John Deere logo

    Conecta

    Sua fonte centralizada de notícias Agro

    CONECTA NEWS – 24/10/2022

    Fique ligado nas principais notícias do agronegócio no Brasil e no mundo. O conteúdo do Conecta News é uma parceria com o SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS
    Agencia SAFRAS & Mercado, Portal de Notícias
    CONECTA NEWS – 24/10/2022
    CONECTA NEWS – 24/10/2022

    Tags:

    Trigo

    Clima

    Soja

    Arroz

    Agricultura

    Algodão

    Grãos

    Alimentação

    Cana-de-Açúcar

    Café

    MERCADO TRIGO: Brasil tem negócios pontuais e foco na colheita no RS e no PR
    O mercado brasileiro de trigo iniciou a semana com reportes pontuais de negócios. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento, os produtores seguem com as atenções voltadas para a colheita. No Paraná, os dias de sol devem possibilitar um bom avanço nos trabalhos de colheita. "Ainda não se tem uma quantificação dos efeitos do excesso de chuva sobre as lavouras, mas, a certeza que existe é de que a quebra - especialmente de qualidade - será grande", observou. No Rio Grande do Sul, as condições seguem favoráveis e devem levar a um recorde de produção. "Se o clima continuar ajudando a qualidade deve ser boa e os produtores encontraram demanda dos moinhos gaúchos, na exportação e de outros estados brasileiros, em especial do Paraná", salientou o analista. Chicago A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o trigo encerrou com preços significativamente mais baixos. O mercado acelerou a queda perto do fim da sessão pressionado pela força do dólar e por sinais de fraca demanda pelo grão dos Estados Unidos. A moeda norte-americana subiu na comparação com uma cesta de outras moedas. A exceção foi o euro. A força do dólar tira competitividade das commodities estadunidenses no cenário exportador. Segundo agências internacionais, os investidores acompanham com cautela as negociações sobre a eventual renovação do acordo para o corredor de grãos no Mar Negro. Mais cedo, a Reuters, citou o otimismo de traders após o embarque de 40 mil toneladas de trigo da Ucrânia para o Iêmen. A Dow Jones, por outro lado disse que as incertezas sobre a renovação fazem com que os agentes do mercado evitem apostas em qualquer direção. As inspeções de exportação norte-americana de trigo chegaram a 125.582 toneladas na semana encerrada no dia 20 de outubro, conforme relatório semanal divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). O mercado esperava o número em 350 mil toneladas. Na semana anterior, as inspeções de exportação de trigo haviam atingido 233.937 toneladas. Em igual período do ano passado, o total inspecionado fora de 197.479 toneladas. No fechamento, os contratos com entrega em dezembro de 2022 eram cotados a US$ 8,38 3/4 por bushel, baixa de 12,00 centavos de dólar, ou 1,41%, em relação ao fechamento anterior. Os contratos com entrega em março de 2023 eram negociados a US$ 8,58 1/4 por bushel, retração de 11,25 centavos, ou 1,29%, em relação ao fechamento anterior. Câmbio O dólar comercial encerrou a sessão em alta de 2,97%, sendo negociado a R$ 5,3010 para venda e a R$ 5,2990 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,2050 e a máxima de R$ 5,3020.

    TRIGO DE INVERNO: USDA aponta plantio em 79% nos Estados Unidos
    O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou relatório sobre a evolução do plantio das lavouras de trigo de inverno. Até 23 de outubro, a semeadura estava apontada em 79%. O mercado esperava 81%. Na semana passada, eram 69%. Em igual período do ano passado, o número estava em 79% e a média dos últimos cinco anos é de 78%.

    ALGODÃO: USDA estima 30% das lavouras entre boas e excelentes condições nos EUA
    O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou dados sobre as condições das lavouras americanas de algodão. Segundo o USDA, até 23 de outubro, 30% estavam entre boas e excelentes condições, 25% em situação regular e 45% em condições entre ruins e muito ruins. Na semana passada, eram 31%, 23% e 46%, respectivamente.

    ALGODÃO: USDA aponta colheita em 45% nos Estados Unidos
    O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou relatório sobre a evolução da colheita das lavouras de algodão. Até 23 de outubro, a área colhida era apontada em 45%. Na semana passada, eram 37%. Em igual período do ano passado, o número estava em 34% e a média dos últimos cinco anos é de 39%.

    ALGODÃO: NY tem forte baixa com apreensões com recessão e demanda
    A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) para o algodão fechou com preços acentuadamente mais baixos nesta segunda-feira. Os preços voltaram a tombar com as preocupações em torno da recessão global. Há muitos temores sobre o efeito da desaceleração econômica na demanda por tecidos feitos de algodão. Restrições ainda na China com lockdowns pela Covid também pesam sobre as cotações. O mercado aguarda ainda os dados sobre as condições das lavouras americanas, divulgados pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. Os contratos com entrega em dezembro/2022 fecharam o dia a 76,13 centavos de dólar por libra-peso, desvalorização de 3,00 centavos, ou de 3,8%. A posição março/2023 fechou a 75,74 centavos, baixa de 2,81 centavos, ou de 3,6%.

    SOJA: USDA aponta colheita em 80% nos Estados Unidos
    O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou relatório sobre a evolução colheita das lavouras de soja. Até 23 de outubro, a área colhida estava apontada em 80%. O mercado esperava 77%. Na semana passada, eram 63%. Em igual período do ano passado, a colheita era de 71%. A média é de 67%.

    MILHO: USDA aponta colheita em 61% nos Estados Unidos
    O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou relatório sobre a evolução da colheita das lavouras de milho. Até 23 de outubro, a área colhida estava em 61%. O mercado esperava 62%. Na semana passada, eram 45%. Em igual período do ano passado o número era de 64%. A média para os últimos cinco anos é de 52%.

    CAFÉ: Embarques de outubro estão em 2,370 milhões de sacas Secex
    As exportações brasileiras de café em grão em outubro estão no total em 2.370.253 sacas de 60 quilos no acumulado do mês até o dia 23, com 14 dias úteis computados (média diária de 169.303 sacas), com receita chegando a US$ 577,680 milhões (média diária de US$ 41,263 milhões), e preço médio de US$ 243,721 por saca. A receita média diária obtida com as exportações de café em grão em outubro é 47,8% maior no comparativo com a média diária de outubro de 2021, que fora de US$ 27,917 milhões. Já o volume médio diário embarcado é 7,6% maior que o de outubro de 2021, que tinha o registro de 157.370 sacas diárias de média. O preço médio, por sua vez, disparou 37,4%. Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

    AGRICULTURA: Ministério da Pecuária do Uruguai declara emergência devido à seca
    O ministro da Pecuária, Agricultura e Pesca do Uruguai, Fernando Mattos, explicou que o país está em situação de emergência devido à seca. Ele anunciou que mais de 350 milhões de pesos serão liberados do fundo para esta emergência, para ajudar pequenos produtores familiares ou com menos de 500 hectares. Mattos mencionou que os dados comparativos de 2021 mostram que há um déficit hídrico mais acentuado em um momento complexo, já que a primavera é a estação do desenvolvimento vegetativo. Da mesma forma, que é o terceiro ano consecutivo que se decide declarar a emergência agrícola, e que em 2021 abrangeu 12 milhões de hectares e mais de 1.500 produtores. Por outro lado, considerou que é um processo cumulativo, não há disponibilidade de umidade no solo e as águas subterrâneas para irrigar a fazenda se afastaram, principalmente em Montevidéu, Canelone e São José. As informações partem da Agência CMA Latam.