NOTÍCIAS DE HOJE – 06/12/2021

Veja algumas notícias preparadas pela equipe do SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS

Agricultura

img-news
CARNE BOVINA: EUA não vão suspender importações do Brasil, diz secretário
Os Estados Unidos não vão suspender importações de carne bovina do Brasil após o país atrasar relatório sobre preocupações sanitárias, disse o secretário de Agricultura dos EUA, Tom Vilsack, ao site Politico. Em novembro, a Associação de Produtores de Carne dos Estados Unidos (NCBA) pediu a proibição da entrada do produto brasileiro no mercado norte-americano, após registros de casos atípicos de Encefalopatia Espongiforme Bovina, conhecida como "doença da vaca louca", no Brasil. A solicitação do embargo seguiu uma suspensão efetivada pela China, devido ao problema sanitário, o que fez as exportações brasileiras caírem praticamente pela metade em outubro e novembro, segundo dados da associação Abiec. Com o embargo chinês, agora os EUA aparecem como os principais importadores de carne bovina do Brasil, tendo abocanhado fatia de 17,3% em novembro, de um total de 100 mil toneladas, segundo dados da Abiec. As informações partem da Reuters.

AÇÚCAR: Exportação atinge 280 mil toneladas em dezembro
A receita diária média obtida com as exportações brasileiras de açúcar e outros melaços totalizou US$ 31,233 milhões na primeira semana de dezembro, em três dias úteis até ontem (05). Já o volume médio diário de exportações atingiu 93,332 mil toneladas. Foram exportadas 279.997 toneladas de açúcar em dezembro, com receita total de US$ 93,698 milhões e um preço médio de US$ 334,60 por tonelada. Na comparação com a média diária de dezembro de 2020, de US$ 39,155 milhões, verificou-se queda de 20,23% no valor obtido diariamente pelas exportações de açúcar em dezembro de 2021. Em volume, houve recuo de 28,72%, ante as 130,939 mil toneladas diariamente embarcadas em dezembro de 2020. Já o preço médio subiu 11,91%, ante os US$ 299,5 por tonelada verificados em dezembro de 2020.

SOJA: Brasil exporta 313,912 mil toneladas até 1ª semana de dezembro
As exportações brasileiras de soja somaram 313,912 mil toneladas até a primeira semana de dezembro (3 dias úteis), com média diária de 104,637 mil toneladas. A receita com as vendas ao exterior totalizou US$ 151,824 milhões, com média diária de US$ 50,608 milhões. As informações são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Em relação à igual período do ano anterior, houve avanço de 739,9% no volume diário exportado (12,458 mil toneladas diárias em dezembro de 2020). Já a receita diária teve acréscimo de 973,86% (US$ 4,712 milhões diários em dezembro de 2020).

MILHO: Exportações somam 412,6 mil toneladas em dezembro
As exportações de milho do Brasil apresentaram receita de US$ 94,195 milhões em dezembro (3 dias úteis), com média diária de US$ 31,398 milhões. A quantidade total de milho exportada pelo país ficou em 412,6 mil toneladas, com média de 137,553 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 228,30. Em relação a dezembro de 2020, houve baixa de 25,48% no valor médio diário da exportação, queda de 37,70% na quantidade média diária exportada e valorização de 19,61% no preço médio. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

CARNE BOVINA: Exportação atinge 15,862 mil toneladas em dezembro
As exportações de carne bovina fresca, congelada ou refrigerada do Brasil renderam US$ 76,343 milhões em dezembro (3 dias úteis), com média diária de US$ 25,447 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 15,862 mil toneladas, com média diária de 5,287 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 4.812,90. Em relação a dezembro de 2020, houve perda de 12,83% no valor médio diário da exportação, queda de 18,38% na quantidade média diária exportada e valorização de 6,81% no preço médio. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

CARNES: Exportação de aves atinge 39,473 mil toneladas em dezembro
As exportações de carne de aves e suas miudezas comestíveis, frescas, refrigeradas ou congeladas do Brasil renderam US$ 70,318 milhões em dezembro (3 dias úteis), com média diária de US$ 23,499 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 39,473 mil toneladas, com média diária de 13,158 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 1.781,40. Na comparação com dezembro de 2020, houve alta de 4,24% no valor médio diário, perda de 17,49% na quantidade média diária e avanço de 26,34% no preço médio. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

AÇÚCAR REFINADO: Londres fecha sessão com cotações em alta
A ICE Futures Europe (Bolsa de Londres) para o açúcar refinado fechou as operações com cotações mais altas. Os contratos com entrega em março/20221 fecharam a US$ 496,60 por tonelada, alta de US$ 9,70 a tonelada (+1,99%) na comparação ao fechamento anterior. Maio/2022 fechou a US$ 493,00 por tonelada, ganho de US$ 7,70 a tonelada (+1,6%).

ALGODÃO: Brasil exporta 26,430 mil toneladas até 1ª semana de dezembro
As exportações brasileiras de algodão bruto somaram 26,430 mil toneladas até a primeira semana de dezembro (3 dias úteis), com média diária de 8,810 mil toneladas. A receita com as vendas ao exterior totalizou US$ 46,451 milhões, com média diária de US$ 15,483 milhões. As informações são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Em relação à igual período do ano anterior, houve recuo de 47,68% no volume diário exportado (16,838 mil toneladas diárias em dezembro de 2020). Já a receita diária teve decréscimo de 39,82% (US$ 25,728 milhões diários em dezembro de 2020).

CAFÉ: Londres fecha em alta seguindo NY e petróleo e com temores com oferta
A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (ICE Futures Europa) para o café robusta encerrou as operações desta segunda-feira com preços mais altos. As cotações subiram nesta segunda-feira acompanhando a valorização do arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) e do petróleo. Segue grande a preocupação com a oferta global. Afora a apreensão com a safra de 2022 do Brasil, comprometida por períodos de seca e geadas (em julho), são grandes os problemas logísticos para os embarques de nações cafeeiras. Há escassez de contêineres, entre outros aspectos, complicando embarques do Brasil e Colômbia de arábica, entre outros países, e também para o robusta do Vietnã. Os contratos para entrega em janeiro/2022 fecharam o dia a US$ 2.420 a tonelada, com alta de US$ 34, ou de 1,4%. A posição março/2022 fechou a US$ 2.315 a tonelada, com elevação de US$ 17, ou de 0,7%.

TRIGO: Relatório do USDA deve elevar estoques dos EUA
O relatório de dezembro de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que será apresentado na quinta-feira (9), deve elevar os estoques finais de trigo do país na temporada 2021/22. Conforme traders e analistas consultados por agências internacionais, os estoques finais devem ficar em 591 milhões de bushels, ante 583 milhões estimados em novembro. No âmbito global, os estoques finais devem ficar em 276,2 milhões de toneladas em 2021/22, ante 275,8 milhões no relatório anterior.

SOJA: USDA deve elevar previsão para estoques 2021/22 dos EUA
O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) deve elevar a sua estimativa para os estoques de passagem de soja dos Estados Unidos em 2021/22. O relatório de dezembro do Departamento será divulgado na quinta, 9, às 14hs. Analistas consultados pelas agências internacionais apostam em estoques de 353 milhões de bushels, contra 340 milhões de bushels indicados no relatório de novembro. Em relação ao quadro de oferta e demanda mundial da soja, o mercado aposta em estoques finais 2021/22 de 104,3 milhões de toneladas, contra 103,8 milhões estimados em novembro. Para 2020/21, a previsão deverá subir de 100,1 milhões para 100,4 milhões de toneladas.

MILHO: USDA deve cortar estoque final dos EUA em 2021/22
O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulga na quinta-feira (9), às 14h, o relatório de oferta e demanda de dezembro, trazendo estimativas de oferta e demanda de milho norte-americano e mundial para a temporada 2021/22 e 2020/21. Analistas consultados pelas agências internacionais apostam que o Departamento irá apontar os estoques finais de passagem da safra 2021/22 norte-americana em 1,485 bilhão de bushels, aquém dos 1,493 bilhão de bushels indicados em novembro. Para a safra global 2021/22, os estoques finais de passagem devem ser indicados em 304,2 milhões de toneladas, abaixo das 304,4 milhões de toneladas previstas em novembro. A previsão é de que os estoques finais de passagem da safra mundial 2020/21 sejam apontados em 291,7 milhões de toneladas, aquém frente às 291,9 milhões de toneladas indicadas no mês passado.

logo