NOTÍCIAS DE HOJE – 09/12/2021

Veja algumas notícias preparadas pela equipe do SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS

Agricultura

img-news
CAFÉ: Londres fecha com ganhos predominantes com oferta preocupando
A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (ICE Futures Europa) para o café robusta encerrou as operações desta quinta-feira com preços predominantemente mais altos. O contrato janeiro, porém, fechou em baixa. O mercado encontrou sustentação mais uma vez na apreensão com a oferta global, sobretudo de robusta. O Vietnã vem enfrentando problemas de escassez de contêineres para seus embarques, o que outros países também enfrentam, e agora chuvas estão ainda atrapalhando a colheita no país. Segundo traders, as precipitações estão tornando lenta a colheita e secagem dos grãos, com pouca oferta ainda da safra nova 2021/22 à disposição. Perdas para o arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) e do petróleo pressionaram para baixo o robusta londrino, com a posição janeiro fechando no vermelho. Os contratos para entrega em janeiro/2022 fecharam o dia a US$ 2.401 a tonelada, com perda de US$ 8, ou de 0,3%. A posição março/2022 fechou a US$ 2.306 a tonelada, com elevação de US$ 11, ou de 0,5%.

AÇÚCAR: Nova York realiza lucros após quatro dias seguidos de ganhos
A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto encerrou o pregão eletrônico com cotações em baixa. Os contratos com entrega em março/2022 encerraram o dia a 19,69 centavos de dólar por libra-peso, recuo de 0,13 centavo em relação ao fechamento anterior (-0,65%). A posição Maio/2022 fechou cotada a 19,29 centavos (-0,61%). Segundo operadores ouvidos pela Reuters, os futuros do açúcar bruto cairão com realização de lucros após quatro dias consecutivos de ganhos. Fatores macro seguiram tendo maior influência sobre o mercado de açúcar, com as preocupações levantadas pela nova variante da Covid-19 fazendo fundos e especuladores reduzir posições compradas em suas carteiras na ICE.

TRIGO: Colheita atinge 53,4% na Argentina - Bolsa de Buenos Aires
A colheita do trigo atinge 53,4% da área na Argentina. Segundo a Bolsa de Cereais de Buenos Aires, a área plantada é de 6,6 milhões de hectares. A área apta para colheita fica em 6,47 milhões de hectares. Em números absolutos, a ceifa atinge 3,435 milhões de hectares e acumula 10,145 milhões de toneladas. Os trabalhos avançaram 8,5 pontos percentuais na última semana. Com os bons rendimentos observados recentemente, a expectativa de produção foi elevada de 20,3 milhões de toneladas para 21 milhões de toneladas, alcançando um recorde histórico.

AÇÚCAR REFINADO: Londres fecha sessão com cotações em baixa
A ICE Futures Europe (Bolsa de Londres) para o açúcar refinado fechou as operações com cotações mais baixas. Os contratos com entrega em março/20221 fecharam a US$ 510,70 por tonelada, baixa de US$ 3,00 a tonelada (-0,58%) na comparação ao fechamento anterior. Maio/2022 fechou a US$ 507,50 por tonelada, perda de US$ 2,70 a tonelada (-0,52%). 

MILHO: Plantio 2021/22 atinge 39,5% na Argentina - Bolsa de Buenos Aires
O plantio de milho da safra 2021/22 atinge 39,5% da área na Argentina. Segundo a Bolsa de Cereais de Buenos Aires, a superfície está estimada em 7,3 milhões de hectares, contra os 6,8 milhões de hectares do ano anterior. Os trabalhos avançaram 8,4 pontos percentuais na semana e estão 7,5 pontos atrasados na comparação com igual período do ano passado. Em números absolutos, o plantio chega a 2,884 milhões de hectares.

SOJA: Plantio atinge 56,1% da área na Argentina - Bolsa de Buenos Aires
O plantio da soja atinge 56,1% da área na Argentina. Segundo a Bolsa de Cereais de Buenos Aires, os trabalhos avançaram 9,8 pontos percentuais na última semana. A área é projetada em 16,5 milhões de hectares, a menor dos últimos 15 anos. Em números absolutos, já foram semeados 9,253 milhões de hectares.

ARROZ: USDA prevê safra mundial 2021/22 em 510,78 milhões de toneladas de beneficiado
O relatório de dezembro de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), divulgado nesta quinta-feira (9), estimou a produção mundial de arroz beneficiado em 510,78 milhões de toneladas para 2021/22, ante 511,72 milhões no mês anterior. Para 2020/21, foi estimada safra de 507,20 milhões de toneladas. As exportações mundiais de arroz beneficiado foram estimadas em 49,74 milhões de toneladas para 2021/22, ante 49,66 milhões no mês passado. A estimativa para o consumo é de 510,91 milhões de toneladas de beneficiado para 2021/22, ante 511,27 milhões de toneladas indicadas no mês anterior. Baseado nas estimativas de produção, exportação e consumo, os estoques finais mundiais de arroz beneficiado na temporada 2021/22 foram previstos em 186,80 milhões de toneladas, ante 187,94 milhões de toneladas no relatório passado. Para 2020/21, foram estimados estoques de 186,93 milhões de toneladas. A India deverá produzir 125 milhões de toneladas beneficiadas em 2021/22; a Tailândia, 19,3 milhões; e o Vietnã, 27,1 milhões. A safra brasileira está estimada em 8,02 milhões de toneladas de beneficiado. A safra da Indonésia está projetada em 35,35 milhões de toneladas. A produção chinesa está estimada em 148,99 milhões de toneladas.
logo