O agro brasileiro pode salvar o mundo

A afirmação está no relatório do secretariado da Convenção - Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima

Sustentabilidade

img-news

Relatório do secretariado da Convenção - Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (United Nations Framework Convention on Climate Change – UNFCCC), relacionado aos trabalhos realizados no âmbito da reunião de Koronivia para a agricultura, cita o Brasil como peça importante no cenário global em função dos impactos das mudanças climáticas. E vai além: afirma que país pode ter contribuição fundamental para salvar o planeta.

 

As razões para a menção sobre desenvolvimento da atividade agrícola brasileira pelo secretariado da UNFCCC são a ILPF (integração lavoura-pecuária-floresta) e a agricultura de precisão. “Trata-se de uma citação importante, porque representa o reconhecimento do valor da pesquisa agropecuária em benefício do desenvolvimento nacional, que dá visibilidade à ciência agrícola brasileira como referência mundial”, afirma Gustavo Mozzer, pesquisador da Embrapa, que integra a equipe do Polg (Núcleo de Políticas Globais) da gerência de relações estratégicas internacionais da Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas, responsável pela coordenação do trabalho, com o apoio do Portfólio de Mudança do Clima.

 

O Relatório do secretariado da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima cita a ILPF como a responsável por contribuir com a segurança alimentar e o desenvolvimento socioeconômico. A agricultura de precisão e a tecnologia baseada em ciência são relacionadas com a elevação da produtividade e com a redução em até 50% do preço dos alimentos. Juntos, esses fatores compõem o tripé que colabora para o desenvolvimento sustentável, a segurança alimentar e a renda dos agricultores.

 

MAIS COM MENOS

O texto do relatório do secretariado da UNFCCC destaca que a produtividade brasileira aumentou 386% e a área agrícola apenas 83%. São dados que representam a preservação de 120 milhões de hectares de floresta. “A chave para isso foi o investimento do Brasil em políticas públicas relevantes e tecnologia de base científica”, diz o texto, ressaltando a promoção da agricultura, baseada na intensificação sustentável, a inovação tecnológica, a adaptação às mudanças climáticas e a conservação dos recursos naturais. Ainda de acordo com o relatório, “o Brasil pretende continuar esses esforços e usar oportunidades de cooperação com intercâmbio de conhecimento e apoio multilateral como estratégias-chave para alcançar o desenvolvimento sustentável e a segurança alimentar”.

 

O UNFCCC é o tratado internacional resultante da Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento. Já o Koronivia se trata de uma instância importante dentro da UNFCCC em relação às negociações sobre agricultura. Busca valorar a importância da agricultura e da segurança alimentar na agenda de mudanças climáticas em todo o planeta.

 

* Com informações da Rede ILPF, Embrapa e Forbes Agro

logo