Números positivos da agricultura de precisão

A tecnologia é uma realidade cada vez mais presente no agronegócio brasileiro e será ainda mais importante com a evolução das máquinas e a rede 5G

Agricultura

img-news
A agricultura de precisão, também conhecida como agricultura 4.0, evolui a cada dia, obtendo sucesso no aumento quantitativo e qualitativo da produção de alimentos. O uso da tecnologia no campo é uma realidade cada vez mais presente no Brasil e no mundo.
O mercado global de agricultura de precisão está estimado em US$ 7 bilhões em 2021, com a estimativa de alcançar US$ 12,8 bilhões em 2025. Isso representa alta de quase 83%, segundo pesquisa realizada pela empresa norte-americana Market & Markets.

FORÇA LATINA
Além do Brasil, o Paraguai e a Argentina estão no topo da lista dos países com maior ritmo de crescimento em setores da agricultura 4.0. Um ritmo de crescimento de 12,7% ao ano, o que comprova a força dos países em desenvolvimento no agronegócio, com destaque para a América do Sul.
A força desse agrotech passa, necessariamente, pela evolução dos equipamentos. Segundo dados da Embrapa Informática, 49% das máquinas no campo contam com GPS instalado, a fim de permitir ao veículo se deslocar pela lavoura sem a necessidade de condutor. Além disso, 36,9% delas já apresentam piloto automático acoplado.

NÚMEROS DO AGRO 4.0
A Embrapa Informática reuniu mais dados que comprovam a evolução da agricultura de precisão no Brasil. Confira dos detalhes:
  1. 78% das máquinas agrícolas novas têm ferramentas tecnológicas para auxiliar na fase de preparo do solo.
  2. 72% contam com tecnologia para a análise de solo.
  3. 69% apresentam regulagem automática de equipamentos.
  4. 66% das máquinas têm ferramentas para o plantio e para liberar apenas o número certo de sementes no solo.
  5. 64% dos equipamentos regulam a pulverização.
  6. 60% das máquinas agrícolas auxiliam na colheita.

5G
A nova rotina futurista nas fazendas brasileiras será ainda maior com chegada da internet de alta velocidade. Segundo o Ministério da Ciência e Tecnologia, das 20 antenas 5G que serão instaladas no país nesse primeiro momento, oito estarão em áreas rurais.
Segundo a Pasta, apenas 23% das zonas rurais brasileiras têm conectividade, situação que será revertida a partir do leilão da internet 5G no Brasil, programada acontecer no segundo semestre de 2021.
Com esse salto de qualidade, o produtor rural não somente poderá ampliar as opções de automação e controle do maquinário como a análise dos dados da plantação em tempo real. Para o agronegócio brasileiro, o futuro é agora, conforme apontam os números da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos). Nos cinco primeiros meses de 2021, as vendas de máquinas agrícolas aumentaram 68% em relação ao ano passado.
logo