John Deere logo

    Conecta

    Sua fonte centralizada de notícias Agro

    Guia John Deere para fanáticos por tecnologia – Parte 1

    De inteligência artificial à robótica: John Deere apresenta as principais tecnologias presentes no dia a dia do agronegócio
    John Deere Brasil, Empresa
    Arquivo
    Arquivo

    Tags:

    John Deere

    Tecnologia

    Quem gosta de filmes de ficção científica provavelmente está acostumado à ideia de carros voadores, teletransporte e até mesmo viagens no tempo. A realidade, no entanto, é bastante diferente dessa sua representação cinematográfica, passando por inovações como machine learning, inteligência artificial, visão computacional e big data. E o que essas novidades têm em comum? Todas estão presentes no agronegócio. A tecnologia se tornou ferramenta indispensável para a gestão da produção agrícola.

     

    A inovação é um dos pilares da John Deere, empresa global de tecnologia que fornece software e equipamentos para os setores agrícola, de construção e florestal. A companhia aposta em uma agricultura de decisão cada vez mais conectada, em nuvem, aberta, inclusiva e de interface amigável aos produtores. Não à toa, a empresa investe globalmente, todos os dias, US$ 13,7 milhões em Pesquisa e Desenvolvimento para que os agricultores obtenham a máxima produtividade de sua lavoura, com redução de custos e sustentabilidade.

     

    Portanto, se engana quem pensa que o setor não está atrelado diretamente à tecnologia: o presente da agricultura é conectado e digital. Confira algumas principais soluções que parecem da NASA, mas são na verdade da John Deere:

     

    INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

    Ano após ano, produtores de todo o mundo enfrentam o desafio de produzir uma safra melhor que a anterior. A otimização da safra passa diretamente pela estratégia correta e responsável de manutenção do maquinário. Com janelas estreitas de plantio, pulverização e colheita, produtores não podem permitir que uma máquina fique parada, em manutenção. A fim de eliminar esse problema, a John Deere desenvolveu a tecnologia Expert Alerts , que evidencia a atuação do machine learning, de big data e de inteligência artificial.

     

    O sistema consiste em um modelo de manutenção preditiva e preventiva. Com base em dados coletados e armazenados com o consentimento do produtor, a tecnologia utiliza algoritmos avançados e acontecimentos recorrentes passados para identificar, preventivamente, possíveis anomalias/situações antes que causem falhas na máquina. A partir do diagnóstico, alertas são emitidos diretamente ao celular do produtor, avisando sobre possíveis problemas que podem aparecer num futuro próximo e potenciais oportunidades de melhoria no desempenho do equipamento. Os Expert Alerts diminuem o período de inatividade do maquinário, o custo de reparo e o impacto potencial nos componentes da máquina.

     

    VISÃO COMPUTACIONAL E MACHINE LEARNING

    Como você calcula a quantidade exata de defensivos agrícolas que cada planta individual necessita em uma propriedade com centenas de hectares? Por mais impossível que pareça a tarefa, a John Deere desenvolveu um sistema capaz de realizá-la em tempo real. A tecnologia See & Spray combina visão computadorizada, machine learning e um enorme banco de dados para aumentar a capacidade de lucro dos produtores de uma forma sustentável. Com o auxílio de câmeras avançadas, o sistema de pulverização é capaz de diferenciar em tempo real culturas de ervas daninhas, divididas por espécie e estado fenológico. Assim, pulveriza especificamente as plantas daninhas, reduzindo significativamente a aplicação de herbicidas, com ganhos ambientais e econômicos.

     

    Além disso, a etapa de aplicação de defensivos agrícolas e insumos é a mais onerosa numa produção agrícola. A fim de garantir economia e sustentabilidade aos produtores, oferecendo o máximo controle sobre essa aplicação, a John Deere lançou, em 2019, o ExactApply . O sistema inteligente exclusivo de controle de pontas permite a programação do gotejamento constante nos bicos dos pulverizadores, oferecendo controle de variáveis como pressão e tamanho da gota. Isso garante mais qualidade de cobertura de insumos por metro quadrado em uma faixa maior de velocidade, independentemente da topografia, reduzindo o desperdício de produtos entre 2% e 5% e evitando fitotoxicidade ou escape de pragas e doenças.