John Deere logo

    Conecta

    Sua fonte centralizada de notícias Agro

    VOCÊ CONECTADO: Fique ligado nas notícias do dia (26/10)

    Conecta traz um resumo dos principais fatos e acontecimentos que impactam o agronegócio no Brasil e no mundo para que o produtor rural termine o dia bem informado
    Rafael De Marco
    Arquivo
    Arquivo

    Tags:

    Agronegócio

    FERTILIZANTES: Ministério da Agricultura fiscaliza Porto de Paranaguá

    No período de 16 a 20 de outubro, o Porto de Paranaguá, um dos principais pontos de entrada de fertilizantes do Brasil, recebeu uma força-tarefa formada por auditores fiscais federais agropecuários do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa). A ação teve como objetivo a fiscalização da importação de matérias-primas, armazenamento e produção de fertilizantes minerais destinados à agricultura naquela região. As equipes fiscalizaram 47 estabelecimentos e coletaram 34 amostras representativas de 32 toneladas de fertilizantes, para análise nos Laboratórios Federais de Defesa Agropecuária (LFDA). Dos produtos fiscalizados, cerca de 1.700 toneladas de fertilizantes foram apreendidos cautelarmente. Também, como medida cautelar, 5 estabelecimentos foram suspensos temporariamente para realização de adequações. As melhorias são um resultado das contínuas fiscalizações que vem sendo realizadas com a Coordenação Geral de Fertilizantes, Inoculantes e Corretivos (CGFIC), área de fertilizantes do Serviço de Fiscalização de Insumos e Sanidade Vegetal (SISV) dos estados.

     

    CARNE BOVINA: São Paulo está perto de ser livre de febre aftosa sem vacinação

    O secretário-executivo da Secretaria de Agricultura do Estados de São Paulo (SP), Edson Fernandes, reiterou, nesta quinta-feira, o compromisso da pasta com a consolidação do estado como livre da febre aftosa sem vacinação. No próximo dia 31, será realizado evento no interior de SP para marcar o status sanitário que passa a valer a partir de 2024. A medida prevista no Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa (PNEFA) faz com que São Paulo se torne zona livre da doença sem vacinação, assim como já ocorrido com os Estados do Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Tocantins. O status é reconhecido internacionalmente e permite a exportação a países que restringem seu consumo a produtos oriundos de regiões livres de aftosa sem vacinação. Fernandes falou durante a cerimônia de abertura do 30º Congresso Internacional da Indústria do Trigo, realizado pela Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo), em Atibaia (SP), entre os dias 25 e 27 de outubro. A Agência SAFRAS realiza a cobertura in loco do evento.

     

    SOJA: USDA anuncia venda de 110.000 toneladas para China

    Os exportadores privados norte-americanos reportaram ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) a venda de 110.000 toneladas de soja em grãos para a China, a serem entregues na temporada 2023/24. Toda operação envolvendo a venda de volume igual ou superior a 100 mil toneladas do grão, feita para o mesmo destino e no mesmo dia, tem que ser reportada ao USDA.

     

    TRIGO: Indústria debate desafios fiscais, estruturais e de mercado

    A indústria do trigo se reúne nesta semana em Atibaia para compartilhar informações, anseios e angústias. A colocação é do presidente do conselho deliberativo da Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo), Rogério Tondo. Segundo ele, o setor vem demonstrando resiliência em meio aos desafios internos e internacionais. Além de questões de impacto direto sobre o mercado, como a guerra na Ucrânia, o clima adverso no Sul do Brasil e as variações cambiais, assuntos fiscais, como o arcabouço e a reforma tributária também merecem atenção dos participantes. O presidente da entidade, Rubens Barbosa, fez coro ao colega e celebrou a 30a edição do Congresso Internacional da Indústria do Trigo. O evento é realizado em Atibaia, no interior de São Paulo.

     

    ETANOL: Assembleia Legislativa de Minas Gerais aprova política de incentivo ao setor

    O Projeto de Lei (PL) 1.159/23, do deputado Raul Belém (Cidadania), que cria a Política Estadual de Incentivo ao Consumo de Etanol, foi aprovado em 1º turno na Reunião Extraordinária de Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realizada na manhã desta quarta-feira (25/10/23). Os deputados seguiram o entendimento da Comissão de Administração Pública, que apresentou o substitutivo nº 3. O texto aprovado estabelece, entre os objetivos da referia política, a promoção do agronegócio e do combustível proveniente da cana-de-açúcar, o fortalecimento do setor sucroenergético e dos produtores rurais, e o apoio à criação de microdestilarias de base associativista, como forma de incentivar o consumo de etanol pelos agricultores associados. Os órgãos e entidades públicos estaduais priorizarão o abastecimento de seus veículos flex com etanol sempre que a sua utilização for mais vantajosa. O Estado também estimulará as empresas sediadas em território mineiro a aderir a campanhas internacionais de redução das emissões de carbono e a se comprometer com o consumo preferencial de etanol em suas frotas de veículos flex.

     

    AVES: Pilgrims espera que aumento de consumo de frango no próximo ano

    A Pilgrims Pride espera que mais consumidores passem a comer frango no próximo ano à medida que a oferta de carne bovina for diminuindo e os preços aumentando. O CEO Fabio Sandri disse aos analistas em uma teleconferência que os preços mais baixos da ração animal e a maior demanda por frango devem contribuir para um impulso da companhia em 2024. A demanda por frango também tende a aumentar a partir de janeiro, quando mais consumidores mudam para parte de sua dieta para o setor de aves como resolução de Ano Novo. Segundo Sandri, a Pilgrims também deve ser ajudada por mais promoções em supermercados e outras melhorias operacionais que a empresa realizou em seus negócios. As informações partem da Dow Jones.

     

    TRIGO: Safra 2023 deve atingir 3,855 milhões de toneladas no Paraná, diz Deral

    O Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, informou, em seu relatório mensal de outubro, que a safra 2023 de trigo do Paraná deve registrar uma produção de 3,855 milhões de toneladas, 10% acima das 3,515 milhões de toneladas colhidas na temporada 2022. A área cultivada deve ficar em 1,412 milhão de hectares, contra 1,237 milhão de hectares em 2022, alta de 14%. A produtividade média é estimada em 2.729 quilos por hectare, abaixo dos 2.847 quilos por hectare registrados na temporada 2022.

     

    FEIJÃO: 2a safra 2022/23 do Paraná é estimada em 478 mil toneladas, diz Deral

    O Departamento de Economia Rural (Deral), vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (SEAB), estimou, em seu relatório mensal de outubro, que a produção da 2a safra de feijão em 2022/23 deve chegar a 478 mil toneladas, 16% abaixo das 570,2 mil toneladas na safra anterior (2021/22). A área plantada foi estimada em 294,7 mil hectares, 14% abaixo dos 342,9 mil hectares plantados na safra anterior. A produtividade é estimada em 1.628 quilos por hectare, ante os 1.672 quilos por hectare da safra 2021/22.

     

    MILHO: 2a safra 2022/23 do Paraná deve atingir 14,019 milhões de toneladas, prevê Deral

    O Departamento de Economia Rural (Deral), vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (SEAB), estimou, em seu relatório mensal de outubro, que a 2a safra 2022/23 de milho no Paraná está estimada em 14,019 milhões de toneladas, volume 6% maior ante as 13,273 milhões de toneladas da temporada anterior (2021/22). A área é estimada em 2,386 milhões de hectares, que deve cair 13% frente à temporada anterior, de 2,738 milhões de hectares. A produtividade média deve alcançar 5.882 quilos por hectare em 2022/23, acima da registrada na temporada anterior, de 4.880 quilos por hectare.

     

    SOJA: Municípios decretam estado de emergência com chuvas acima da média na regional de Bagé (RS); Plantio atinge 3%

    O plantio de soja atingiu 3% na regional de Bagé, no Rio Grande do Sul. Mesmo com as chuvas, a semeadura ainda não está atrasada ano passado estava em 1,75% nesta época do ano. A área deve ser maior em comparação com a última temporada, sendo estimada em 1,111 milhão de hectares, ante 1,046 milhão de hectares do ano anterior. A produtividade é projetada em 2.516 quilos por hectare. De acordo com o engenheiro agrônomo da Emater, Guilherme Zorzi, em entrevista exclusiva à Agência SAFRAS, a região enfrenta obstáculos substanciais devido a chuvas torrenciais, levando municípios como Itaqui, São Borja e Uruguaiana a declarar situação de emergência devido ao transbordamento dos rios e inundações, causando transtornos consideráveis aos agricultores locais. O clima adverso tem dificultado não apenas a colheita do trigo, mas também o preparo do solo para o plantio de arroz e soja. Na região da Campanha, que inclui Dom Pedrito, Bagé, Hulha Candiota, Lavras e Caçapava, observou-se um período mais favorável, com chuvas suficientes para restabelecer a umidade do solo, embora tenham ocorrido alguns eventos de nebulosidade recentemente, relatou. Segundo Zorzi, as previsões indicam que a safra pode continuar a enfrentar desafios consideráveis, especialmente devido ao fenômeno climático El Niño. Com precipitações acima da média, atingindo até 4 vezes o volume mensal normal em alguns municípios, o período de semeadura pode ser prorrogado até 18 de janeiro para os municípios da nossa regional, pondera.