John Deere logo

    Conecta

    Sua fonte centralizada de notícias Agro

    VOCÊ CONECTADO: Fique ligado nas notícias do dia (28/9)

    Conecta traz um resumo dos principais fatos e acontecimentos que impactam o agronegócio no Brasil e no mundo para que o produtor rural termine o dia bem informado
    Rafael De Marco
    Arquivo
    Arquivo

    Tags:

    Agronegócio

    MILHO: Plantio atinge 55% da área no Rio Grande do Sul

    O plantio de milho atinge 55% da área no Rio Grande do Sul. Segundo a Emater/RS, na semana passada eram 50%. Em igual momento do ano passado, os trabalhos atingiam 55%. A média para os últimos cinco anos é de 53%. As lavouras encontram-se predominantemente na fase de germinação e de desenvolvimento vegetativo. As regiões Oeste, Noroeste e Norte do Estado estão próximas de concluir a semeadura. No entanto, nas regiões Sul, Central e Nordeste, o progresso do plantio foi prejudicado devido às chuvas, que ocasionaram encharcamento e excesso de umidade no solo. Essas condições inviabilizaram o trânsito de maquinário agrícola e, em alguns casos, afetaram negativamente a germinação das sementes. Para a safra 2023/2024, projeta-se cultivo de 817.521 hectares com o cereal. A produtividade prevista é de 7.414 kg/ha. As informações são do boletim semanal da Emater/RS.

     

    ECONOMIA: Indice de Preços ao Produtor sobe 0,92% em agosto ante julho

    O Indice de preços ao produtor (IPP) das indústrias Extrativas e de Transformação subiu 0,92% em agosto ante julho, quando registrou queda mensal de 0,82%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O acumulado de 2023 é de -6,32% e na comparação com agosto de 2022, a queda foi de 3,04%. A queda acumulada em 12 meses foi de 10,51%. Entre as grandes categorias econômicas, o resultado de agosto repercutiu assim:

    0,04% de variação em bens de capital;

    1,54% em bens intermediários;

    0,18% em bens de consumo

    Sendo que a variação observada nos bens de consumo duráveis foi de 0,16%, ao passo que nos bens de consumo semiduráveis e não duráveis foi de 0,18%. A principal influência veio de bens intermediários, cujo peso na composição do índice geral foi de 55,48% e respondeu por 0,85 ponto percentual (pp) da variação de 0,92% nas indústrias extrativas e de transformação. Já no acumulado em 12 meses, até agosto, a variação de preços de bens de capital foi de 1,11% em agosto de 2023.

     

    ALEMANHA: Indice de preços ao consumidor sobe 4,5% em setembro em leitura preliminar

    O índice de preços ao consumidor da Alemanha (CPI, na sigla em inglês) teve alta de 4,5% em setembro em base anual e subiu 0,3% em relação a agosto, de acordo com dados preliminares divulgados pelo Escritório Federal de Estatísticas (Destatis). A previsão era de alta de 0,4% em base mensal e de 4,6% em base anual. Já o índice de preços ao consumidor harmonizado (HICP, na sigla em inglês), que leva em consideração os critérios da União Europeia (UE), subiu 4,3% em setembro em base anual e aumentou 0,2% ante o mês anterior. Segundo o Destatis, este é o índice mais baixo desde o início da guerra na Ucrânia. Os preços dos alimentos tiveram uma alta de 7,5% em base anual, segundo o Destatis. Já a energia subiu 1% comparado com o mesmo período do ano anterior. Por sua vez, a inflação do setor de serviços subiu 4%. O núcleo da inflação, que exclui alimentos e energia, subiu 4,6%.

     

    ECONOMIA: IGP-M sobe 0,37% em setembro; mercado esperava 0,43%

    O Indice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) registrou alta de 0,37% em setembro, após queda de 0,14% no mês anterior, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quinta-feira. O Termômetro CMA apontava alta de 0,43%. A aceleração do índice foi disseminada entre seus componentes. O Indice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-M) avançou 0,41%, após deflação de 0,17% no mês anterior. Já o Indice de Preços ao Consumidor (IPC-M) teve alta de 0,27%, ante queda de 0,19% em agosto. O Indice Nacional de Custos da Construção (INCC-M) avançou 0,24% em setembro, repetindo a variação de agosto (0,24%), como havia informado a FGV na terça-feira, 26.

     

    TRIGO: Safra 2023 deve atingir 4,155 milhões de toneladas no Paraná

    O Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, informou, em seu relatório mensal de setembro, que a safra 2023 de trigo do Paraná deve registrar uma produção de 4,155 milhões de toneladas, 18% acima das 3,515 milhões de toneladas colhidas na temporada 2022. A área cultivada deve ficar em 1,408 milhão de hectares, contra 1,237 milhão de hectares em 2022, alta de 14%. A produtividade média é estimada em 2.951 quilos por hectare, acima dos 2.847 quilos por hectare registrados na temporada 2022.

     

    ECONOMIA: BC eleva previsão de alta do PIB de 2023 de 2% para 2,9%

    O Banco Central (BC) elevou a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, de 2% para 2,9% na edição de setembro do Relatório Trimestral de Inflação (RTI). Para 2024, o BC indicou crescimento de 1,8%. Segundo o relatório, a revisão decorre da elevada surpresa positiva no segundo trimestre e, em menor medida, de previsões ligeiramente mais favoráveis para a evolução da indústria, de serviços e do consumo das famílias no segundo semestre. Sob a ótica da oferta, a alta na projeção de crescimento do PIB reflete elevação nas projeções para os três setores. A estimativa para o crescimento da agropecuária passou de 10,0% para 13,0%, refletindo melhora nos prognósticos do IBGE para a produção agrícola, principalmente de soja, de milho e de cana-de-açúcar, e crescimento do abate de animais no primeiro semestre maior do que o antecipado.

     

    MILHO: 2a safra 2022/23 do Paraná deve atingir 14,072 milhões de toneladas

    O Departamento de Economia Rural (Deral), vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (SEAB), estimou, em seu relatório mensal de setembro, que a 2a safra 2022/23 de milho no Paraná está estimada em 14,072 milhões de toneladas, volume 6% maior ante as 13,273 milhões de toneladas da temporada anterior (2021/22). A área é estimada em 2,377 milhões de hectares, que deve cair 13% frente à temporada anterior, de 2,738 milhões de hectares. A produtividade média deve alcançar 5.918 quilos por hectare em 2022/23, acima da registrada na temporada anterior, de 4.880 quilos por hectare.