John Deere logo

    Conecta

    Sua fonte centralizada de notícias Agro

    Elevar doses de corretivos no solo aumenta a produtividade de grãos

    Estudos confirmam que aumentar de duas a três vezes as doses de calcário e gesso em áreas de primeiro cultivo eleva a produtividade de grãos em até 40%
    Rafael De Marco
    Embrapa/Divulgação
    Embrapa/Divulgação

    Tags:

    Pesquisa

    Embrapa

    A ciência e as pesquisas trazem cada vez mais modernidade e melhorias na produtividade. Um bom exemplo é a comprovação dos resultados de um projeto de pesquisa que foi executado pela Embrapa Meio-Norte (Teresina/PI), em parceria com a Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja), e Universidade Federal do Piauí (UFPI, (campus de Bom Jesus) na região do Matopiba (que compreende os Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia). Os trabalhos foram conduzidos na fazenda União, no município de Currais, nos arredores de Bom Jesus, por três anos.

     

    Os estudos confirmam que aumentar de duas a três vezes as doses de calcário e gesso em áreas de primeiro cultivo eleva a produtividade de grãos em até 40%. Numa área de abertura de plantio de soja, por exemplo, com a quantidade tradicional de aplicação de calcário em torno de três a quatro toneladas por hectare, segundo o pesquisador Henrique Antunes, a produtividade fica entre 35 a 40 sacas de 60 quilos. “Mas com a aplicação de doses entre sete e dez toneladas de calcário por hectare, a produtividade salta para 50 ou mais sacas por hectare”.

     

    As doses de calcário aplicadas em áreas de primeiro cultivo e recomendadas pelos boletins oficiais, segundo Antunes, “são em torno de três a cinco toneladas por hectare, dependendo do tipo de solo e qualidade do insumo disponível”. No entanto, muitos agricultores têm fugido a essa regra e aplicado “valores superiores”, com doses em torno de oito a 12 toneladas por hectare, conseguindo bons resultados na produtividade.

     

    A ideia dos produtores  é  “corrigir o perfil do solo de maneira mais acelerada”, além da busca por produtividades satisfatórias logo na primeira safra. No Piauí, os produtores de soja apresentam, todo ano, uma taxa de 5% de aberturas de novas áreas.

     

    Elevar doses de corretivos no solo aumenta a produtividade de grãos 1

    Nos ensaios de pesquisa, de acordo com o cientista, foram testados níveis de até 20 toneladas de calcário por hectare. O que ficou constatado em alguns experimentos é que “valores superiores a 15 toneladas de calcário por hectare geraram um desequilíbrio de nutrientes no solo, principalmente de fósforo,  potássio e micronutrientes”.

     

    No entanto, segundo Antunes, o “uso de valores superiores aos recomendados pelos manuais oficiais se mostrou eficiente em corrigir o perfil do solo em até 60 centímetros”. Isso proporcionou a construção da fertilidade de maneira mais acelerada, “impactando positivamente no estado nutricional das plantas e no rendimento de grãos”.

     

    É importante ressaltar que “a correção do perfil do solo se torna ainda mais estratégica na região do Matopiba, porque há eventos de veranicos (período sem chuvas na estação chuvosa) e isso gera condições adequadas (químicas - diminuição da acidez e alumínio) para exploração máxima desse perfil do solo em períodos de estresse hídrico, o que ameniza a falta de água”. Ele destaca, também, que a presença do gesso na correção “permitiu melhorar as concentrações do cálcio em subsuperfície e diminuição significativa das concentrações de alumínio”.

     

    Com informações da Embrapa e Agência Gov