Produção global de cereais deve cair 0,6% em 2022

Projeção é para 2,791 bilhões de toneladas contra 2,809 bilhões de toneladas de 2021. Alerta consta do relatório global trimestral da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO)

Agricultura

img-news
De acordo com relatório global trimestral da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), a perspectiva é de que a produção mundial de cereais registre uma queda de 0,6% em 2022 na comparação com o ano passado, atingindo 2,791 bilhões de toneladas. Em 2021, a produção registrada foi de 2,809 bilhões de toneladas. 

A FAO avalia globalmente 46 países, incluindo 33 na África, dez na Ásia, dois na América Latina e no Caribe e um na Europa, que precisam de assistência externa para alimentos. Esta lista agora inclui a Ucrânia e o Sri Lanka. 

Preocupações sérias também se relacionam com a África Oriental devido a várias estações de condições de seca, com um risco iminente de fome em algumas áreas. 

Em todo o mundo, o aumento dos preços dos alimentos e a inflação global estão piorando as condições de segurança alimentar, particularmente nos países com déficit alimentar de baixa renda, enquanto o uso de insumos agrícolas poderia ser limitado por seus preços elevados, possivelmente reduzindo os rendimentos e as colheitas em 2022. 

ASIA
Na Ásia, a produção prevista é de aumento de 0,5% em comparação ao ano passado, com 1,242 bilhão de toneladas. Em 2021, a produção foi de 1,236 bilhão de toneladas. As expansões da área da Ásia estão aumentando as perspectivas de produção no Extremo Leste da Ásia e a produção agregada de cereais em 2022 está prevista acima da média de cinco anos. As condições climáticas secas reduziram os rendimentos das safras de 2022 no Leste, enquanto as condições climáticas mistas estão diminuindo as expectativas de produção nos países asiáticos da Comunidade dos Estados Independentes (CEI).

AMÉRICA DO SUL
Segundo o relatório, o continente que mais teve aumento na produção foi a América do Sul, com avanço de 9,7% em relação ao ano anterior, atingindo 249,3 milhões de toneladas. Está prevista uma produção abundante de milho no continente em 2022, sustentada por grandes plantações, enquanto há algumas preocupações para a safra de trigo devido a condições climáticas mais secas que o normal. 

AMÉRICA CENTRAL
Na América Central, a produção prevista é de 42,2 milhões de toneladas, apresentando uma retração de 1,2% às 42.7 milhões de toneladas produzidas no ano passado. As condições climáticas no continente são desfavoráveis e os altos custos dos insumos agrícolas impactaram negativamente as perspectivas de produção de cereais em 2022. 

OCEANIA
A Oceania, por sua vez, tende a ter uma retração de -14,1% comparado ao ano passado, quando atingiu 55,2 milhões de toneladas. O número previsto para este ano é de 47,4 milhões de toneladas. 

AMÉRICA DO NORTE
Na América do Norte, se espera um leve avanço de 0,3%, atingindo 497,4 milhões de toneladas. O valor é um pouco maior do que o registrado em 2021, quando atingiu 495,9 milhões de toneladas. 

EUROPA
Na Europa, a previsão é de 518 milhões de toneladas. O número é 5,6% menor do que no ano interior, quando atingiu 594,4 milhões de toneladas. 

ÁFRICA
No continente africano, a produção deve cair 4% em comparação com o ano passado, quando atingiu 202 milhões de toneladas. O número previsto para este ano é de 194,7 milhões de toneladas. 

Eventos climáticos adversos no norte da África e no Sudeste da África resultaram na redução da produção de cereais em 2022 na maioria dos países. Na África Oriental, os déficits persistentes de chuva estão reduzindo drasticamente as perspectivas de produção e já causaram extensas mortes de animais em 2022, com graves implicações de insegurança alimentar, principalmente para os animais de pastoreio. Na África Ocidental, as perspectivas de produção são incertas para a safra de 2022, refletindo o agravamento dos conflitos e um início desigual da estação chuvosa.

logo