NOTÍCIAS DE HOJE – 27/9/2021

Veja algumas notícias preparadas pela equipe do SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS

Agricultura

img-news
TRIGO: Preços de exportações da Rússia sobem pela 11a semana seguida 
Os preços de exportações do trigo da Rússia cresceram pela décima primeira semana consecutiva. As bolsas de referência de Chicago e de Paris carregaram a valorização. O trigo russo com 12,5% de proteína embarcado dos portos do Mar Negro para embarque no final de setembro foi cotado a US$ 304 por tonelada, free on board (FOB). O volume subiu US$ 3 por tonelada, conforme a consultoria IKAR. Outra consultoria, a SovEcon estimou o valor estável em US$ 304,50 por tonelada. As exportações de trigo da Rússia caíram 22% desde o início da temporada, na comparação com o ano passado, devido à tarifa sobre exportações. A tarifa deve crescer de US$ 50,90 para US$ 52,50 por tonelada de 29 de setembro até 5 de outubro. 

MILHO: Estoque dos EUA em 1o de setembro deve ser menor ante 2020
Os estoques trimestrais norte-americanos de milho na posição 1o de setembro deverão ficar abaixo do número indicado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) em igual período do ano anterior. A projeção é de analistas e corretores entrevistados pelas agências internacionais, que indicam estoques trimestrais de 1,167 bilhão de bushels. O relatório trimestral será divulgado às 13hs, nesta quinta-feira (30). Em igual período do ano anterior, o número era de 1,919 bilhão de bushels. Em 1 de junho, data do relatório anterior, os estoques estavam em 4,112 bilhões de bushels.

SOJA: Estoque dos EUA em 1o setembro deve recuar frente 2020
Os estoques trimestrais norte-americanos de soja na posição 1o de setembro deverão ficar abaixo do número indicado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) em igual período do ano anterior. A projeção é de analistas e corretores entrevistados pelas agências internacionais, que indicam estoques trimestrais de 172 milhões de bushels. O relatório trimestral será divulgado às 13hs, nesta quinta, 30. Em igual período do ano anterior, o número era de 525 milhões de bushels. Em 1 de junho, data do relatório anterior, os estoques estavam em 767 milhões de bushels.

AÇÚCAR: Nova York fecha em baixa por preocupação com demanda
A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto encerrou o pregão eletrônico com cotações em baixa. Os contratos com entrega em outubro/2021 encerraram o dia a 18,73 centavos de dólar por libra-peso, baixa de 0,37 centavo em relação ao fechamento anterior (-1,93%). A posição março/2022 fechou cotada a 19,68 centavos (-1,25%). Conforme informações de operadores ouvidos pela Reuters, a posição outubro perdeu ainda mais valor em meio a uma sinalização de fraca demanda, faltando poucos dias para o vencimento. O desconto ante o contrato março/2022 aumentou ainda mais, para cerca de centavo de dólar, indicando que há pouco apetite da indústria e do setor comercial pela entrega física do contrato outubro, que expira na próxima quinta-feira (30). O aumento da diferença negativa, segundo analistas, é um fator muito negativo para o mercado, pois indica não apenas que um superávit de oferta terá que ser carregado para 2022 mas também que, apesar de uma quebra de cerca de sete milhões de toneladas de açúcar na produção do Centro-Sul do Brasil em 2021, a demanda sofreu um revés maior que isso.

AÇÚCAR REFINADO: Londres fecha sessão com cotações em baixa
A ICE Futures Europe (Bolsa de Londres) para o açúcar refinado fechou as operações com cotações em baixa. Os contratos com entrega em dezembro/2021 fecharam a US$ 502,40 por tonelada, perda de US$ 11,00 a tonelada (-2,14%) na comparação ao fechamento anterior. Março/2021 fechou a US$ 506,30 por tonelada, perda de US$ 10,30 a tonelada (-1,99%).

CAFÉ: Londres fecha com preços mistos, com realização pressionando
A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (ICE Futures Europa) para o café robusta encerrou as operações desta segunda-feira com preços mistos. As duas primeiras posições, novembro/2021 e janeiro 2022, que têm mais contratos em aberto, recuaram diante de realização de lucros, acompanhando o comportamento do arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US). As posições mais distantes fecharam com ganhos moderados, sustentadas pela alta do petróleo, e com boa demanda e estoques em queda do robusta no mundo. Os contratos para entrega em novembro/2021 fecharam o dia a US$ 2.121 a tonelada, com queda de US$ 25, ou de 1,2%. A posição janeiro/2022 fechou a US$ 2.115 a tonelada, baixa de US$ 4, ou de 0,2%.
logo