John Deere logo

    Conecta

    Sua fonte centralizada de notícias Agro

    Projeto visa desenvolver fertilizantes orgânicos na Amazônia

    Cooperação científica foi firmada pela Universidade Federal Rural da Amazônia com governo, empresa e universidade da China
    Rafael De Marco
    Arquivo
    Arquivo

    Tags:

    Sustentabilidade

    Defensivos

    Brasil

    Desenvolver fertilizantes orgânicos no Brasil. Esse é o objeto da parceria científica firmada entre a Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) e a China. A cooperação, que prevê pesquisa, desenvolvimento e transferência de tecnologias, envolve a UFRA, com sede em Belém (PA), o governo chinês, a Universidade de Hohai e a empresa Zhuhai Sino-Lac Suplly Chain.

     

    “A China vai liberar a tecnologia para o Brasil, que vai ser testada e adequada às condições do país, especialmente da Amazônia, para uma futura comercialização dos produtos por aqui”, afirmou a reitora da UFRA, Herdjania Veras de Lima.

     

    De acordo com a reitora da UFRA, a previsão é que uma comitiva chinesa venha ao Brasil em agosto para dar início às fases de teste e implantação das áreas experimentais no Pará. A universidade busca o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação na forma de fomento para as ações de pesquisa, além da infraestrutura de laboratórios necessária para o desenvolvimento dos testes desses produtos.

     

    A ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos, apontou que a produção de fertilizantes é um desafio para todas as nações e ganhou relevância com a guerra entre Rússia e Ucrânia, que afetou a comercialização do produto. “Estamos atentos a essa questão e sabemos que inovação e tecnologia são fundamentais para o Brasil conquistar a soberania nesse setor”, disse.

     

    COP30
    A ministra reforçou que o projeto de produção de biofertilizantes no Brasil traz menos impacto ambiental e está alinhada à agenda do MCTI de apoiar políticas e ações de desenvolvimento sustentável. Luciana Santos lembrou que o projeto pode ser um exemplo de iniciativa a ser apresentada na 30ª Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP30), que será realizada em 2025, em Belém (PA).