John Deere logo

    Conecta

    Sua fonte centralizada de notícias Agro

    CONECTA NEWS – 30/09/2022

    Fique ligado nas principais notícias do agronegócio no Brasil e no mundo. O conteúdo do Conecta News é uma parceria com o SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS
    Agencia SAFRAS & Mercado, Portal de Notícias
    CONECTA NEWS – 30/09/2022
    CONECTA NEWS – 30/09/2022

    Tags:

    Soja

    Trigo

    Clima

    Agricultura

    Arroz

    Algodão

    Cana-de-Açúcar

    Café

    Alimentação

    Grãos

    SOJA: Plantio avança para 6,29% no Mato Grosso, aponta IMEA
    A semeadura da safra de soja 2022/23 do Mato Grosso atingiu 6,29% da área projetada, conforme o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (IMEA), com número obtido até 30 de setembro. No mesmo período do ano passado, o plantio estava em 6,16%. Na semana passada, o número era de 1,79%.

    CAFÉ: Estoques certificados de Nova York caíram 9.229 sacas em 30/09
    Os estoques certificados de café nos armazéns credenciados da Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) na posição de 30 de setembro de 2022 estão em 426.180 sacas de 60 quilos, com queda de 9.229 sacas em relação ao dia anterior. As informações partem da ICE Futures.

    AÇÚCAR: Fundos/especuladores elevam carteira comprada em NY – CFTC
    A CFTC (Commodity Futures Trading Comission) divulgou os números do relatório de compromissos dos traders com dados até 27 de setembro para o açúcar bruto na ICE Futures U.S. (Bolsa de Nova York). Os números do relatório revelam que os grandes fundos e especuladores possuíam até a data 48.601 posições líquidas compradas (long), ante 37.345 posições compradas na semana anterior. As casas comerciais, como indústrias, casas corretoras e comerciantes, estavam com uma posição líquida vendida (short) de 56.409 contratos. As posições não reportáveis, que representam pequenos especuladores e negociadores locais, indicam que os especuladores estão vendidos em 7.808 contratos líquidos. Em 27 de setembro, 710.887 contratos estavam em aberto no mercado futuro de açúcar bruto da ICE Futures US, 34.085 lotes a menos que na semana anterior.

    SOJA: Line-up projeta embarques de 3,773 milhões de toneladas pelo Brasil em setembro
    O line-up, a programação de embarques nos portos brasileiros, projeta a exportação de 3,773 milhões de toneladas de soja em grão para setembro, conforme levantamento realizado por SAFRAS & Mercado. O volume já embarcado no mês soma 3,496 milhões de toneladas. No mesmo mês do ano passado, exportações somaram 4,701 milhões de toneladas segundo estimativa. Em agosto, foram 5,056 milhões de toneladas. Para outubro, são previstas 2,716 milhões de toneladas. De janeiro a setembro de 2022, o line-up apontou o embarque de 70,184 milhões de toneladas. Em igual período do ano passado, foram embarcadas 78,911 milhões de toneladas. A Secretaria do Comércio Exterior (Secex) indica o embarque no período em 70,031 milhões de toneladas.

    CAFÉ: Fundos elevam posições compradas na Bolsa de Nova York – CFTC
    A CFTC (Commodity Futures Trading Comission) divulgou os números do relatório de compromissos dos traders, com dados até 27 de setembro para o café na Ice Futures US. O levantamento mostrou que os grandes fundos e grandes especuladores apresentavam uma posição líquida comprada (long) de 44.680 contratos, contra 41.072 contratos comprados na semana anterior (13). As empresas comerciais, como indústrias, casas corretoras e comerciantes, estavam com uma posição líquida vendida (short) de 46.664 contratos. As posições não reportáveis, que representam pequenos especuladores e negociadores locais, indicam uma posição líquida comprada (long) de 1.984 contratos. Até 27 de setembro, eram 185.149 contratos em aberto no mercado futuro de café arábica da ICE Futures US, com queda de 6.284 lotes na semana.

    BIOCOMBUSTIVEIS: São Martinho investe para produzir somente etanol anidro e açúcar em São Paulo
    A companhia de açúcar e etanol São Martinho (BVMF:SMTO3) está investindo para ter a possibilidade de produzir no ano que vem somente etanol anidro em suas unidades de São Paulo, além do açúcar, na tentativa de driblar as adversidades no mercado do etanol hidratado, disse nesta quinta-feira o CFO da empresa, Felipe Vicchiato. Segundo a companhia, o mix de produção vai depender das condições de mercado, embora o momento favoreça o anidro, que é misturado em proporção de 27% na gasolina. Após sucessivas quedas de preço nos últimos meses, a gasolina está mais competitiva do que o etanol na maior parte do país. "A gente está fazendo um investimento para, basicamente, ter a possibilidade de fazer 100% de anidro nas usinas de São Paulo, então as usinas de São Paulo seriam produtoras de açúcar e etanol anidro", disse o executivo durante evento promovido pelo BTG Pactual (BVMF:BPAC11). Para ele, desta forma seria possível diminuir "um pouco (o impacto da) volatilidade de preço do etanol hidratado". "O mix de produção entre anidro e hidratado dependerá das condições de mercado e preço", esclareceu a São Martinho. De acordo com Vicchiato, é pequeno o aporte para que as usinas paulistas passem a fabricar apenas anidro, o que permite que a empresa realize o investimento já para o próximo ano. Ele não detalhou o valor que está sendo aplicado na operação. A São Martinho possui três usinas em São Paulo e uma em Goiás.

    ALGODÃO: NY fecha com ganhos em meio a fatores técnicos
    A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) para o algodão fechou com preços mais altos nesta sexta-feira. Em mais uma sessão volátil, NY terminou no terreno positivo em meio a aspectos técnicos. Em que pese a continuidade das apreensões com a recessão global e temores de queda no consumo, o algodão vem caindo bastante e mostra sinais de estar sobrevendido na bolsa. Assim, o dia foi de correção técnica e cobertura de posições vendidas, o que determinou o fechamento em alta. Esta sexta-feira marca o fim da semana, do mês e do trimestre, com ajuste de carteiras e rolagens de posições notadas. No balanço semanal, o contrato dezembro acumulou perda de 7,8%. No mês de setembro, o contrato teve baixa de 24,6%, e no trimestre a desvalorização foi de 13,7%. Os contratos com entrega em dezembro/2022 fecharam o dia a 85,34 centavos de dólar por libra-peso, alta de 0,18 centavo, ou de 0,2%. A posição março/2023 fechou a 83,45 centavos, valorização de 0,72 centavo, ou de 0,9%.

    AÇÚCAR: Entregas para contrato Outubro na ICE são estimadas em 745 mil toneladas
    As entregas de açúcar bruto no vencimento do contrato de outubro na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) foram estimadas em cerca de 14.650 lotes, equivalente a 745 mil toneladas, de acordo com informações preliminares de traders. A Louis Dreyfus Company foi considerada a empresa responsável pela maior parte das entregas, com mais de 8.570 lotes, ou cerca de 435 mil toneladas, enquanto a trading de commodities asiática Wilmar International foi vista como a maior recebedora, com mais de 11.160 lotes, ou 567 mil toneladas. A ICE divulgará os dados oficiais sobre o vencimento do contrato outubro na segunda-feira.

    TRIGO: Chicago fecha em forte alta com menor oferta nos Estados Unidos
    A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o trigo encerrou com preços acentuadamente mais altos. O mercado acelerou a valorização após a atualização da projeção de produção dos Estados Unidos em 2022 pelo departamento de agricultura do país, o USDA. O número foi indicado abaixo do mês passado, enquanto o mercado esperava por uma elevação. Os estoques trimestrais dos Estados Unidos em 1o de setembro também ficaram abaixo do esperado. A posição dezembro atingiu o maior patamar desde 11 de julho. A posição dezembro subiu 4,66% na semana e 10,82% em setembro. No trimestre, numa base contínua, o mercado subiu 6,07%. A produção de trigo dos Estados Unidos em 2022 é estimada em 1,65 bilhão de bushels, uma leve alta na comparação com os 1,646 bilhão de bushels de 2021. O mercado esperava 1,784 bilhão de bushels. Em agosto, o número era previsto em 1,783 bilhão. A produtividade do trigo nos EUA é estimada em 46,5 bushels por acre, acima dos 44,3 do ano anterior. Os estoques norte-americanos de trigo em 1o de setembro de 2022 totalizaram 1,776 bilhão de bushels. O mercado esperava o número em 1,795 bilhão de bushels. Em igual período do ano passado, eram 1,774 bilhão. No fechamento, os contratos com entrega em dezembro de 2022 eram cotados a US$ 9,21 1/2 por bushel, alta de 25,25 centavos de dólar, ou 2,81%, em relação ao fechamento anterior. Os contratos com entrega em março de 2023 eram negociados a US$ 9,32 por bushel, elevação de 24,00 centavos, ou 2,64%, em relação ao fechamento anterior.

    SOJA: Preços despencam mais de 3% em Chicago, após USDA indicar estoques acima do esperado
    Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a sexta-feira com preços em forte baixa. O mercado despencou após a divulgação do relatório de estoques trimestrais americanos, que ficaram bem acima do esperado pelo mercado. Como consequência da acentuada baixa de hoje, as desvalorizações na semana, no mês e no trimestre foram amplificadas. Os estoques trimestrais de soja em grão dos Estados Unidos, na posição 1o de setembro, totalizaram 274 milhões de bushels, conforme relatório divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Em igual período de 2021, o número era de 257 milhões de bushels. O número ficou acima da expectativa do mercado, de 247 milhões de bushels. Do total, 63 milhões de bushels estão armazenados com os produtores. Os estoques fora das fazendas somam 211 milhões de bushels, com baixa de 27%. A safra norte-americana de soja em 2021 foi revisada para cima. A produção está agora estimada em 4,465 bilhões de bushels. O número anterior era de 4.435 bilhões de bushels. Em toneladas, a produção está agora estimada em 121,5 milhões de toneladas. A área plantada teve sua estimativa revisada para 87,2 milhões de acres. A área colhida está projetada em 86,3 milhões de acres. A produtividade média está agora estimada em 51,7 bushels por acre. Os contratos da soja em grão com entrega em novembro fecharam com baixa de 46,00 centavos ou 3,26% a US$ 13,64 por bushel. A posição janeiro teve cotação de US$ 13,75 1/2 por bushel, com perda de 45,00 centavos de dólar ou 3,16%. Nos subprodutos, a posição dezembro do farelo fechou com baixa de US$ 4,20 ou 1,03% a US$ 403,00 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em dezembro fecharam a 61,56 centavos de dólar, com perda de 2,30 centavo ou 3,6%.

    MILHO: Chicago encerra sessão em alta com estoques dos EUA abaixo do esperado e tensão no Mar Negro
    A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou a sessão de hoje com preços em alta. A indicação de estoques de milho dos Estados Unidos abaixo do esperado pelo mercado na posição 1o de setembro contribuiu para acentuar os ganhos. O cereal também seguiu o desempenho do vizinho trigo, impulsionado pela tensão na região do Mar Negro, diante do temor em relação ao comércio de grãos. A fraqueza do dólar frente a outras moedas correntes, fator que traz maior competitividade às commodities estadunidenses no cenário exportador foi outro fator de suporte durante o dia. Os estoques trimestrais de milho dos Estados Unidos, na posição 1o de setembro de 2022, totalizaram 1,377 bilhão de bushels, conforme relatório divulgado há pouco pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). O volume estocado é 11,5% maior frente a igual período de 2021, que indicava estoques de 1,234 bilhão de bushels. O volume indicado pelo Departamento ficou abaixo do esperado pelo mercado, de 1,497 bilhão de bushels. Do total, 509,5 milhões de bushels estão armazenados com os produtores, com avanço de 29% frente aos 394,5 milhões de bushels indicados em igual período de 2021. Os estoques fora das fazendas somam 867,421 milhões de bushels, com alta de 3% frente aos 839,612 milhões de bushels indicados em 01 de setembro de 2021. O dia de alta fez com que Chicago impulsionasse os ganhos semanais, mensais e trimestrais. Os ganhos acumulados na semana para o contrato dezembro ficaram em 0,11%. O avanço mensal do cereal, também no contrato de dezembro, foi de 1,04%. No trimestre, o mesmo contrato registrou ganhos de 9,31%. Na sessão, os contratos de milho com entrega em dezembro fecharam a US$ 6,77 1/2 por bushel, ganho de 8,00 centavos de dólar, ou 1,19%, em relação ao fechamento anterior. A posição março fechou a sessão a US$ 6,84 por bushel, alta de 8,00 centavos, ou 1,18% em relação ao fechamento anterior.