John Deere logo

    Conecta

    Sua fonte centralizada de notícias Agro

    VOCÊ CONECTADO: Fique ligado nas notícias do dia (1/8)

    Conecta traz um resumo dos principais fatos e acontecimentos que impactam o agronegócio no Brasil e no mundo para que o produtor rural termine o dia bem informado
    Rafael De Marco
    Arquivo
    Arquivo

    Tags:

    Notícias

    Confira os dados sobre exportação mês de julho

     

    ALGODÃO: As exportações brasileiras de algodão bruto somaram 72,624 mil toneladas em julho (21 dias úteis), com média diária de 3,458 mil toneladas. A receita com as vendas ao exterior totalizou US$ 132,123 milhões, com média diária de US$ 6,291 milhões.

     

    CARNE SUÍNA: As exportações de carne suína "in natura" do Brasil renderam US$ 233,404 milhões em julho (21 dias úteis), com média diária de US$ 11,114 milhões. A quantidade total exportada pelo país no período chegou a 94,176 mil toneladas, com média diária de 4,486 mil toneladas. O preço médio ficou em US$ 2.478,40. Em relação a julho de 2022, houve alta de 11,6% no valor médio diário, ganho de 7,2% na quantidade média diária e avanço de 4,1% no preço médio.

     

    AVES: As exportações de carne de aves e suas miudezas comestíveis, frescas, refrigeradas ou congeladas do Brasil renderam US$ 787,150 milhões em julho (21 dias úteis), com média diária de US$ 37,483 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 404,605 mil toneladas, com média diária de 19,266 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 1.945,50. Em relação a julho de 2022, houve baixa de 5,9% no valor médio diário, avanço de 7,5% na quantidade média diária e recuo de 12,5% no preço médio.

     

    CARNE BOVINA: As exportações de carne bovina fresca, congelada ou refrigerada do Brasil renderam US$ 762,221 milhões em julho (21 dias úteis), com média diária de US$ 36,296 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 160,795 mil toneladas, com média diária de 7,656 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 4.740,30. Em relação a julho de 2022, houve baixa de 30,4% no valor médio diário da exportação, perda de 3,8% na quantidade média diária exportada e desvalorização de 27,6% no preço médio.

     

    MILHO: As exportações de milho do Brasil apresentaram receita de US$ 1,066 bilhão em julho (21 dias úteis), com média diária de US$ 50,804 milhões. A quantidade total de milho exportada pelo país ficou em 4,301 milhões de toneladas, com média de 204,811 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 248,10. Em relação a julho de 2022, houve baixa de 7,3% no valor médio diário da exportação, alta de 4,4% na quantidade média diária exportada e desvalorização de 11,3% no preço médio.

     

    AÇÚCAR: A receita diária média obtida com as exportações brasileiras de açúcar e outros melaços atingiu US$ 71,418 milhões em julho, com 21 dias úteis, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex). Já o volume médio diário de exportações chegou a 141,677 mil toneladas no mês. Foram exportadas 2.975.212 toneladas de açúcar em julho, com receita de US$ 1,494 bilhão e um preço médio de US$ 502,20 por tonelada. Na comparação com a média diária de julho de 2022, de US$ 54,756 milhões, houve alta de 29,9% no valor obtido diariamente pelas exportações de açúcar em julho de 2022.

     

    SOJA: As exportações de soja em grão do Brasil renderam US$ 4,873 bilhões em julho (21 dias úteis), com média diária de US$ 232,052 milhões. A quantidade total exportada pelo país no período chegou a 9,903 milhões de toneladas, com média diária de 471,590 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 492,10. Na comparação com julho de 2022, houve alta de 3,2% na receita média diária e de 31,9 no volume. O preço caiu 21,8%.

     

    ECONOMIA: Balança tem superávit de US$ 9,035 bi em julho

    Em Julho/2023, comparado a igual mês do ano anterior, as exportações caíram -2,6% e somaram US$ 29,06 bilhões. As importações caíram -18,2% e totalizaram US$ 20,03 bilhões. Assim, a balança comercial registrou superávit de US$ 9,35 bilhões, com crescimento de 68,7%, e a corrente de comércio diminuiu -9,6%, alcançando US$ 49,09 bilhões. No acumulado Janeiro/Julho 2023, em comparação a igual período do ano anterior, as exportações cresceram 0,4% e somaram US$ 194,74 bilhões. As importações caíram -8,9% e totalizaram US$ 140,64 bilhões. Como consequência destes resultados, a balança comercial apresentou superávit de US$ 54,10 bilhões, com crescimento de 36,6%, e a corrente de comércio registrou queda de -3,7%, atingindo US$ 335,38 bilhões.