John Deere logo

    Conecta

    Sua fonte centralizada de notícias Agro

    Tecnologia brasileira recebe reconhecimento internacional

    Startup de tecnologia climática FieldPRO recebe menção honrosa na categoria Agrícola do conceituado Fast Company’s 2023 World Changing Ideas Awards
    Rafael De Marco
    Ricardo Sodré e Mariana Vianna - Foto: Divulgação
    Ricardo Sodré e Mariana Vianna - Foto: Divulgação

    Tags:

    Clima

    Tecnologia

    A FieldPRO, empresa brasileira de tecnologia, inteligência climática e ciência de dados, é a única companhia sul-americana na lista de premiações na categoria Agrícola do Fast Company’s 2023 World Changing Ideas Awards (prêmio para ideias que mudam o mundo, em uma tradução livre).

     

    A FieldPRO recebeu Menção Honrosa pelo trabalho desenvolvido para tratores autônomos, com uso de Inteligência Artificial, na sétima edição do prêmio Fast Company, marca líder mundial em mídia de negócios, com foco editorial em inovação, tecnologia, liderança e ideias para mudar o mundo.

     

    “Esse é um reconhecimento muito importante para a FieldPRO. A Fast Company é uma das principais publicações do mundo e está sempre mostrando empresas realmente inovadoras. É uma satisfação saber que o nosso hardwork está sendo reconhecido lá fora. Acredito que o Brasil precisa ser líder mundial em questões relacionadas a mudanças climáticas e seguiremos fazendo a nossa parte para que isso se concretize”, comenta fundador e CEO da empresa, Ricardo Sodré.

     

    Startup de tecnologia climática, também chamada Climate-tech, a FieldPRO desenvolve e produz os próprios dispositivos inteligentes, que usam aprendizado de máquina, big data e Inteligência Artificial para fornecer uma fonte única de informações relacionadas a microclima, solo e, consequentemente, das lavouras.

     

    Criada em 2018 com a proposta de desenvolver uma solução para melhor entendimento do clima e a saúde do solo das mais diversas regiões, a FieldPRO tem hoje mais de 600 dispositivos instalados pelo Brasil. Com o reconhecimento internacional, Sodré vislumbra possibilidades de expansão internacional.


    “Vencemos o desafio de criar tecnologia própria, o que demanda tempo e investimento, e colocamos nossos produtos no mercado em 2021. Além do Brasil, atuamos no Paraguai, Chile, Argentina e uma pequena participação nos Estados Unidos, onde estamos ampliando nesta safra. Com a chancela da Fast Company, esperamos expandir ainda mais pelo mundo”, afirma Sodré.

     

    Quando fala em tecnologia própria, Sodré de refere aos dispositivos autônomos e algoritmos de inteligência artificial que trazem mais assertividade para o produtor rural. Equipados com sensores de clima e solo, coleta, analisa dados ambientais e fornece dados na forma de relatórios por meio de aplicativo ou pelo desktop. Isso permite, por exemplo, economia de insumos agrícolas, que refletem não somente na produtividade, renda e lucro, mas também na sustentabilidade.

     

    Entre os benefícios ambientais proporcionados pela tecnologia de análise do microclima da FieldPRO, vale citar desde a proteção dos recursos naturais, no sequestro de carbono, na identificação de ameaças e na melhoria da biodiversidade, das propriedades do solo e do estado ambiental, de acordo com as características de cada região do Brasil.

     

    Na prática, significa que o produtor rural recebe informações mais precisas sobre temperatura, umidade, chuva, vento, ou seja, a previsão do tempo para uma determinada área. Esses dados analisados favorecem a tomada de decisões mais assertivas quando ao manejo, janelas de plantio, melhor momento para aplicação de defensivos, entre outros.

     

    Pensando no futuro, a FieldPRO trabalha para ampliar ainda mais a precisão das informações. Para isso, atua junto aos fabricantes de máquinas para que seus dispositivos “conversem” com os equipamentos agrícolas para cruzar mais informações, aliando clima e desempenho no campo. “Investimos em tecnologia autônoma. Sabemos da carência de mão-de-obra especializada no agro e a Inteligência Artificial veio para suprir essa lacuna com eficiência, eficácia e baseada em dados. Tudo a fim de ajudar a garantir segurança alimentar pelo mundo. Afinal, o Brasil é o principal player nesse mercado”, completa.

         

    Sobre a FieldPRO - Ao perceber o aumento dos eventos climáticos extremos e da degradação do meio ambiente, Ricardo Sodré e Mariana Vianna começaram a estudar o potencial em utilizar inteligência artificial e big data para ajudar o mundo a se preparar e responder às mudanças.

     

    Em 2018 se propuseram a desenvolver uma solução para melhor entendimento do clima e a saúde do solo das mais diversas regiões. Era necessário criar uma abordagem, tanto na coleta como na interpretação dos dados, a fim de fornecer informações confiáveis e precisas, e de maneira econômica e escalável.

     

    Começaram inicialmente a atuar na produção de alimentos, oferecendo aos agricultores recursos de monitoramento que auxiliam a manter os campos saudáveis, visando o aumento da produtividade agrícola com a preservação dos recursos naturais.

     

    Após atingirem mais de 600 dispositivos autônomos conectados entre si e concentrados especialmente em áreas mais remotas, como da Amazônia Legal, uma rede de inteligência ambiental foi criada. Ao interpretar dados locais, captadas pelos dispositivos, junto com informações públicas e imagens de satélite, alcançaram uma compreensão única da singularidade da terra e do microclima das regiões brasileiras.