2022

    Tags:

    Cana-de-Açúcar

    Algodão

    Grãos

    Alimentação

    Café

    Soja

    Arroz

    Clima

    Trigo

    Agricultura

    SOJA: Line-up projeta embarques de 5,505 milhões de toneladas pelo Brasil em agosto
    O line-up, a programação de embarques nos portos brasileiros, projeta a exportação de 5,505 milhões de toneladas de soja em grão para agosto, conforme levantamento realizado por SAFRAS & Mercado. O volume já embarcado no mês soma 3,705 milhões de toneladas. No mesmo mês do ano passado, exportações somaram 5,726 milhões de toneladas segundo estimativa. Em julho, foram 7,074 milhões de toneladas. Para setembro, são previstas 1,193 mil toneladas. De janeiro a agosto de 2022, o line-up apontou o embarque de 66,859 milhões de toneladas. Em igual período do ano passado, foram embarcadas 74,211 milhões de toneladas. A Secretaria do Comércio Exterior (Secex) indica o embarque no período em 64,797 milhões de toneladas.

    BIOCOMBUSTIVEIS: Mesa de Abastecimento de Etanol do MME se reúne em Mato Grosso
    O Presidente Executivo da União dos Produtores de Bioenergia (Udop), Antonio Cesar Salibe cumpre agenda desde ontem (22) em Mato Grosso para a Reunião do Comitê de Abastecimento de Etanol do Ministério de Minas e Energia (MME). Durante dois dias o comitê vai se reunir para a discussão de temas voltados para a Mesa de Abastecimento de Etanol e para uma extensa agenda que inclui visitas às unidades de produção de etanol de milho, Inpasa -- Unidade Sinop e FS -- Unidade Sorriso. Nas discussões da Mesa de Etanol desta segunda-feira os participantes assistiram às apresentações da ANP -- Avaliação de mercado; da EPE -- Perspectivas de mercado para o Ciclo-Otto na safra 2022/23; e da UNICA/UNEM/FNS -- Percepção do setor de produção para a safra 2022/23. Além da reunião e suas importantes discussões, Salibe destacou à Agência UDOP de Notícias que a visita às unidades Inpasa e FS demonstraram de forma clara a importância da produção de etanol de milho que tem se mantido numa crescente e se firmado como uma alternativa muito viável para a manutenção dos estoques atuais de etanol. "É uma tecnologia de produção que veio para ficar e suplementa, de forma direta, a produção de etanol de cana, contribuindo, de forma inequívoca, para a matriz energética limpa e renovável do Brasil", destacou o presidente executivo da UDOP. Salibe ainda enalteceu o ótimo trabalho desenvolvido pelo Coordenador Geral de Etanol do MME, Marlon Arraes Jardim Leal, na condução da Reunião do Comitê; além de toda a recepção e excelente condução dos trabalhos do Silvio Rangel, presidente do Sindálcool/MT; da Lhais Sparvoli, Diretora Executiva do -- Sindálcool/MT; do Guilherme Nolasco, Presidente da UNEM; e dos diretores da Inpasa e da FS pela recepção. As informações partem da Agência UDOP de notícias.

    CANA: Safra tem produtividade e qualidade superiores na maioria das regiões – CTC
    Crescimento da produtividade dos canaviais colhidos e qualidade superior da matéria prima (ATR) em quase todas as regiões do Centro-Sul no mês de julho, em relação a junho. É o que indica o Boletim De Olho na Safra, divulgado hoje pelo Centro de Tecnologia Canavieira. Os destaques positivos da produtividade são das regiões de São José do Rio Preto e Araçatuba, que tiveram ganho de mais de 20%. Já a região de Mato Grosso do Sul registrou perda de produtividade de aproximadamente 2%. No acumulado desta safra (abril a julho), a produtividade no Centro Sul também é superior à observada no ciclo anterior na maioria das regiões. A variação da média é de 2,5% de ganho. A qualidade da matéria-prima (ATR) colhida no mês de julho foi superior em praticamente todas as regiões do Centro-Sul se comparada à de 2021. Na média, os canaviais do Centro-Sul estão cerca de 1 a 2 quilos de ATR/ton a menos ou a mais do que na safra passada. Minas Gerais obteve o maior ganho em julho, com 7% a mais do que na safra passada. No acumulado dos quatro primeiros meses desta safra, porém, a qualidade da matéria-prima, se comparada ao mesmo período do ciclo anterior, é inferior em praticamente todos os estados, com destaques negativos nos estados de Mato Grosso do Sul e Paraná. As informações partem da assessoria de imprensa do CTC.

    TRIGO: Chicago acompanha vizinhos e sobe forte avaliando lavouras
    A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o trigo encerrou com preços acentuadamente mais altos. O mercado acompanhou a disparada do milho e da soja. As condições as lavouras nos Estados Unidos e na Europa também são foco das atenções, uma vez que a guerra na Ucrânia interrompeu o fornecimento pelo Mar Negro. O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou dados sobre as condições das lavouras americanas de trigo primavera. Segundo o USDA, até 21 de agosto, 64% estão entre boas e excelentes condições (o mercado esperava 64%), 28% em situação regular e 8% em condições entre ruins e muito ruins. Na semana passada, os percentuais ficavam em 64%, 30% e 6%, respectivamente. A colheita das lavouras de trigo primavera, até 21 de agosto, estava apontada em 33%. Na semana passada, eram 16%. Em igual período do ano passado, o número estava em 74% e a média dos últimos cinco anos é de 54%. O USDA divulgou relatório sobre a evolução da colheita das lavouras de trigo de inverno. Até 21 de agosto, a colheita estava apontada em 95%. O mercado esperava 96%. Na semana passada, eram 90%. Em igual período do ano passado, o número estava em 99% e a média dos últimos cinco anos é de 97%. No fechamento de hoje, os contratos com entrega em setembro de 2022 eram cotados a US$ 7,82 3/4 por bushel, ganho de 12,25 centavos de dólar, ou 1,58%, em relação ao fechamento anterior. Os contratos com entrega em dezembro de 2022 eram negociados a US$ 8,00 1/2 por bushel, alta de 12,25 centavos, ou 1,55%, em relação ao fechamento anterior.

    ALGODÃO: NY estende movimento de realização de lucros
    A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) para o algodão fechou com preços mais baixos nesta terça-feira. O mercado estendeu nesta terça-feira o movimento de correção técnica, com realização de lucros. Nem mesmo a alta do petróleo e a baixa do dólar contra outras moedas, e a piora nas condições das lavouras americanas (segundo relatório semanal do USDA) evitaram as perdas no dia. O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou dados sobre as condições das lavouras americanas de algodão nesta segunda-feira, com melhora no quadro. Segundo o USDA, até 21 de agosto, 31% estavam entre boas e excelentes condições, 29% em situação regular e 40% em condições entre ruins e muito ruins. Na semana passada, eram 34%, 31% e 35%, respectivamente. Os contratos com entrega em dezembro/2022 fecharam o dia a 112,23 centavos de dólar por libra-peso, baixa de 1,91 centavo, ou de 1,7%.

    CARNES: Instituto Nacional continua com auditorias em açougues no Uruguai
    O Instituto Nacional da Carnes do Uruguai (INAC) informou que em setembro continuarão as auditorias nos negócios de venda de carnes para melhorar a formalização e promover a profissionalização e competitividade das atividades comerciais no mercado interno. As experiências de diagnóstico são desenvolvidas em todos de abates, explicou a entidade, de forma a implementar uma ferramenta de apoio ao funcionamento dos negócios e são disponibilizadas por empresas especializadas na área, em regime de coordenação e supervisão pelo INAC.

    MILHO: Temor de menor safra nos EUA impulsiona preços em Chicago
    A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou a sessão de hoje com preços acentuadamente mais altos. O mercado foi impulsionado pela forte alta nos preços do petróleo, bem como pelo clima quente e seco, que reduz o potencial produtivo das lavouras norte-americanas. As condições das lavouras do país pioraram e os primeiros números do Crop Tour também vieram favoráveis aos preços, ao apontarem rendimento menor. Segundo a Reuters, isso gera temores de que a safra do país possa ser menor do que o esperado. O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou dados sobre as condições das lavouras americanas de milho. Segundo o USDA, até 21 de agosto, 55% estavam entre boas e excelentes condições (o mercado esperava 57%), 27% em situação regular e 18% em condições entre ruins e muito ruins. Na semana anterior, os números eram de 57%, 27% e 16%, respectivamente. A produtividade da safra de milho de Dakota do Sul deve ficar bem abaixo da média e bem inferior à temporada passada. A informação foi repassada por participantes da "Crop Tour", realizada pela Pro Farmer. O rendimento médio está estimado em 118,45 bushels com acre. A média do estado nos últimos três anos ficou em 161,59 bushels por acre. No ano passado, o rendimento foi de 151,45 bushels por acre. As lavouras de milho em Ohio, no leste dos Estados Unidos, estão se desenvolvendo piores neste ano, na comparação com o ano passado. Em relação à média dos últimos três anos, o número é melhor. Segundo a Pro Farmer, a produtividade média do milho deve ficar em 174,17 bushels por acre em Ohio. No ano passado, o rendimento médio foi estimado em 185,06 bushels por acre. A média dos últimos três anos é de 169,03 bushels por acre. Na sessão, os contratos de milho com entrega em setembro fecharam a US$ 6,60 por bushel, ganho de 26,50 centavos de dólar, ou 4,18%, em relação ao fechamento anterior. A posição dezembro de 2022 fechou a sessão a US$ 6,55 1/4 por bushel, alta de 26,25 centavos, ou 4,17% em relação ao fechamento anterior.

    CAFÉ: Estoques certificados de Nova York subiram 25.917 sacas em 23/08
    Os estoques certificados de café nos armazéns credenciados da Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) na posição de 23 de agosto de 2022 estão em 635.667 sacas de 60 quilos, com aumento de 25.917 sacas em relação ao dia anterior.