John Deere logo

    Conecta

    Sua fonte centralizada de notícias Agro

    VOCÊ CONECTADO: Fique ligado nas notícias do dia (10/11)

    Conecta traz um resumo dos principais fatos e acontecimentos que impactam o agronegócio no Brasil e no mundo para que o produtor rural termine o dia bem informado
    Rafael De Marco
    Arquivo
    Arquivo

    Tags:

    Agronegócio

    MILHO: Line-up prevê embarques de 8,956 milhões de toneladas pelo Brasil em novembro

    O line-up, a programação de embarques nos portos brasileiros, indicou que poderão ser exportadas 8,956 milhões de toneladas de milho em novembro, conforme levantamento de SAFRAS & Mercado. Desse total, já foram embarcadas 2,488 milhões de toneladas. Para dezembro estão programados embarques de 1,863 milhão de toneladas de milho. Entre fevereiro/23 e janeiro/24, o line-up sinaliza embarques acumulados de 47,996 milhões de toneladas do cereal.

     

    AGENDA: Acompanhe os principais eventos do agronegócio na semana entre 13 e 17 de novembro

    Acompanhe abaixo os principais eventos ligados ao agronegócio e à economia na semana entre 13 e 17 de novembro:
    -Segunda-feira (13/11) - China: O índice de produção industrial será publicado na noite anterior pelo escritório nacional de estatísticas. - A Opep publicará seu relatório mensal sobre o mercado de petróleo. - O Banco Central divulga, às 8h30, o Relatório Focus com as previsões do mercado para a economia. - Inspeções de exportação semanal dos EUA - USDA, 13h. - O Ministério do Desenvolvimento, da Indústria. do Comércio e Serviços divulga, às 15h, a balança parcial preliminar de novembro. - Dados de comercialização de soja, milho e algodão no MT - Imea, 16h. - Relatório sobre confinamento no MT - Imea, 16h. - Exportações de café do Brasil em outubro - Cecafé, 16h. - Relatório de evolução e condições das lavouras nos Estados Unidos - USDA, 18h. - Resultados financeiros da JBS, BRF, Cosan, Heringer e Raizen.
    -Terça-feira (14/11) - Japão: O índice de preços ao produtor de outubro será publicado na noite anterior pelo escritório nacional de estatísticas. - A AIE publicará seu relatório mensal sobre o mercado de petróleo. - Reino Unido: A taxa de desemprego de setembro será publicada às 4h pelo escritório nacional de estatísticas. - Eurozona: A leitura preliminar do Produto Interno Bruto (PIB) do 3T23 será publicada às 7h pelo Eurostat. - Dados sobre as lavouras do Paraná - Deral, na parte da manhã. - EUA: O índice de preços ao consumidor de outubro será publicado às 10h30 pelo departamento do Trabalho.
    -Quarta-feira (15/11) - Feriado no Brasil - Proclamação da República. - Japão: A leitura preliminar do Produto Interno Bruto (PIB) do 3T23 será publicada na noite anterior pelo escritório nacional de estatísticas. - Japão: O índice de produção industrial de setembro será publicado à 1h30 pelo escritório nacional de estatísticas. - Reino Unido: O índice de preços ao consumidor de outubro será publicado às 4h pelo escritório nacional de estatísticas. - Reino Unido: O índice de preços ao produtor de outubro será publicado às 4h pelo escritório nacional de estatísticas. - Eurozona: O índice de produção industrial de setembro será publicado às 7h pelo Eurostat. - Eurozona: O saldo da balança comercial de setembro será publicado às 7h pelo Eurostat. - EUA: O índice de preços ao produtor de outubro será publicado às 10h30 pelo departamento do Trabalho. - Esmagamento de soja nos EUA em outubro - Nopa, 14h. - EUA: A posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana passada será publicada às 12h30 pelo Departamento de Energia (DoE).
    -Quinta-feira (16/11) - O BC divulga, às 9h, o IBC-Br de setembro. - Exportações semanais de grãos dos EUA - USDA, 10h30. - Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas - Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs. - Relatório de condições das lavouras da Argentina Ministério da Agricultura, na parte da tarde. - Dados sobre o desenvolvimento das lavouras no RS - Emater, na parte da tarde. - Custos de produção de soja, milho e algodão no MT - Imea, 16h.
    -Sexta-feira (17/11) - Eurozona: O índice de preços ao consumidor de outubro será publicado às 7h pelo Eurostat. - A FGV divulga, às 8h, o IGP-10 de novembro. - O Imea divulga relatório sobre a evolução das lavouras no Mato Grosso.

     

    ECONOMIA: INPC sobe 0,12% em outubro - Alimentos avançam 0,23%

    A alta do Indice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) foi de 0,12% em outubro, próxima à registrada no mês anterior (0,11%). O índice acumula aumento de 3,04% no ano e de 4,14% nos últimos 12 meses. Os produtos alimentícios subiram 0,23% em outubro, após a queda de 0,74% em setembro. Já os preços dos não alimentícios variaram 0,09%, abaixo do registrado em setembro (0,38%). As informações são do IBGE.

     

    AGRONEGÓCIO: Empresas do setor relatam que política sustentável do governo impulsionou comércio

    Em reunião no Palácio do Planalto na tarde desta quarta-feira (08), o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva; o ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, e o ministro-chefe da Casa Civil, Rui Costa, receberam a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove). Representantes de algumas das principais empresas do agronegócio brasileiro e internacional, aproveitaram o encontro para agradecer a postura do governo federal em relação à questão ambiental. “Eles vieram parabenizar pela política ambiental de repressão ao desmatamento ilegal, que dificultava a comercialização dos produtos brasileiros do agro, principalmente o óleo de soja, o farelo de soja e depois os desdobramentos com carnes”, comentou Fávaro. De acordo com o ministro, nestes dez primeiros meses do governo, o setor já sentiu o reflexo na melhoria do comércio motivada por uma política respeitosa, rigorosa com o crime ambiental, mas que, por outro lado, cria oportunidades para quem investe em sustentabilidade. Nesta linha, um dos principais temas da reunião foi uma matriz energética limpa e o biocombustível brasileiro. Responsável por 65% do esmagamento de soja, 70% do trading e 35% do biodiesel brasileiro, a Abiove informou que está pronta para aumentar a mistura de biodiesel ao diesel. A proposta aprovada no Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) em fevereiro deste ano prevê o aumento escalonado da mistura até 2030 levando em conta, também, a demanda. Para isso, a associação anunciou um investimento de US$ 10 bilhões nos próximos anos. As informações são do Mapa.

     

    ECONOMIA: IPCA avança 0,24% em outubro - Mercado previa 0,30%

    A inflação do país foi de 0,24% em outubro, após a alta de 0,26% no mês anterior. O Termômetro CMA apostava em alta de 0,30%. É o quarto mês seguido de taxas positivas do indicador. O maior impacto individual no resultado de outubro veio dos preços das passagens aéreas, que subiram 23,70% na comparação com o mês anterior. Esse item já vinha de uma alta de 13,47% em setembro. No ano, a inflação acumulada do país é de 3,75% e, nos últimos 12 meses, de 4,82%. Os dados são do Indice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado hoje (10) pelo IBGE. Oito dos nove grupos de produtos e serviços investigados pela pesquisa tiveram inflação. Dentre eles, os destaques foram transportes (0,35%) e alimentação e bebidas (0,31%), que têm maior peso no índice. Além do aumento das passagens aéreas, o grupo de transporte teve como destaque as altas do táxi (1,42%) e do óleo diesel (0,33%), único item dos combustíveis (-1,39%) que registrou inflação. No período, os preços da gasolina (-1,53%), do gás veicular (-1,23%) e do etanol (-0,96%) caíram. Já no grupo de alimentação e bebidas, que vem de quatro deflações consecutivas, a alimentação no domicílio subiu 0,27%. A alta foi impulsionada pelo aumento nos preços da batata-inglesa (11,23%), da cebola (8,46%), das frutas (3,06%), do arroz (2,99%) e das carnes (0,53%).Por outro lado, os preços das carnes vinham em queda desde janeiro, e a deflação acumulada no período é de 11,08%. Outros itens básicos na mesa do brasileiro tiveram queda em outubro, como o leite longa vida (-5,48%) e o ovo de galinha (-2,85%). A alimentação fora do domicílio (0,42%) ficou mais cara, com o aumento da refeição (0,48%) e do lanche (0,19%).

     

    CANA: Produção da safra 2023/24 em Minas Gerais deve bater recorde

    A moagem de cana-de-açúcar na safra 2023/24 de Minas Gerais atingiu a marca de 70,7 milhões de toneladas até 01/11, alta de 12,5% em comparação com o mesmo período da safra anterior, de acordo com os dados da Siamig - Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais. A produção de açúcar alcançou a marca de 4,9 milhões de toneladas, representando um aumento de 14,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Na segunda quinzena de outubro, foram produzidas 295 mil toneladas de açúcar, um salto de 11% em comparação com o mesmo período da safra anterior. A fabricação de etanol total alcançou 2,9 bilhões de litros, um aumento de 9% em relação ao mesmo período do ano passado. O etanol hidratado alcançou 1,7 milhões de metros cúbicos, enquanto o etanol anidro atingiu 1,19 milhão de metros cúbicos, representando incrementos de 10,5% e 6,6%, respectivamente, em comparação com o mesmo período da safra 2022/23. O mix de produção acumulado mostra uma tendência de 51% para o açúcar, registrando um aumento de 1 pontos percentuais em relação à safra anterior. O presidente da SIAMIG, Mário Campos, interpreta os números como um indicativo promissor para a safra 2023/2024 em Minas Gerais, que vem chegando ao fim. O volume de cana processado atingiu 83% da estimativa total da safra, aproximando-se de um volume recorde.

     

    SOJA: Plantio atinge 20% em Júlio de Castilhos (RS)

    O plantio de soja atinge 20% da área de Júlio de Castilhos, na região central do Rio Grande do Sul. A superfície é projetada em 104,2 milhões de toneladas. Segundo o engenheiro agrônomo da Cotrijuc, Felipe Mello, a produtividade é esperada inicialmente em 60 sacas por hectare. Apenas 5% das sementes já germinaram e começam a emergir. A meteorologia prevê chuvas significativas sobre a região na próxima semana. Mello espera uma boa safra e salienta: “Precisamos”.

     

    CLIMA: Grandes volumes de chuva devem atingir RS nos próximos dias, diz Seapi

    A próxima semana deverá ter chuva e altos volumes acumulados em grande parte do Rio Grande do Sul. É o que aponta o Boletim Integrado Agrometeorológico 45/2023, da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (Seapi), em parceria com a Emater/RS-Ascar e o Irga. Entre sexta-feira (10/11) e domingo (12/11), a presença de uma área de baixa pressão vai manter uma grande variação de nuvens, com pancadas de chuva e trovoadas, com chance de tempestades isoladas. Na segunda-feira (13/11), a propagação de uma nova frente fria provocará chuva generalizada. Na terça (14/11) e quarta-feira (15/11), o tempo quente e úmido seguirá predominando, com períodos de céu encoberto e pancadas de chuva na maioria das regiões. Os totais previstos são elevados em grande parte do Estado. Deverão oscilar entre 80 e 120 mm na maioria das áreas da Metade Norte, podendo superar 150 mm em diversos municípios, principalmente nas Missões, Alto Uruguai e Planalto. Na Metade Sul, os valores esperados deverão oscilar entre 35 e 50 mm na maioria das localidades, com exceção do Extremo Sul, onde os volumes poderão exceder 100 mm.

     

    CARNES: Diminuição de rebanho bovino reduz exportações dos Estados Unidos

    Os Estados Unidos estão enfrentando uma redução nas exportações de carne bovina devido à diminuição do rebanho de gado, atingindo os níveis mais baixos em décadas. O declínio no número de cabeças de gado foi resultado de anos de seca, prejudicando as pastagens destinadas ao pastoreio. Isso levou a um aumento nos preços da carne bovina no país, incentivando empresas como a Tyson Foods a importar carne mais barata e desencorajando compras de carne bovina estadunidense por países como China, Japão e Egito. Analistas preveem que a menor demanda por carne bovina dos Estados Unidos, combinada com custos mais altos para o gado, resultará em margens trimestrais negativas para a Tyson Foods, sua maior unidade de negócios. O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) prevê que o país cairá para o quarto lugar no ranking mundial de exportadores de carne bovina este ano, em comparação ao segundo lugar em 2022. A Tyson está enfrentando pressão adicional devido ao encarecimento do gado e à força do dólar, tornando seus produtos menos competitivos globalmente. A expectativa é de que as exportações de carne bovina do país diminuam em 14% este ano, atingindo o menor nível desde 2020.

     

    TRIGO: Colheita em Júlio de Castilhos (RS) atinge 40% da área

    A colheita de trigo atinge 40% da área em Júlio de Castilhos, a região central do Rio Grande do Sul. A superfície semeada totalizou 9 mil hectares. Segundo o engenheiro agrônomo da Cotrijuc, Felipe Mello, a produtividade observada é de 40 secas por hectare. Muitas áreas foram colhidas com muita umidade devido ao receio de chuvas. A meteorologia prevê precipitações expressivas na próxima semana. O peso hectolitro (PH) do grão colhido varia de 72 a 75. Poucas áreas tem PH entre 77 e 79, observou o engenheiro agrônomo.

     

    CARNES: Mais de cinco mil suínos serão sacrificados em Hong Kong devido à Peste Suína Africana

    As autoridades de Hong Kong ordenaram, na quinta-feira, o abate de cerca de 5.600 suínos de um rebanho depois que o vírus da Peste Suína Africana (PSA) foi descoberto em uma fazenda local. A fazenda licenciada em Lau Fau Shan, área rural de Yuen Long, perto da fronteira com a China continental, testou positivo para o vírus PSA, depois que amostras foram retiradas de 37 suínos para teste. O Departamento de Agricultura, Pescas e Conservação (AFCD) informou que vai providenciar a limpeza e desinfecção da fazenda, além de manter as fazendas locais de suínos sob vigilância rigorosa e realizar testes, se necessário. "Os membros do público não precisam se preocupar", disse um porta-voz do departamento em comunicado, acrescentando que o incidente não afetará o fornecimento geral de suínos vivos nem o funcionamento dos matadouros locais. O departamento notificou a Organização Mundial de Saúde Animal e está investigando e rastreando a origem do vírus em colaboração com especialistas internacionais, acrescentou. Não foram recebidos relatos de anormalidades em fazendas de suínos fora de uma zona de três quilômetros. As informações são da Reuters.