NOTÍCIAS DE HOJE – 03/11/2021

Veja algumas notícias preparadas pela equipe do SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS

Agricultura

img-news
ARROZ: Exportações do Vietnã totalizam 594,471 mil toneladas em setembro
As exportações de arroz do Vietnã totalizaram 594,471 mil toneladas em setembro. O principal destino foi a Ásia, com 470,377 mil toneladas, seguido pela África, com 70,699 mil toneladas. As informações são do Gain Report, do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

ECONOMIA: Balança tem superávit de US$ 2,004 bi em outubro
No mês de Outubro de 2021, as exportações somaram US$ 22,52 bilhões e as importações, US$ 20,516 bilhões, com saldo positivo de US$ 2,004 bilhões e corrente de comércio de US$ 43,036 bilhões. No ano, as exportações totalizam US$ 235,87 bilhões e as importações, US$ 177,291 bilhões, com saldo positivo de US$ 58,579 bilhões e corrente de comércio de US$ 413,162 bilhões. Tabela 1 As informações são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. 

AÇÚCAR: Nova York cai seguindo direcionamento do petróleo
Os contratos futuros do açúcar bruto operam com cotações mais baixas na sessão eletrônica da Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US). Os contratos com vencimento em março/2022 operam com baixa de 0,16 centavo, ou 0,81%, cotados a 19,38 centavos de dólar por libra-peso. Maio/2022 opera a 19,16 centavos (-0,67%). Segundo operadores ouvidos pela Reuters, fatores macro como o petróleo fraco ditam o direcionamento do mercado futuro do açúcar. Eles acrescentaram que há sustentação para as cotações acima da linha de 19 centavos, mas "aparentemente há pouco interesse em puxar o açúcar muito acima disso". Do lado fundamental, a perspectiva de uma recuperação mesmo que modesta na safra brasileira após a quebra em 2021 e as os excelentes prognósticos para a produção de outras importantes origens, como a India e a Tailândia, pressionam as cotações.

MERCADO EUROPA: Bolsas fecham sem direção comum à espera de decisão do Fed
Os principais índices do mercado de ações europeu fecharam em alta, com os investidores à espera da decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) e em meio a uma temporada de balanços forte. A expectativa é de que o Fed mantenha a taxa básica de juros inalterada próxima de zero e inicie o chamado tapering, a redução gradual de seu programa de compra de ativos de US$ 120 bilhões ao mês, com um corte de US$ 15 bilhões, dissociando a medida e o primeiro aumento nos juros. "O Federal Reserve deve anunciar uma redução nas compras de títulos. Não porque tivemos um episódio transitório de inflação, mas porque as economias norte-americana e global não precisam de tanta liquidez em dólares", de acordo com o economista do UBS, Paul Donovan. "Enquanto o Fed age, o Banco Central Europeu (BCE) fala - e fala muito", acrescentou ele. Mais cedo, a presidente do BCE, Christine Lagarde, disse que é "muito improvável" que as condições sejam alcançadas no próximo ano para permitir um aumento nas taxas de juros. Por fim, os investidores acompanham de perto outra rodada de resultados financeiros trimestrais. A BMW surpreendeu os investidores ao reportar 2,9 bilhões de euros em lucro, acima da previsão. Já a Lufthansa voltou a lucrar pela primeira vez desde o início da pandemia. Confira abaixo a variação e a pontuação dos índices europeus após o fechamento: FTSE-100 (Londres): -0,36%, 7.248,89 pontos DAX-30 (Frankfurt): +0,02%, 15.949,17 pontos CAC-40 (Paris): +0,20%, 6.945,42 pontos FTSE MIB (Milão): +0,69%, 27.377,90 pontos IBEX-35 (Madri): -1,27%, 9.015,30 pontos SMI-20 (Zurique): +0,25%, 12.349,92 pontos PSI-20 (Lisboa): -1,48%, 5.688,81 pontos.

CAFÉ: Chove forte no sul da Bahia, mas chuvas diminuem em outras regiões
Nos próximos dias, chove forte no sul da Bahia, passando de 100mm até domingo (07) na região da Barra do Choça/BA. Para as áreas produtoras do Espírito Santo e de Minas Gerais, a chuva diminui um pouco em relação aos dias anteriores. Em São Paulo e no Paraná, chove mais fraco e a umidade do solo deve diminuir até o início da próxima semana, facilitando a retomada das lavouras em Mogiana, Alta Paulista e norte do Paraná. É o que indica o Mapa Climático para o café da SAFRAS Consultoria, com informações da Somar Meteorologia. Para a segunda semana de novembro, a chuva será mais intensa que o normal, chegará na Alta Mogiana, todo o Estado de Minas Gerais e o sul da Bahia.

FERTILIZANTES: Rússia reduzirá cotas de exportação para garantir abastecimento
A Rússia planeja impor uma cota de seis meses sobre as exportações de alguns fertilizantes para salvaguardar o abastecimento local e limitar os custos para os agricultores após a crise energética ter feito disparar os preços dos nutrientes. O governo planeja um decreto para impor cotas às exportações de nitrogênio e fertilizantes complexos contendo nitrogênio, disse o primeiro-ministro Mikhail Mishustin durante uma reunião governamental televisionada na quarta-feira. A decisão foi tomada depois que o presidente Vladimir Putin pediu medidas para garantir o abastecimento dos agricultores locais. A Interfax informou que as cotas começarão em dezembro. Os preços dos fertilizantes nitrogenados, um nutriente crucial para culturas agrícolas como o milho, aumentaram em todo o mundo, à medida que os preços do gás aumentavam vertiginosamente os custos de produção e forçavam algumas fazendas a cortar a produção. Isso pode prejudicar as colheitas de grãos no próximo ano e acelerar a inflação global de alimentos. Um índice de preços de fertilizantes na América do Norte atingiu um recorde no mês passado, e os preços da amônia na Europa Ocidental estão nos mais altos níveis em mais de uma década, mostram os dados do Green Markets. A decisão da Rússia ocorre depois que as autoridades chinesas impõem novos obstáculos para os exportadores de fertilizantes em meio a preocupações crescentes com o aumento dos preços da energia e da produção de alimentos. Os agricultores europeus já expressaram preocupação em garantir o fornecimento de fertilizantes para a primavera, quando os nutrientes são aplicados nos campos de grãos para aumentar a produtividade e a qualidade. Um comunicado conjunto de grupos agrícolas franceses no mês passado disse que os preços do nitrogênio triplicaram e que há risco de escassez.

MILHO: Brasil deve embarcar até 1,967 milhão de toneladas em novembro
As exportações brasileiras de milho deverão ficar em 1,967 milhão de toneladas em novembro, conforme levantamento semanal da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (ANEC). Em novembro do ano passado, o Brasil exportou 4,936 milhões de toneladas. Em outubro, os embarques do cereal somaram 1,854 milhão de toneladas. As exportações do ano devem somar 16,497 milhões de toneladas até o final deste mês. Na semana entre 24 e 30 de outubro, o Brasil embarcou 476,752 mil toneladas. Para o período entre 31 de outubro e 6 de novembro, a ANEC indica a exportação de 711,819 mil toneladas. 

logo