NOTÍCIAS DE HOJE – 13/9/2021

Veja algumas notícias preparadas pela equipe do SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS

Agricultura

img-news

CARNES: Exportação de aves atinge 171,35 mil toneladas em setembro

 

As exportações de carne de aves e suas miudezas comestíveis, frescas, refrigeradas ou congeladas do Brasil renderam US$ 299,74 milhões em setembro (7 dias úteis), com média diária de US$ 42,82 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 171,35 mil toneladas, com média diária de 24,48 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 1.749,30. Na comparação com setembro de 2020, houve alta de 107,17% no valor médio diário, ganho de 60,88% na quantidade média diária e elevação de 28,77% no preço médio. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

 

CARNE BOVINA: Exportação atinge 86,88 mil toneladas em setembro

 

As exportações de carne bovina fresca, congelada ou refrigerada do Brasil renderam US$ 502,96 milhões em setembro (7 dias úteis), com média diária de US$ 71,85 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 86,88 mil toneladas, com média diária de 12,41 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 5.789,10. Em relação a setembro de 2021, houve alta de 158,79% no valor médio diário da exportação, ganho de 83,1% na quantidade média diária exportada e valorização de 41,34% no preço médio. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

 

ALGODÃO: Brasil exporta 46,727 mil toneladas até segunda semana de setembro

 

As exportações brasileiras de algodão bruto somaram 46,727 mil toneladas até a segunda semana de setembro (7 dias úteis), com média diária de 6,675 mil toneladas. A receita com as vendas ao exterior totalizou US$ 79,837 milhões, com média diária de US$ 11,405 milhões. As informações são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Em relação à igual período do ano anterior, houve recuo de 11,74% no volume diário exportado (7,563 mil toneladas diárias em setembro de 2020). Já a receita diária teve acréscimo de 3,77% (US$ 10,991 milhões diários em setembro de 2020).

 

MILHO: Exportações somam 1,26 mi de toneladas em setembro

 

As exportações de milho do Brasil apresentaram receita de US$ 246,32 milhões em setembro (7 dias úteis), com média diária de US$ 35,19 milhões. A quantidade total de milho exportada pelo país ficou em 1,26 milhão de toneladas, com média de 179,95 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 195,50. Em relação a setembro de 2020, houve baixa de 28,85% no valor médio diário da exportação, perda de 40,68% na quantidade média diária exportada e valorização de 19,95% no preço médio. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

 

AÇÚCAR: Exportação atinge 840 mil toneladas em setembro

 

A receita diária média obtida com as exportações brasileiras de açúcar e outros melaços totaliza US$ 38,624 milhões em setembro (sete dias úteis até ontem, 12). Já o volume médio diário de exportações atingiu 120,077 mil toneladas. Foram exportadas 840.542 toneladas de açúcar no período, com receita total de US$ 270,372 milhões e um preço médio de US$ 321,70 por tonelada. Na comparação com a média diária de setembro de 2020, de US$ 45,377 milhões, verificou-se queda de 14,88% no valor obtido diariamente pelas exportações de açúcar em setembro de 2021. Em volume, houve recuo de 25,57%, ante as 161,331 mil toneladas diariamente embarcadas em setembro de 2020. Já o preço médio subiu 14,36%, ante os US$ 281,3 por tonelada verificados em agosto de 2020.

 

ECONOMIA: Balança tem superávit de US$ 1,399 bilhões na 2ª semana de setembro

 

Até a 2ª Semana de Setembro/2021, comparado a Setembro/2020, as exportações cresceram 49,3% e somaram US$ 9,07 bilhões. As importações cresceram 60,4% e totalizaram US$ 7,03 bilhões. Assim, a balança comercial registrou superávit de US$ 2,04 bilhões, com crescimento de 20,6%, e a corrente de comércio aumentou 53,9%, alcançando US$ 16,09 bilhões. Na segunda semana, o superávit foi de USR 1,399 bilhão. No acumulado Janeiro até 2 Semana de Setembro/2021, em comparação a Janeiro/Setembro 2020, as exportações cresceram 37,4% e somaram US$ 198,01 bilhões. As importações cresceram 35,2% e totalizaram US$ 143,85 bilhões. Como consequência destes resultados, a balança comercial apresentou superávit de US$ 54,15 bilhões, com crescimento de 43,4%, e a corrente de comércio registrou aumento de 36,5%, atingindo US$ 341,86 bilhões. As informações são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

 

SOJA: Exportações do Brasil somam 1,962 milhões de toneladas em setembro

 

As exportações de soja em grão do Brasil renderam US$ 987,583 milhões em setembro (7 dias úteis), com média diária de US$ 141,083 milhões. A quantidade total exportada pelo país no período chegou a 1,962 milhão de toneladas, com média diária de 280,324 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 503,30. Na comparação com setembro de 2020, houve alta de 90,29% na receita média diária e de 38,16% no volume. O preço subiu 37,73%. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

 

CANA: Produção da safra 2021/22 atinge 48,6 milhões de toneladas até 01/09 em Minas Gerais

 

A produção de cana-de-açúcar de Minas Gerais alcançou 48,6 milhões de toneladas no acumulado da safra 2021/22 até 1 de setembro, chegando a 74% da estimativa da SIAMIG para a safra. O volume representa uma queda de 2% sobre o mesmo período acumulado da safra 2020/2021. A produção de açúcar para esta safra acumulou 3,2 milhões de toneladas, quantidade 1% menor que no mesmo período do ano passado. A produção de etanol total no estado atingiu 2 bilhões de litros, volume 1% menor ao do mesmo período na safra passada. O mix de produção acumulado é de 50%, percentual similar ao do ano passado. No caso da fabricação de etanol, o anidro está mais competitivo nesta safra, alcançando 20% do mix, enquanto no mesmo período do ano passado estava na faixa dos 14%. O ATR acumulado alcançou 139,4 kg por tonelada de cana, 1% maior que os 137,4 kg da safra passada. As informações partem da assessoria de imprensa da Siamig.

 

AÇÚCAR: Em sessão volátil, Nova York reage e fecha em alta seguindo petróleo

 

A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto encerrou o pregão eletrônico com cotações em alta. Os contratos com entrega em outubro/2021 encerraram o dia a 18,98 centavos de dólar por libra-peso, alta de 0,19 centavo (+1,01%) em relação ao fechamento anterior. A posição março/2022 fechou cotada a 19,69 centavos (+0,92%). Conforme operadores ouvidos pela Reuters, os futuros do açúcar bruto seguem pressionados por vendas por parte de fundos associadas com uma fraca demanda no mercado físico em meio a uma disparada no custo dos fretes marítimos em escala global. Nas intradiárias, a posição outubro bateu em 18,57 centavos, nível mais baixo desde o início de agosto, mas buscou reação na valorização das cotações do petróleo e em cobertura de posições vendidas. A demanda parece ter caído mais rápido que a oferta. Desta forma, mesmo com uma redução de cerca de sete milhões de toneladas na produção brasileira, a temporada ainda terminará com excedente de oferta em termos globais. No entanto, analistas apontam que o viés de longo prazo é positivo por conta da possibilidade de uma safra de cana com baixa produtividade no Brasil no próximo ano por conta de adversidades climáticas e também em outras origens, associada com uma melhora na demanda na medida em que o mundo se recupera da pandemia de Covid-19. 
logo