NOTÍCIAS DE HOJE – 31/8/2021

Veja algumas notícias preparadas pela equipe do SAFRAS & MERCADO por meio da Agência SAFRAS

Agricultura

img-news

MILHO: Line-up prevê embarques em agosto de 4,265 milhões de toneladas

O line-up, a programação de embarques nos portos brasileiros, indica que poderão ser exportadas 4,265 milhões de toneladas de milho em agosto, conforme levantamento de SAFRAS & Mercado. Até agora, os volumes embarcados no mês somam 4,140 milhões de toneladas. Para setembro estão programados embarques de 2,068 milhões de toneladas. No acumulado de fevereiro/21 a setembro/21, a programação de embarques aponta volumes de 10,134 milhões de toneladas de milho.

 

CAFÉ: Londres fecha em alta com ajustes técnicos

A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (ICE Futures Europa) para o café robusta encerrou as operações desta terça-feira com preços mais altos. As cotações subiram na reabertura dos negócios depois da bolsa não operar na segunda-feira devido a feriado em Londres. Assim, Londres compensou a forte valorização do arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) na segunda-feira. NY teve alta de 4% em meio à apreensão com a oferta global. Assim, mesmo com as perdas do arábica nesta terça-feira em NY, ainda assim Londres fechou com ganhos. O mercado também teve ajustes técnicos frente ao último pregão de agosto. No balanço de agosto, o contrato novembro acumulou uma alta de 12,5%. Os contratos para entrega em setembro/2021 fecharam o dia a US$ 2.026 a tonelada, com alta de US$ 8, ou de 0,4%. A posição novembro fechou a US$ 1.994 a tonelada, com elevação de US$ 11, ou de 0,5%.

 

AÇÚCAR: Nova York fecha em baixa diante de demanda enfraquecida

A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto encerrou o pregão eletrônico com cotações em baixa. Os contratos com entrega em outubro/2021 encerraram o dia a 19,84 centavos de dólar por libra-peso, queda de 0,38 centavo (-1,87%) em relação ao fechamento anterior, mas acumulando ganho de 9,72% no mês de agosto. A posição março/2022 fechou cotada a 20,55 centavos (-1,43%). Conforme operadores ouvidos pela Reuters, a fraqueza na demanda ajuda a manter as cotações abaixo da linha de 20 centavos, enquanto o desconto da posição outubro para os contratos com entrega em março chega a 0,66 centavo. No entanto, o mercado segue com boa sustentação diante da piora nas perspectivas para a safra brasileira depois da recente estiagem e das geadas. A oferta está bastante apertada depois de uma queda de seis a sete milhões de toneladas na produção do Centro-Sul do Brasil, mas a demanda parece cair na mesma velocidade que a oferta, apontaram analistas.

 

MILHO: Plantio da 1a safra 2021/22 atinge 3% no Paraná

O Departamento de Economia Rural (Deral), vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (SEAB), estimou, que o plantio da 1a safra 2021/22 de milho no Paraná atingiu 3% da área estimada de 422 mil hectares, que deve ficar 13% acima dos 372,5 mil hectares cultivados na safra verão 2020/21. Segundo o Deral, 100% das lavouras estão em boas condições, entre as fases de germinação (96%) e crescimento vegetativo (4%). Na semana passada, 100% das lavouras estavam na fase de germinação. No mesmo período de 2020, 1% das lavouras de verão haviam sido cultivadas, com 100% das lavouras em boas condições. A 1a safra de milho do Paraná 2021/22 está estimada em 4,116 milhões de toneladas, alta de 32% frente às 3,115 milhões de toneladas colhidas na 1a safra 2020/21. A produtividade para a 1a safra 2021/22 é estimada em 9.754 quilos por hectare, acima dos 8.363 quilos por hectare da safra anterior.


CAFÉ: Colheita da safra 2020/21 atinge 95% no Paraná

O Paraná avançou na colheita da safra 2020/21, que atinge 95% da área. No momento, 72% das lavouras estão em boas condições de desenvolvimento, 26% médias e 2% ruins, segundo levantamento do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Agricultura do Estado. As plantas estão na fase de maturação. Na semana passada, a colheita atingia 89% da área. No dia 24 de agosto de 2020, a colheita no estado atingia 98% da área. A safra 2020/21 do estado deve ficar em 52 mil toneladas, queda de 10% ante as 58 mil toneladas da temporada anterior. A produtividade média é estimada em 1.561 quilos por hectare, abaixo dos 1.688 quilos colhidos na temporada 2019/20. A área a ser colhida ficou em 33,3 mil hectares, 3% aquém dos 34,4 mil hectares na temporada anterior.

logo