Pescaria no Sul do Brasil

Saiba mais sobre pesca esportiva nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul

Variedades

img-news

A região sul do Brasil, formada pelos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, é banhada por duas bacias hidrográficas. A bacia do Paraná tem como rios mais importantes o Paranapanema, Tibagi, Ivaí, Piquiri e Iguaçu, além do rio Paraná, enquanto a bacia do Uruguai tem sua base composta pelos rios Ijuí, Ibicuí e Piratini, incluindo o próprio rio Uruguai.

 

A pesca nos rios da região sul é farta em espécies de peixes, como dourados, jundiás, carpas, traíras, piavas, robalos, piaparas, pacus, traíras, tucunarés, jurupocas, piracanjubas, pirambebas, cangatis, bagres, entre outros. Também vale ressaltar o black bass. Originário dos Estados Unidos e Canadá, foi trazido para o Brasil em 1922 e pode ser encontrado dos estados de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, além de São Paulo e Minas Gerais.

 

O black bass é um peixe predador de rios e lagos. Se alimenta principalmente de pequenos peixes, insetos, larvas e rãs. Conhecido pela agressividade com que luta quando fisgado, sua pesca é considerada um desafio que exige técnica e acaba por tornar a pescaria uma atividade mais interessante.

 

RIO GRANDE DO SUL

O município de Bom Jesus, situado no extremo da região nordeste do Rio Grande do Sul, nos chamados Campos de Cima da Serra, é uma boa opção para pescar o black bass. A pesca esportiva pode ser praticada em açudes particulares, onde é possível sentir o prazer pelo ato de pescar, minimizando os danos ecológicos. Isso porque o peixe é solto logo em seguida, na modalidade conhecida como “catch and release” (pegue e solte).

 

PARANÁ

No Paraná, em Foz do Iguaçu, o Rio Paraná e o Rio Iguaçu são excelentes opções para pescaria, especialmente de espécies como dourado, piapara e pacu, que podem ser enormes e chegar a mais de 10 quilos de peso. Porém, importante lembrar que o período entre 1 de novembro e 1 de fevereiro, a pesca fica proibida na região. E isso vale, inclusive, para a pesca esportiva, em função da Piracema, quando os peixes retornam às nascentes para reprodução.

 

SANTA CATARINA

De acordo com a Secretaria de Turismo de Santa Catarina, pescar no estado é diversão garantida. Nas águas frias dos rios da Serra Catarinense, a pesca da truta é a grande atração. Nos canais e mangues da Baía de Babitonga, na região norte, o destaque é a pesca do robalo. Em todos os 560 km da costa catarinense há pontos para a pesca de arremesso e oceânica, sendo Itajaí um dos principais. Na região em torno da península de Porto Belo, há dourados, cavalas, bonitos, atuns, marlins-brancos e até marlim-azul. Nos costões, é possível pescar badejos, garoupas, tainhas, pampos e sargos. Já a anchova, peixe bom de briga, é abundante em todos os costões e ilhas entre Florianópolis e Piçarras, entre junho e novembro.

 

logo