John Deere logo

    Conecta

    Sua fonte centralizada de notícias Agro

    Produção de sementes de soja: como acontece este processo?

    No artigo de hoje apresentaremos quais são os principais processos da produção de sementes de soja desde a lavoura até a comercialização e entrega ao cliente final.
    AgroMulher, Academy
    Divulgação: Arquivo
    Divulgação: Arquivo

    Tags:

    Mulheres no Agro

    Sementes

    Soja

    Tecnologia

    Você já parou para pensar em tudo que acontece com a semente de soja desde a produção até que ela seja comercializada e chegue à sua fazenda? Já imaginou quanta tecnologia, pesquisa e ciência há envolvida em uma pequena semente de soja para que ela expresse seu máximo potencial em campo?

     

    Texto: Marluce Corrêa Ribeiro – Jornalista e Redatora do Portal Agromulher

     

    No artigo de hoje apresentaremos quais são os principais processos da produção de sementes de soja desde a lavoura até a comercialização e entrega ao cliente final. Continue sua leitura e fique bem-informado.

     

    A uniformidade da lavoura e um bom estabelecimento das plantas depende diretamente da qualidade das sementes utilizadas. Por isso, sempre é importante lembrar que a semente é a responsável pelo potencial genético da cultura no campo. Portanto, para produção de sementes de qualidade, alguns cuidados devem ser tomados. Primeiramente, é preciso entender que a produção de sementes é diferente da produção de grãos. Sendo que uma lavoura com finalidade de produzir sementes possui exigências distintas das lavouras destinadas a produção de grãos.

     

    E quando falamos em qualidade de sementes , temos quatro atributos que devem ser considerados. São eles a pureza genética , pureza física , qualidade fisiológica e qualidade sanitária . Portanto, para uma semente ser comercializada, ela precisa atender critérios pré-determinados dentro de cada um destes aspectos.

     

    Etapas da produção de sementes e cuidados especiais

     

    Para que estes atributos sejam contemplados de forma satisfatória, é preciso planejar atentamente algumas etapas e garantir alguns cuidados na produção das sementes, como: escolha do material varietal, escolha da área de produção, planejamento das datas de semeadura, correto manejo fitossanitário, manejo pré-colheita, colheita, controle de qualidade, entre outros. A seguir abordaremos mais sobre essas etapas.

     

    Escolha da área de produção

    É preciso cautela para definir o talhão ao qual será destinada àquelas varietais que serão implantadas. Pois é muito importante que não haja misturas varietais ocasionadas pela proximidade com outras lavouras. Por isso, os campos de produção de sementes devem ser isolados no tempo ou espaço  de outras produções vizinhas para minimizar os riscos de contaminação por mistura varietal.

    Cuidados na semeadura

    A semeadora para sementes não difere da utilizada para plantio de áreas destinadas à grãos. Os cuidados no plantio também devem ser os mesmos quanto a espaçamento adequado da cultivar, velocidade e profundidade de plantio. Mas no caso do plantio de campos de sementes há um cuidado extra: a semeadora deve estar limpa e sem resíduos de outras sementes para evitar contaminação genética. Além de que seu planejamento deve levar em conta a capacidade de colheita, para que a semente não fique além do necessário no campo.

     

    Manejos e tratos culturais

    Uma vez estabelecida no campo, passa-se a atenção para o manejo de pragas, doenças e plantas daninhas , visando garantir qualidade física e sanitária. No caso das plantas daninhas, estas podem gerar impurezas para o lote de sementes. Já para o caso de doenças e pragas, destacamos os percevejos, que podem ser vetores de doenças virais além de causar danos físicos nas sementes. Portanto, o monitoramento de pragas, doenças e daninhas deve ser rigoroso, considerando desde a implantação do campo até a colheita das sementes.

     

    “Rouguing”

    Esta prática tem por finalidade eliminar plantas de características não desejadas, com potencial de contaminar o campo de sementes. Alguns exemplos de características indesejadas são: diferença de cor de flor, cor de pubescência, ciclo, hábito da planta, diferença de altura, entre outas. Este manejo é feito em diferentes estádios fenológicos, por pessoas previamente treinadas para realizar manualmente a eliminação destas plantas.

     

    Pré-colheita  

    Neste ponto, realizam análises e testes para avaliar as sementes ainda em campo, antes de serem colhidas.  A equipe de campo responsável faz a coleta de algumas plantas e as levam para o laboratório onde realizam as amostras de sementes por meio de testes como de tetrazólio, por exemplo.

     

    Esta análise é determinante para autorização da colheita do campo ou não. A depender das condições e dos resultados destes testes, o campo pode ser aprovado para colheita como semente ou descartado e direcionado para colheita como grão.

     

    Testes de semente

    Para a determinação da qualidade, são utilizados diversos testes. Dentre eles, podemos destacar: teste de germinação, de vigor, envelhecimento acelerado, tetrazólio, condutividade elétrica, entre outros.

     

    As análises laboratoriais são parte fundamental para averiguar se o lote de sementes amostrado se enquadra dentro dos padrões de comercialização pré-definidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Estes testes servem também para monitoramento da qualidade dos lotes armazenados.

     

    Colheita

    A partir da análise da pré-colheita, é autorizada a colheita e o time de campo acompanha esta operação a fim de ajustar regulagem de máquinas para redução dos danos, orientar na limpeza das máquinas e equipamentos para que não haja mistura varietal. Recomenda-se que a colheita seja feita com a umidade das sementes entre 13 e 15%.

    Beneficiamento

    Ao chegar na Unidade de Beneficiamento de Sementes (UBS), é coletada uma amostra do caminhão, esta é classificada e direcionada ao laboratório para análises rápidas de qualidade para aprovação ou não da carga.

     

    Uma vez aprovada, a carga entra no beneficiamento onde as sementes passam pelo processo de secagem, pré-limpeza e classificação. A limpeza geralmente ocorre nas esteiras. Em seguida, passam pelo secador para deixar a umidade em torno de 13% e uniformizar a umidade da massa de grãos. Na padronização e uniformização das sementes, elas são separadas de acordo com tamanho. E na mesa densimétrica são descartadas as sementes com menor peso.

     

    Armazenamento

    A partir daí, os lotes de sementes são amostrados (para posterior monitoramento da qualidade durante armazenamento), embalados e armazenados em condições ideais (temperatura e umidade relativa do ar controladas), a fim de manter os níveis de qualidade e desacelerar a deterioração. Afinal, condições como temperatura e umidade relativa do ar são decisivas para manutenção da qualidade do lote de sementes por mais tempo. Caso essas condições sejam desfavoráveis, o processo de deterioração daquele lote pode ser acelerado e, consequentemente, mais rápida se dá a redução do vigor daquele lote de sementes.

     

    E neste armazém ela deve ficar até ser comercializada e despachada ao produtor que fizer a compra destes lotes. Enfim, a semente chega ao campo e é semeada, cumprindo o seu papel de levar ao campo todo potencial genético daquele material.